9ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Confira os principais momentos de mais um fim de semana de futebol feminino inglês!

9ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Alex Livesey/Getty Images)

A 9ª rodada da WSL 2020/2021 veio com tudo! Em mais um fim de semana de muito futebol feminino, tivemos duelo na parte de cima da tabela, líderes confirmando favoritismo e disputa ferrenha entre times que brigam contra o rebaixamento.

Confira o resumo da PL Brasil sobre a última rodada da Women’s Super League!

Reading 1×2 Manchester United

Na abertura da 9ª rodada da WSL 2020/2021, o Manchester United manteve a liderança e a invencibilidade. Fora de casa em jogo muito duro, as comandadas de Casey Stoney venceram o Reading por 2 a 1 e seguem na ponta da tabela.

A vitória não foi nada fácil. Jogando em casa, as Royals começaram melhores e partiram para cima, criando boas chances com Jess Fishlock e Emma Harries. Mas a defesa das Red Devils se segurou como pôde e castigou logo em seguida.

Aos 32 minutos do primeiro tempo, em bela jogada de contra-ataque, Hayley Ladd lançou Leah Galton, que disparou e acertou um chute firme, sem chances para Grace Moloney. O Man United ainda teve outra boa chance com Ella Toone, mas a partida foi mesmo no 1 a 0 para o intervalo.

Depois do intervalo, o Reading voltou na pressão. Natasha Harding e Jess Fishlock tiveram grandes oportunidades, mas a goleira Mary Earps salvou. Só que aos 11 minutos do segundo tempo, no lançamento para Fishlock, a zagueira Amy Turner tentou salvar e fez contra. O empate agitou as mandantes, que vieram com tudo.

Porém, o Man United decidiu a partida a tempo do final. Aos 38 do segundo tempo, já com o desespero batendo à porta, cobrança de escanteio e Hayley Ladd desviou para o gol. Com o resultado, as Red Devils mantiveram o 100% de aproveitamento fora de casa e seguem na liderança, enquanto o Reading ocupa o sexto lugar.

Ficha Técnica:

Reading: Moloney; Leine, Cooper, Bartrip, Woodham; Fishlock, Eikeland (Rowe), James, Williams (Bruton); Harries, Harding. Técnica: Kelly Chambers.

Manchester United: Earps; Battle, Amy Turner, Millie Turner, Smith; Ladd, Groenen, Heath, Toone (Staniforth; Zelem), Galton; Hanson (Ross). Técnica: Casey Stoney.

Brighton 0x1 Chelsea

Com mais um gol de Sam Kerr, o Chelsea venceu o Brighton no People's Pension Stadium pela 9ª rodada da WSL 2020/2021, e se aproxima do topo da tabela. Os torcedores das Seagulls finalmente retornaram à plateia, entretanto, não voltaram para casa com a vitória. Já as Blues chegam à marca de 29 jogos com invencibilidade. 

Se na temporada passada o Brighton conseguiu segurar o Chelsea e empatou em apenas 1 a 1, em 2020 isso não foi possível. Em jogo de poucas chances e com destaque para Pernille Harder e Sam Kerr, as Blues conseguiram levar os três pontos para casa após gol da australiana. Bethany England completou 100 partidas com a camisa do Chelsea, e entrou faltando apenas dez minutos para o fim da partida. 

O time da casa deu trabalho. A primeira grande chance de ambos os clubes só aconteceu durante o gol de Kerr, que recebeu belo passe de Harder e cabeceou sem chances para Cecile Fiskerstrand. Após isso, um chute de fora da área de Harder foi disparado direto à goleira do Brighton.

No segundo tempo, as Seagulls mostraram-se mais presentes, com um chute na trave por Inessa Kaagman. Outras oportunidades das anfitriãs foram através de Aileen Whelan, Denise O'Sullivan, Emily Simpkins e Dani Bowman, todas bem desarmadas pela defesa. No caso das Blues, Erin Cuthbert e Guro Reiten fizeram sua parte contra a goleira Fiskerstrand. 

Apesar das cinco substituições da técnica Hope Powell em relação à derrota por 3 a 1 contra o Tottenham, e da evolução através de movimentos e passes rápidos, o Brighton não conseguiu os três pontos e está na oitava posição na WSL. Já o Chelsea está cada vez mais perto do topo da tabela na terceira posição com cinco vitórias, dois empates e um jogo a menos.

Ficha Técnica:

Brighton: Fiskerstrand; Le Tissier, Stott (Kerkdijk), Williams, Gibbons; Lee (Bowman), O’Sullivan, Heroum (Simpkins), Kaagman; Whelan, Brazil. Técnica: Hope Powell. 

Chelsea: Berger; Mjelde, Bright, Eriksson, Andersson; Leupolz, Ji (Ingle); Kirby, Harder (England), Cuthbert (Reiten); Kerr. Técnica: Emma Hayes.

Tottenham 3×1 Aston Villa

Ainda em busca de recuperação, o Tottenham recebeu o também em boa fase Aston Villa pela 9ª rodada da WSL 2020/2021. Após início decepcionante, as Spurs vinham de uma sequência de três jogos invictas, enquanto as Villans chegavam motivadas após sua maior goleada na história da WSL – 4 a 0 sobre o Bristol City.

O jogo começou agitado. Logo aos 13 minutos, Alex Morgan marcou seu segundo gol nesta WSL, novamente convertendo uma penalidade máxima. Porém, a reação das Villans foi rápida. Aos 24 minutos, a defesa do Tottenham saiu jogando errado e Nadine Hanssen encobriu a arqueira Becky Spencer com toque de categoria de fora da área, golaço: 1 a 1.

O ritmo e a intensidade do jogo seguiram lá em cima e o segundo tento das anfitriãs não tardou. Aos 36, a neozelandesa Ria Percival cruzou da esquerda e Alex Morgan dividiu na pequena área com a zagueira Caroline Siems, que acabou marcando contra: 2 a 1 Spurs. Na segunda etapa o ritmo de jogo caiu um pouco, com as Lilywhites levemente melhores em campo e próximas do terceiro tento.

Aos 18 minutos, Angela Addison cruzou da direita, a zaga afastou mal, Rosella Ayane chutou cruzado e a bola ainda desviou na zaga antes de entrar, matando a goleira alemã Lisa Weiß. Com o placar mais confortável, as anfitriãs souberam administrar o resultados e garantiram a vitória sem levar mais grandes sustos até o apito final.

O 3 a 1 sobre o Aston Villa foi a segunda vitória seguida do Tottenham, que agora se vê numa sequência de quatro partidas sem derrota e sobe à oitava posição. Mais importante que isso: o time vê sua grande contratação, a estrela mundial Alex Morgan, cada vez mais entrosada e à vontade em campo. Já as Villans voltam a conhecer o amargo sabor da derrota.

Ficha Técnica:

Tottenham: Spencer; Neville, Godfrey, Zadorsky e Harrop; Kennedy e Percival; Addison (Quinn), Graham (Williams) e Ayane (Naz); Morgan. Técnica: Rehanne Skinner.

Aston Villa: Weiß; Ale, N'Dow, Haigh e Siems; Asante (Syme) e Ewers; Petzelberger, Hanssen e Follis (Hutton); Hayles (Silva). Técnica: Gemma Davies

Bristol City 0x4 West Ham

No duelo entre dois times da parte de baixo da tabela pela 9ª rodada da WSL 2020/2021, Bristol City e West Ham entraram em campo sem poderem pensar na derrota. Porém, as visitantes fizeram da partida um monólogo e atropelaram: um sonoro 4 a 0 que fez as Hammers respirarem.

As Robins entraram em campo com a pior defesa da liga disparada, sofrendo 35 gols em oito jogos até então. E levaram o primeiro logo aos 11 minutos de forma bizarra. Yana Daniels tentou cortar a bola na defesa, mas ela explodiu nas costas de Jemma Purfield e entrou, gol contra.

Pouco depois, Purfield tentou se redimir e acertou cruzamento para Gemma Evans empatar, mas a arbitragem assinalou impedimento. Com isso, o West Ham foi vencendo pelo placar mínimo para o intervalo. E no segundo tempo, matou o jogo de vez.

As Hammers não tomaram conhecimento e passaram por cima das Robins. Primeiro, Rachel Daly cruzou na área e Emily van Egmond acertou um belo chute de primeira para aumentar, aos 13 minutos. E aos 19 foi o contrário: cruzamento de van Egmond, cabeçada de Daly, 3 a 0. Para completar, aos 41, Martha Thomas finalizou no cantinho. Placar final, Bristol City 0x4 West Ham.

Com o resultado, as Hammers chegam à segunda vitória na competição e sobem para o 10º e antepenúltimo lugar, saindo da zona de rebaixamento. Já o Bristol segue seu calvário com nenhuma vitória em nove jogos e está afundado na lanterna.

Ficha Técnica:

Bristol City: Baggaley; Bryson, Allen, Evans, Rafferty, Purfield; Bissell (Wellings), Humphrey (Salmon), Mastrantonio, Daniels; Harrison. Técnica: Tanya Oxtoby.

West Ham: Arnold; Kvamme, Flaherty, Fisk, Joel (Cissoko); Grant (Dali), Cho, Daly, van Egmond, Leon (Lehmann); Thomas. Técnico: Billy Stewart.

Manchester City 2×1 Arsenal

O choque de gigantes pela 9ª rodada da WSL 2020/2021 teve como protagonistas Manchester City e Arsenal. Donas do melhor ataque da liga e, até ali vice-líderes, as Gunners tinham pela frente as imponentes mas inconstantes Citizens, quartas colocadas. Ademais, o duelo marcava o primeiro encontro das duas maiores artilheiras da história da WSL desde que assumiram tal posto: Ellen White e Vivianne Miedema.

E foi justo esta, titular absoluta das Gunners, quem começou já fazendo a diferença. Logo aos dois minutos, após erro na saída de bola do City, Miedema chutou rasteiro e cruzado de fora da área para vencer a arqueira Ellie Roebuck: 1 a 0 Arsenal. O tento logo no início não abalou as donas da casa. Após muita insistência em jogadas pela direita com Chloe Kelly, as Citizens acabaram igualando o marcador por outra fonte: a bola parada.

Aos 30 minutos, Kelly cobrou escanteio da esquerda e a norte-americana Sam Mewis subiu mais alto que todo mundo para empatar: 1 a 1. As mandantes, que já jogavam melhor e criavam mais chances, ganharam ainda mais confiança e empurraram as Gunners para a defesa. Nos 15 minutos finais o domínio já era nítido.

Na segunda etapa o que se viu foi um duelo à parte entre os técnicos Gareth Taylor, do Man City, e Joe Montemurro, do Arsenal. O primeiro buscava jogar seu time ainda mais ao ataque, promovendo as entradas de Janine Beckie. Já o segundo, visando melhorar a retenção de posse e a criatividade de sua equipe, colocou a volante Jordan Nobbs, as meias Daniëlle van de Donk e Lisa Evans, e a lateral Steph Catley.

O ganhador do ferrenho embate estratégico acabou sendo Taylor. As Citizens foram premiadas por sua boa atuação e sua perseverança nos instantes finais. Aos 49 do segundo tempo, após bate e rebate na área visitante, Caroline Weir acertou chute colocado de fora da área e deu números finais à partida: 2 a 1 Manchester City, de virada.

O revés diante de um adversário direto na parte alta da tabela leva o Arsenal agora ao terceiro posto na tabela, quatro pontos atrás do líder Manchester United. Já o City mostra que ainda não é carta fora do baralho. A vitória o mantém na quarta colocação, mas impede uma separação maior do G-3.

Ficha Técnica:

Manchester City: Roebuck; Bronze, Houghton, Greenwood e Stokes; Mewis, Walsh e Weir; Kelly (Beckie), Hemp (White) e Stanway. Técnico: Gareth Taylor.

Arsenal: Williams; Maier (Catley), Williamson, Beattie e McCabe; Little, Gut (Evans) e Roord; Mead (van de Donk), Foord (Nobbs) e Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Birmingham x Everton – ADIADO

Birmingham e Everton também entrariam em campo pela 9ª rodada da WSL 2020/2021. Mas por conta das fortes chuvas em Solihull, o gramado do Damson Park ficou alagado. Com isso, a partida acabou sendo adiada.

Ainda não há uma nova data a para realização do confronto.

Classificação após a 9ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Manchester United: 23
2º – Chelsea: 20 (-1 jogo)
3º – Arsenal: 19
4º – Manchester City: 18
5º – Everton: 14 (-1 jogo)
6º – Reading: 10
7º – Birmingham City: 9 (-1 jogo)
8º – Tottenham: 9
9º – Brighton: 8
10º – West Ham: 7
11º – Aston Villa: 6 (-1 jogo)
12º – Bristol City: 2

Próxima rodada (10ª de 22):

– Manchester United x Bristol City, 20/12
– Birmingham x Manchester City, 20/12
– Arsenal x Everton, 20/12
– Chelsea x Tottenham, 20/12
– Brighton x Reading, 20/12
– West Ham x Aston Villa, 20/12

Texto produzido por Alícia Soares, Eduardo Costa e Hugo L'Abbate.