8ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

Veja tudo que rolou na 8ª rodada da WSL!

0
131
Jill Scott Manchester City WSL feminino Charlotte Tattersall Collection Getty Images Sport
Charlotte Tattersall Collection Getty Images Sport

Muitos gols e emoção de sobra marcaram a oitava rodada da WSL. Mudança de liderança com goleada histórica, virada no fim e um jogo adiado foram alguns dos destaques. Confira o resumo dos jogos de mais uma semana na Women's Super League!

Brighton 2×2 Reading

No frio da noite inglesa, Brighton & Hove Albion e Reading se enfrentaram na partida de abertura da oitava rodada da WSL. A partida deslocada das demais (na sexta-feira, 29 de novembro) terminou em um empate em 2 a 2. O confronto foi recheado de momentos inusitados, capazes de aquecer a torcida presente até o último minuto.

Apesar de estarem em momentos distintos, Brighton e Reading são times relativamente equilibrados. Era esperado um duelo com chances para ambas as equipes e venceria a que conseguisse ser mais eficiente. As donas da casa começaram melhor taticamente, anulando Fara Williams e consequentemente matando a criatividade das adversárias.

Mas, quem abriu o placar foram as visitantes. Em cobrança de escanteio a mestre das bolas paradas, Fara Williams, bateu fechado, a goleira Megan Walsh foi incapaz de repelir o perigo e viu a bola morrer no fundo das redes. Um gol olímpico para consagrar a boa temporada que Williams vive aos 35 anos.

A resposta não demorou a vir e três minutos após a abertura do placar, as Seagulls reagiram. O time marcava melhor e pressionava a saída de bola das Royals. Povoando o meio de campo e atacante em bloco, as meninas do Brighton conseguiram uma trama ofensiva boa que terminou em cabeçada de Aileen Whelan.

Depois do tento de empate, o Brighton. Mesmo tendo a bola por menos tempo, controlou as ações e, com um 4-5-1 defensivo, que periodicamente mudava para um 4-1-5, as Seagulls impediam qualquer avanço que não fosse via bola longa. Mesmo quando esta passava, acabava por ser roubada no encontro das linhas defensivas.

Ainda no primeiro tempo, aos 34, Ini-Abasi Umotong recebeu belíssimo passe para ficar de cara com o gol e virar a partida. Porém, a volta para a segunda etapa deixou a desejar. O Brighton não possuía mais a intensidade de antes, ofereceu espaços nas laterais e sofreu com o avanço da marcação do Reading.

O Reading, que já possuía a maior parte da posse da bola, tomou controle de campo adversário. E assim veio o empate, aos 51 minutos: Fara Williams cobrou o que parecia ser uma sequência infinita de escanteios e no último deles a bola ficou presa na pequena área. Remi Allen empurrou para o empate final e decretou o 2 a 2 na excelente partida.

Ficha técnica:

Brighton: Walsh; Gibbons, Williams, Kerkdijk, Barton; Whelan, Le Garrec (Nildén), Bowman (Le Tissier), Natkiel; Green, Umotong. Técnica: Hope Powell.

Reading: Moloney; Pacheco, Howard (Potter), Leine, James; Remi Allen, Moore; Chaplen, Fara Williams, Eikeland; Farrow (Utland). Técnica: Kelly Chambers.

Arsenal 11×1 Bristol City

Em realidades bastante diferentes na tabela da WSL, Arsenal e Bristol City se enfrentaram no Meadow Park, casa das Gunners, abrindo a rodada do domingo (1º de dezembro). O time liderado por Vivianne Miedema aplicou a maior goleada da história da liga: 11 a 1, com direito a seis gols e quatro assistências da artilheira holandesa.

O primeiro tempo começou com o Arsenal martelando o time visitante, e não demorou para balançar as redes. Logo aos sete minutos, Lisa Evans abriu o marcador após assistência de Miedema. Apenas três minutos depois, o time de Meadow Park voltou a balançar as redes com Leah Williamson.

O Arsenal continuou em cima e aumentou o placar para 3 a 0 com Miedema, aos 15 minutos. A camisa 11 holandesa marcou ainda aos 32 e 36, finalizando a primeira etapa com um sonoro 5 a 0. E se enganou quem acreditou que as Gunners tirariam o pé.

O Arsenal voltou em cima do Bristol e fez mais três gols em 11 minutos, com Miedema (aos seis e aos 11) e Jordan Nobbs (entre os dois de Miedema, aos nove minutos). Lisa Evans marcou o seu segundo gol aos 15 do segundo tempo tempo, e quatro minutos depois, Miedema marcou o seu sexto gol no confronto, o 10º das Gunners.

Emma Mitchell também deixou o seu, aos aos 34, após linda assistência de Beth Mead. O Bristol City ainda teve um pênalti a seu favor, após erro na saída de bola da goleira Manuela Zinsberger. Ela chegou a defender a penalidade, mas Yana Daniëls pegou o rebote e diminuiu o marcador: 11 a 1.

O Arsenal ultrapassou o Chelsea na classificação da FA WSL, e a atuação de Miedema fez com que a holandesa disparasse na artilharia da competição – ela agora tem 10 gols, seis a mais que a segunda (Bethany England, do Chelsea). Já o Bristol City continua na briga contra o rebaixamento – vice-lanterna, ainda não venceu no campeonato.

Arsenal: Zinsberger; Wälti, Williamson (Maier), Beattie (Quinn), Roord; Schnaderbeck, Van de Donk, Nobbs, Evans; Miedema (Mitchell), Mead. Técnico: Joe Montemurro.

Bristol City: Baggaley; Dykes, Matthews, Brown, Humphrey; Salmon (Wilson), Daniëls, Wellings (Robinson), Allen (Collis); Sargeant, Chance. Técnica: Tanya Oxtoby.

Manchester City 1×0 Liverpool

O Manchester City recebeu o lanterna Liverpool e venceu pela diferença mínima, graças ao gol de Gemma Bonner, marcado aos 20 minutos da etapa inicial. Por curiosidade, Bonner foi durante muitos anos jogadora e capitã das Reds, chegando às Citizens na última temporada.

O gol saiu de uma cobrança de falta de Caroline Weir, que encontrou Bonner, livre, para fazer o único gol do jogo. Com o placar aberto cedo, esperava-se que o Man City dominasse as ações. Mas o que se viu foi uma partida equilibrada.

Isso porque o Liverpool conseguiu se portar bem, mesmo fora de casa, e segurou o ímpeto das atuais vice-campeãs. Na segunda etapa, inclusive, as Reds quase empataram com a zagueira Niamh Fahey, mas sem sucesso.

A partida ficou aberta, em especial no segundo tempo. Ainda do lado das visitantes, a goleira Anke Preuss foi um dos destaques do Liverpool com boas defesas. Ellen White, Laura Coombs e Keira Walsh tiveram suas chances pelas azuis, mas pararam na arqueira do Liverpool.

O Manchester City é o vice líder da FA WSL com 21 pontos em oito partidas (o saldo é de 17, contra 19 do Arsenal). Já o Liverpool é o lanterna da competição com apenas um ponto conquistado, e nenhuma vitória em oito jogos.

Manchester City: Roebuck; Beckie, Bonner, Houghton, Stokes; Weir, Walsh, Coombs (Scott), Hemp; Wullaert, White (Stanway). Técnico: Nick Cushing.

Liverpool: Preuss; Jane, Bradley, Fahey, Robe; Bailey, Roberts (Murray), Lawley; Linnett, Charles, Sweetman-Kirk (Hodson). Técnica: Vicky Jepson.

West Ham 3×2 Manchester United

De mil à zero e de zero à mil: é a maneira com que pode ser definida a partida entre West Ham e Manchester United. Não deu nem tempo de se arrumar que logo aos cinco minutos, a rede já havia sido balançada duas vezes. Com um minuto, Kirsty Hanson abriu o placar para o Man United. Aos três, Laura Vetterlein deixou tudo igual para as mandantes.

Os momentos eletrizantes pararam por aí. Ao longo da partida, eram visto dois times que não conseguiam definir. O United, com mais posse, esboçava mais ameaças com as boas criações da holandesa Jackie Groenen. O West Ham, sólido e seguro na defesa, buscava as oportunidades certas para definir o placar.

Como dito no início, a partida começou a mil e foi caindo, sendo assim, indo de mil ao zero. Porém, o que poucos esperavam, é que ela voltasse ao ritmo inicial eletrizante. Nos 10 minutos finais, foram três gols e uma expulsão. O placar que caminhava para um empate, terminou 3 a 2 para as mandantes, com uma jogadora a menos.

Lauren James, aos 35 do segundo tempo, presenteou as Red Devils após diversas tentativas frutadas e fez 2 a 1. A partir do gol, as Hammers mostraram mais uma vez seu poder de reação. Esta teve nome e sobrenome: a experiente alemã Katharina Bauchan.

Uma das grandes jogadoras da história do Bayern ,ela é recém-chegada ao West Ham e ainda vem se adaptando. Mas aos poucos, mostra que pode ser útil para o time londrino. Os dois gols hoje que definiram a partida nos minutos finais foram amostras e tanto de seu valor. Entre os tentos, ainda houve tempo para Leanne Kiernan receber o segundo amarelo e ser expulsa.

Com a vitória, as Hammers dão uma boa respirada na briga contra o rebaixamento. Já o Manchester United se vê cada vez mais longe dos líderes – das últimas três partidas, a equipe perdeu duas, se distanciando do primeiro pelotão.

West Ham: Brosnan; Kvamme, Flaherty, Hendrix, Vetterlein, Bauchan; Lehmann (Leon), Longhurst (Middag), Dali (Cho So-hyun); Thomas, Kierman. Técnico: Matt Beard.

Manchester United: Earps; Harris, Millie Turner, McManus, Amy Turner; Ladd, Zelem, Galton, Groenen (Toone), Hanson (Sigsworth); Ross (James). Técnica: Casey Stoney.

Birmingham City 1×1 Tottenham

Vindos de três derrotas seguidas, Birmingham e Tottenham fizeram partida bastante disputada no Damson Park, em Solihull.

As visitantes começaram a partida tentando impôr seu ritmo e estilo de jogo, porém o Birmingham foi aos poucos ganhando confiança e, consequentemente, equilibrando o duelo, o que culminou no primeiro gol. Aos 22 minutos, a meia-atacante da seleção inglesa Lucy Staniforth levantou bola na área e a atacante escocesa Abbi Grant não perdoou, encobrindo a goleira Becky Spencer: 1 a 0.

A segunda etapa seguiu no mesmo ritmo da primeira, com ambas as equipes adotando posturas ofensivas. Aos 13 minutos, Staniforth recebeu na área e, após dividida com a zagueira Jenna Schillaci, foi ao chão. A torcida da casa, em maior número, protestou, mas a árbitra apenas mandou o jogo seguir.

Aos 17 veio a resposta das Spurs. Gemma Davison invadiu a área pela esquerda, em bela jogada individual, e finalizou a gol. O chute foi bloqueado e, no rebote, Kit Graham ainda tentou dividir com a goleira Hannah Hampton, mas a jovem arqueira levou a melhor e salvou o Birmingham.

As Spurs seguiram insistindo e foram premiadas por sua dedicação em um lance de bola parada. Aos 26 minutos, Davison e Kit Graham trocaram figurinhas novamente, sem chance para Hampton dessa vez. Davison cobrou falta da ponta-esquerda para a área e a atacante testou no canto esquerdo da meta anfitriã, dando números finais à partida: 1 a 1.

O resultado significa o fim da ingrata sequência de três derrotas consecutivas de ambas as equipes. Com um jogo a menos, o Tottenham segue no meio da tabela, agora com 10 pontos. Já o Birmingham City é o 9º, ainda ameaçado pela zona de rebaixamento, com quatro pontos.

Birmingham City: Hampton; Simkin, Scott, Holloway, Jordan; Arthur, Whipp, Staniforth; Walker, Williams (Scofield), Grant. Técnica: Marta Tejedor.

Tottenham: Spencer; Neville, Godfrey, Schillaci, Ayane (Wynne); Quinn (Davison), Haines (Green), Furness, Percival; Dean, Graham. Técnicos: Karen Hills e Juan Amoros.

Everton x Chelsea – adiado

A partida entre Everton e Chelsea seria realizada no domingo (1º). Porém, as más condições do tempo congelaram o campo em Southport, e o jogo foi adiado. Ainda não há uma nova data para realização do duelo.

Classificação após oito rodadas:
1º – Arsenal: 21
2º – Manchester City: 21
3º – Chelsea: 19 (-1 jogo)
4º – Everton: 15 (-1 jogo)
5º – Manchester United: 12
6º – Reading: 11 (-1 jogo)
7º – Tottenham: 10
8º – West Ham: 9
9º – Brighton: 6
10º – Birmingham City: 4 (-1 jogo)
11º – Bristol City: 3
12º – Liverpool: 1

Próxima rodada (9ª de 22):
– Manchester United x Everton, 08/12
– Chelsea x Manchester City, 08/12
– Liverpool x West Ham, 08/12
– Tottenham x Brighton, 08/12
– Reading x Arsenal, 08/12
– Bristol City x Birmingham City, 08/12