8ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

Veja tudo que rolou na 8ª rodada da WSL!

Jill Scott Manchester City WSL feminino Charlotte Tattersall Collection Getty Images Sport
Charlotte Tattersall Collection Getty Images Sport

Muitos gols e emoção de sobra marcaram a oitava rodada da WSL. Mudança de liderança com goleada histórica, virada no fim e um jogo adiado foram alguns dos destaques. Confira o resumo dos jogos de mais uma semana na Women's Super League!

Brighton 2×2 Reading

No frio da noite inglesa, Brighton & Hove Albion e Reading se enfrentaram na partida de abertura da oitava rodada da WSL. A partida deslocada das demais (na sexta-feira, 29 de novembro) terminou em um empate em 2 a 2. O confronto foi recheado de momentos inusitados, capazes de aquecer a torcida presente até o último minuto.

Apesar de estarem em momentos distintos, Brighton e Reading são times relativamente equilibrados. Era esperado um duelo com chances para ambas as equipes e venceria a que conseguisse ser mais eficiente. As donas da casa começaram melhor taticamente, anulando Fara Williams e consequentemente matando a criatividade das adversárias.

Mas, quem abriu o placar foram as visitantes. Em cobrança de escanteio a mestre das bolas paradas, Fara Williams, bateu fechado, a goleira Megan Walsh foi incapaz de repelir o perigo e viu a bola morrer no fundo das redes. Um gol olímpico para consagrar a boa temporada que Williams vive aos 35 anos.

A resposta não demorou a vir e três minutos após a abertura do placar, as Seagulls reagiram. O time marcava melhor e pressionava a saída de bola das Royals. Povoando o meio de campo e atacante em bloco, as meninas do Brighton conseguiram uma trama ofensiva boa que terminou em cabeçada de Aileen Whelan.

Depois do tento de empate, o Brighton. Mesmo tendo a bola por menos tempo, controlou as ações e, com um 4-5-1 defensivo, que periodicamente mudava para um 4-1-5, as Seagulls impediam qualquer avanço que não fosse via bola longa. Mesmo quando esta passava, acabava por ser roubada no encontro das linhas defensivas.

Ainda no primeiro tempo, aos 34, Ini-Abasi Umotong recebeu belíssimo passe para ficar de cara com o gol e virar a partida. Porém, a volta para a segunda etapa deixou a desejar. O Brighton não possuía mais a intensidade de antes, ofereceu espaços nas laterais e sofreu com o avanço da marcação do Reading.

O Reading, que já possuía a maior parte da posse da bola, tomou controle de campo adversário. E assim veio o empate, aos 51 minutos: Fara Williams cobrou o que parecia ser uma sequência infinita de escanteios e no último deles a bola ficou presa na pequena área. Remi Allen empurrou para o empate final e decretou o 2 a 2 na excelente partida.

Ficha técnica:

Brighton: Walsh; Gibbons, Williams, Kerkdijk, Barton; Whelan, Le Garrec (Nildén), Bowman (Le Tissier), Natkiel; Green, Umotong. Técnica: Hope Powell.

Reading: Moloney; Pacheco, Howard (Potter), Leine, James; Remi Allen, Moore; Chaplen, Fara Williams, Eikeland; Farrow (Utland). Técnica: Kelly Chambers.

Arsenal 11×1 Bristol City

Em realidades bastante diferentes na tabela da WSL, Arsenal e Bristol City se enfrentaram no Meadow Park, casa das Gunners, abrindo a rodada do domingo (1º de dezembro). O time liderado por Vivianne Miedema aplicou a maior goleada da história da liga: 11 a 1, com direito a seis gols e quatro assistências da artilheira holandesa.

O primeiro tempo começou com o Arsenal martelando o time visitante, e não demorou para balançar as redes. Logo aos sete minutos, Lisa Evans abriu o marcador após assistência de Miedema. Apenas três minutos depois, o time de Meadow Park voltou a balançar as redes com Leah Williamson.

O Arsenal continuou em cima e aumentou o placar para 3 a 0 com Miedema, aos 15 minutos. A camisa 11 holandesa marcou ainda aos 32 e 36, finalizando a primeira etapa com um sonoro 5 a 0. E se enganou quem acreditou que as Gunners tirariam o pé.

O Arsenal voltou em cima do Bristol e fez mais três gols em 11 minutos, com Miedema (aos seis e aos 11) e Jordan Nobbs (entre os dois de Miedema, aos nove minutos). Lisa Evans marcou o seu segundo gol aos 15 do segundo tempo tempo, e quatro minutos depois, Miedema marcou o seu sexto gol no confronto, o 10º das Gunners.

Emma Mitchell também deixou o seu, aos aos 34, após linda assistência de Beth Mead. O Bristol City ainda teve um pênalti a seu favor, após erro na saída de bola da goleira Manuela Zinsberger. Ela chegou a defender a penalidade, mas Yana Daniëls pegou o rebote e diminuiu o marcador: 11 a 1.

O Arsenal ultrapassou o Chelsea na classificação da FA WSL, e a atuação de Miedema fez com que a holandesa disparasse na artilharia da competição – ela agora tem 10 gols, seis a mais que a segunda (Bethany England, do Chelsea). Já o Bristol City continua na briga contra o rebaixamento – vice-lanterna, ainda não venceu no campeonato.

Arsenal: Zinsberger; Wälti, Williamson (Maier), Beattie (Quinn), Roord; Schnaderbeck, Van de Donk, Nobbs, Evans; Miedema (Mitchell), Mead. Técnico: Joe Montemurro.

Bristol City: Baggaley; Dykes, Matthews, Brown, Humphrey; Salmon (Wilson), Daniëls, Wellings (Robinson), Allen (Collis); Sargeant, Chance. Técnica: Tanya Oxtoby.

Manchester City 1×0 Liverpool

O Manchester City recebeu o lanterna Liverpool e venceu pela diferença mínima, graças ao gol de Gemma Bonner, marcado aos 20 minutos da etapa inicial. Por curiosidade, Bonner foi durante muitos anos jogadora e capitã das Reds, chegando às Citizens na última temporada.

O gol saiu de uma cobrança de falta de Caroline Weir, que encontrou Bonner, livre, para fazer o único gol do jogo. Com o placar aberto cedo, esperava-se que o Man City dominasse as ações. Mas o que se viu foi uma partida equilibrada.

Isso porque o Liverpool conseguiu se portar bem, mesmo fora de casa, e segurou o ímpeto das atuais vice-campeãs. Na segunda etapa, inclusive, as Reds quase empataram com a zagueira Niamh Fahey, mas sem sucesso.

A partida ficou aberta, em especial no segundo tempo. Ainda do lado das visitantes, a goleira Anke Preuss foi um dos destaques do Liverpool com boas defesas. Ellen White, Laura Coombs e Keira Walsh tiveram suas chances pelas azuis, mas pararam na arqueira do Liverpool.

O Manchester City é o vice líder da FA WSL com 21 pontos em oito partidas (o saldo é de 17, contra 19 do Arsenal). Já o Liverpool é o lanterna da competição com apenas um ponto conquistado, e nenhuma vitória em oito jogos.

Manchester City: Roebuck; Beckie, Bonner, Houghton, Stokes; Weir, Walsh, Coombs (Scott), Hemp; Wullaert, White (Stanway). Técnico: Nick Cushing.

Liverpool: Preuss; Jane, Bradley, Fahey, Robe; Bailey, Roberts (Murray), Lawley; Linnett, Charles, Sweetman-Kirk (Hodson). Técnica: Vicky Jepson.

West Ham 3×2 Manchester United

De mil à zero e de zero à mil: é a maneira com que pode ser definida a partida entre West Ham e Manchester United. Não deu nem tempo de se arrumar que logo aos cinco minutos, a rede já havia sido balançada duas vezes. Com um minuto, Kirsty Hanson abriu o placar para o Man United. Aos três, Laura Vetterlein deixou tudo igual para as mandantes.

Os momentos eletrizantes pararam por aí. Ao longo da partida, eram visto dois times que não conseguiam definir. O United, com mais posse, esboçava mais ameaças com as boas criações da holandesa Jackie Groenen. O West Ham, sólido e seguro na defesa, buscava as oportunidades certas para definir o placar.

Como dito no início, a partida começou a mil e foi caindo, sendo assim, indo de mil ao zero. Porém, o que poucos esperavam, é que ela voltasse ao ritmo inicial eletrizante. Nos 10 minutos finais, foram três gols e uma expulsão. O placar que caminhava para um empate, terminou 3 a 2 para as mandantes, com uma jogadora a menos.

Lauren James, aos 35 do segundo tempo, presenteou as Red Devils após diversas tentativas frutadas e fez 2 a 1. A partir do gol, as Hammers mostraram mais uma vez seu poder de reação. Esta teve nome e sobrenome: a experiente alemã Katharina Bauchan.

Uma das grandes jogadoras da história do Bayern ,ela é recém-chegada ao West Ham e ainda vem se adaptando. Mas aos poucos, mostra que pode ser útil para o time londrino. Os dois gols hoje que definiram a partida nos minutos finais foram amostras e tanto de seu valor. Entre os tentos, ainda houve tempo para Leanne Kiernan receber o segundo amarelo e ser expulsa.

Com a vitória, as Hammers dão uma boa respirada na briga contra o rebaixamento. Já o Manchester United se vê cada vez mais longe dos líderes – das últimas três partidas, a equipe perdeu duas, se distanciando do primeiro pelotão.

West Ham: Brosnan; Kvamme, Flaherty, Hendrix, Vetterlein, Bauchan; Lehmann (Leon), Longhurst (Middag), Dali (Cho So-hyun); Thomas, Kierman. Técnico: Matt Beard.

Manchester United: Earps; Harris, Millie Turner, McManus, Amy Turner; Ladd, Zelem, Galton, Groenen (Toone), Hanson (Sigsworth); Ross (James). Técnica: Casey Stoney.

Birmingham City 1×1 Tottenham

Vindos de três derrotas seguidas, Birmingham e Tottenham fizeram partida bastante disputada no Damson Park, em Solihull.

As visitantes começaram a partida tentando impôr seu ritmo e estilo de jogo, porém o Birmingham foi aos poucos ganhando confiança e, consequentemente, equilibrando o duelo, o que culminou no primeiro gol. Aos 22 minutos, a meia-atacante da seleção inglesa Lucy Staniforth levantou bola na área e a atacante escocesa Abbi Grant não perdoou, encobrindo a goleira Becky Spencer: 1 a 0.

A segunda etapa seguiu no mesmo ritmo da primeira, com ambas as equipes adotando posturas ofensivas. Aos 13 minutos, Staniforth recebeu na área e, após dividida com a zagueira Jenna Schillaci, foi ao chão. A torcida da casa, em maior número, protestou, mas a árbitra apenas mandou o jogo seguir.

Aos 17 veio a resposta das Spurs. Gemma Davison invadiu a área pela esquerda, em bela jogada individual, e finalizou a gol. O chute foi bloqueado e, no rebote, Kit Graham ainda tentou dividir com a goleira Hannah Hampton, mas a jovem arqueira levou a melhor e salvou o Birmingham.

As Spurs seguiram insistindo e foram premiadas por sua dedicação em um lance de bola parada. Aos 26 minutos, Davison e Kit Graham trocaram figurinhas novamente, sem chance para Hampton dessa vez. Davison cobrou falta da ponta-esquerda para a área e a atacante testou no canto esquerdo da meta anfitriã, dando números finais à partida: 1 a 1.

O resultado significa o fim da ingrata sequência de três derrotas consecutivas de ambas as equipes. Com um jogo a menos, o Tottenham segue no meio da tabela, agora com 10 pontos. Já o Birmingham City é o 9º, ainda ameaçado pela zona de rebaixamento, com quatro pontos.

Birmingham City: Hampton; Simkin, Scott, Holloway, Jordan; Arthur, Whipp, Staniforth; Walker, Williams (Scofield), Grant. Técnica: Marta Tejedor.

Tottenham: Spencer; Neville, Godfrey, Schillaci, Ayane (Wynne); Quinn (Davison), Haines (Green), Furness, Percival; Dean, Graham. Técnicos: Karen Hills e Juan Amoros.

Everton x Chelsea – adiado

A partida entre Everton e Chelsea seria realizada no domingo (1º). Porém, as más condições do tempo congelaram o campo em Southport, e o jogo foi adiado. Ainda não há uma nova data para realização do duelo.

Classificação após oito rodadas:
1º – Arsenal: 21
2º – Manchester City: 21
3º – Chelsea: 19 (-1 jogo)
4º – Everton: 15 (-1 jogo)
5º – Manchester United: 12
6º – Reading: 11 (-1 jogo)
7º – Tottenham: 10
8º – West Ham: 9
9º – Brighton: 6
10º – Birmingham City: 4 (-1 jogo)
11º – Bristol City: 3
12º – Liverpool: 1

Próxima rodada (9ª de 22):
– Manchester United x Everton, 08/12
– Chelsea x Manchester City, 08/12
– Liverpool x West Ham, 08/12
– Tottenham x Brighton, 08/12
– Reading x Arsenal, 08/12
– Bristol City x Birmingham City, 08/12