8ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Fique de olho nos detalhes e momentos de mais uma semana da Women's Super League!

8ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Marc Atkins/Getty Images)

Após a pausa pela data FIFA, voltamos com a 8ª rodada da WSL 2020/2021! Foi um fim de semana com as líderes confirmando o favoritismo e vencendo sem grandes problemas. Além disso, o Tottenham enfim venceu, o Bristol City enfim voltou a pontuar, e mais uma vez não faltou emoção.

Confira o resumo da PL Brasil sobre mais uma rodada da Women’s Super League!

Aston Villa 0x2 Manchester United 

O Bescot Stadium recebeu a abertura da 8ª rodada da WSL 2020/2021, entre Aston Villa e Manchester United. As equipes vivem momentos diferentes na competição, com as Red Devils lutando com unhas e dentes pela liderança e as Villans correndo sérios riscos de rebaixamento.

Apesar de estar brigando no topo da tabela, o Manchester United enfrentou uma partida difícil. Nos primeiros 20 minutos, as ações mantinham-se equilibradas apesar da disparidade dos elencos. O Aston Villa se defendia bem e conseguia criar tramas ofensivas principalmente pelos lados. O que pesou, no entanto, foram os erros das donas da casa. 

Quando o relógio bateu a marca dos 20 minutos, o desempenho das Villans caiu drasticamente. A bola não ultrapassou a linha do meio de campo por quase cinco minutos, sem domínio algum. O United apertou a marcação e em uma roubada próximo da área, Hayley Ladd passou para Leah Galton marcar o primeiro da partida.

Com 1 a 0 na frente, o Man United pareceu jogar de forma mais tranquila. A qualidade se sobressaia em cima da garra das leoas do Aston Villa. A marcação do time da casa continuava dando trabalho, mas as chances criadas pelo United eram frequentes. Não à toa as Red Devils terminaram com 20 chutes na partida, sendo 10 na direção do gol.

Apesar de todas as chances criadas, o segundo tento só veio no apagar das luzes da partida, e com nova falha do Aston Villa. O time da casa começava a se desleixar na defesa, mantendo muitas jogadoras avançadas e sem retornar para a marcação. Foi então que a goleira Lisa Wieß teve que sair da área para marcar, mas saiu errado e entregou a bola para Ella Toone.

A inglesa de 21 anos teve a visão perfeita da jogada e encobriu a goleira para matar a partida. Com os três pontos conquistados, o United gerou uma gordura saudável na disputa pelo título, enquanto o Villa segue afundado na vice-lanterna.

Ficha Técnica: 

Aston Villa: Wieß; Franklin-Fraiture, N’Dow, Asante, Siems; Petzelberger, Ewers (Syme), Haigh, Hayles (Hutton), Follis (Silva); Haywood (Arthur). Técnica: Gemma Davies.

Manchester United: Earps; Ladd, Batlle, Millie Turner, Amy Turner; Groenen (Staniforth), James (Ross), Smith; Heath, Galton, Toone. Técnica: Casey Stoney.

Chelsea 3×2 West Ham

Em dia especial de derby londrino e retorno do público à Kingsmeadow, o Chelsea venceu o West Ham por 3 a 2 pela 8ª rodada da WSL 2020/2021. O jogo teve direito a hat-trick de Sam Kerr e três assistências da Fran Kirby. Rachel Daly e Magdalena Eriksson (contra) diminuíram para as visitantes, que jogavam pela primeira vez após a demissão do técnico Matt Beard.

O West Ham começou a partida pressionando e tentando se impor frente às donas da casa. Entretanto, tomou um balde de água fria com o primeiro gol de Sam Kerr aos 14 minutos do primeiro tempo. Pernille Harder deu um passe açucarado para Kirby, que cruzou para a área e Kerr chutou rasteiro, abrindo o placar para as Blues.

Dois minutos depois, Rachel Daly puxou um contra-ataque em velocidade sozinha cara a cara com a goleira Ann-Katrin Berger, que desarmou a jogadora com segurança. Aos 27 minutos, Maren Mjelde cobrou falta, Eriksson acertou a bola com a cabeça, mas a bola passou por cima do travessão. O final do primeiro tempo foi mais desacelerado, com uma chance de cabeceio de Bethany England aos 38 minutos.

Logo no início do segundo tempo, a aniversariante do dia Rachel Daly aproveitou a sobra e marcou o gol de empate para o West Ham, o seu quarto da temporada. Só que a festa não durou muito, e aos nove minutos, com participação de Harder e de Kirby, Kerr marcou o segundo do Chelsea.

Aos 23 minutos, em tabelinha entre Kirby e Kerr, a australiana marcou o terceiro, mas sentiu e caiu diretamente ao chão, sendo substituída por Erin Cuthbert. No final da segunda etapa, após cobrança de escanteio de Alisha Lehmann visando Emily van Egmond, Eriksson fez contra, diminuindo para as Hammers.

A partida foi marcada por um domínio das donas da casa, que mantiveram no total de 63% da posse de bola nos 90 minutos e completaram 12 vitórias consecutivas em casa. O último empate ou derrota aconteceu em março de 2019 – 1 a 1 contra o próprio West Ham.

Ficha Técnica:

Chelsea: Berger; Mjelde, Thorisdottir (Bright), Eriksson, Andersson; Ji (Ingle), Kirby, Leupolz; Kerr (Cuthbert), England (Reiten), Harder. Técnica: Emma Hayes.

West Ham: Arnold; Vetterlein, Flaherty, Fisk, Redisch; Longhurst (Grant), Egmond, Cho; Leon (Svitkova), Daly, Thomas (Lehmann). Técnico: Billy Stewart.

Arsenal 3×0 Birmingham City

O Arsenal dominou o Birmingham City e conseguiu uma imponente vitória pela 8ª rodada da WSL 2020/2021. As Gunners tiveram incríveis 30 chutes a gol contra apenas dois das Blues, e no fim das contas o 3 a 0 no placar ficou barato. Foi um monólogo.

Jogando em casa, o Arsenal começou partindo para cima e criando ótimas chances, mas com a pontaria descalibrada. Teve até um pênalti a seu favor, mas Hannah Hampton defendeu a cobrança de Kim Little. Foi uma pressão enorme que não se resultou em gols, e o placar zerado foi frustrante.

Veio o segundo tempo e o questionamento: será que o Arsenal ficaria sem marcar gols em casa pela primeira vez desde setembro de 2016? Mas não foi o caso. Aos 12 minutos, coube à atacante australiana Caitlin Foord fazer o 1 a 0 de cabeça. Cinco minutos depois, foi a vez de Jill Roord aumentar. E logo o jogo se resolveu.

Mesmo assim, as Gunners seguiram atacando. A goleira Hampton continuou fazendo uma boa partida e evitando a goleada rival, enquanto as Blues mal saíam do campo de defesa. Mas aos 42 minutos, o chute de Jordan Nobbs bateu no braço de Rachel Corsie. Mais um pênalti, que Little desta vez converteu para marcar o 3 a 0 e fechar o placar.

O Birmingham agora segura um recorde incômodo: o de time que mais perdeu para o Arsenal na história da WSL, com 12 derrotas. Destaque também para o público, já que Meadow Park recebeu torcedores pela primeira vez em mais de nove meses – de forma limitada com as restrições da pandemia.

Ficha Técnica:

Arsenal: Williams; Maier (Evans), Williamson, Beattie (Wubben-Moy), McCabe (Catley); Gut, Roord, Little; Mead (van de Donk), Foord (Nobbs), Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Birmingham: Hampton; Scott (Lawley), Brougham, Corsie, Holloway; Murray, Scofield, Green (McCarron), Toussaint (Kelly), Napier; Walker. Técnica: Carla Ward.

Tottenham 3×1 Brighton

Foi no The Hive Stadium, casa do Tottenham Hotspur, que o time londrino conseguiu pela 8ª rodada da WSL 2020/2021 a sua primeira vitória nesta temporada. O triunfo veio contra o Brighton, que vinha de vitória e poderia embalar uma boa série nesse momento. No entanto, na estreia de Rehanne Skinner como comandante, as Spurs levaram os três pontos e Alex Morgan enfim marcou seu primeiro gol.

As ações do primeiro tempo começaram equilibradas, com ambas as equipes tendo bastante posse de bola. Essa igualdade não foi alterada mesmo com as donas da casa abrindo o placar aos 10 minutos. Kerys Harrop, defensora das Lilywhites, foi para a bola e cobrou uma ótima falta de forma certeira.

Na marca dos 21 minutos, jogada de velocidade do Tottenham, Rosella Ayane recebeu lançamento e venceu na corrida. Entretanto, se precipitou no chute e mandou a bola para longe. Cerca de dez minutos depois a bola puniu a displicência do Tottenham com um pênalti. Pois Inessa Kaagman só aproveitou a oportunidade e empatou a partida pelo Brighton. 

Morgan ainda perdeu uma chance na reta final da primeira etapa, mas dava sinais de querer marcar pela primeira vez na WSL com a camisa do Tottenham. Quando a bola voltou a rolar, o time da casa parecia mais consciente e buscava o ataque. O Brighton até chegava, mas não conseguia gerar real perigo. 

Aos 18 minutos, o Tottenham mais uma vez voltou a estar na frente no placar. Em outro contra-ataque com muita velocidade, a bola acabou ficando para Angela Addison. Ela venceu a disputa, passou pela zagueira do Brighton e ainda driblou a goleira Megan Walsh para marcar.

Por fim, Morgan matou qualquer chance de reação aos 39 minutos, quando de pênalti fez o terceiro das Spurs e seu primeiro no futebol inglês. Com o 3 a 1 e os três pontos, o Tottenham consegue a primeira vitória, com sua principal jogadora desencantando.

Ficha Técnica: 

Tottenham: Spencer; Neville, Zardosky, Harrop, Filbey; Percival, Kennedy (Naz), Green; Morgan (Williams), Addison, Ayane (Quinn). Técnica: Rehanne Skinner.

Brighton: Walsh; Gibbons (Stott), Kerkdijk, Bowman, Le Tissier; Green (Brazil), Kaagman; Whelan (Geun-Min), O’Sullivan, Williams; Jarrett. Técnica: Hope Powell.

Reading 1×1 Bristol

O duelo entre Reading e Bristol City pela 8ª rodada da WSL 2020/2021 tinha um favoritismo claro. Jogando em casa e estabelecidas no meio da tabela, as Royals esperavam tranquilidade contra as Robins, na lanterna e sem nenhuma vitória. Mas não contavam com tarde inspirada da goleira Sophie Baggaley, que segurou o 1 a 1.

Vindo de três empates seguidos, o Reading partiu para o ataque. As estatísticas não mentem: foram 33 chutes da equipe da casa, contra 10 das visitantes, que deram apenas dois arremates no alvo. Pois foi em um deles, aos 43 da primeira etapa, que Emma Bissell abriu o placar para o Bristol. Foi o primeiro gol dela na WSL.

Veio o segundo tempo e o Reading foi para cima, tendo a bola a todo o tempo e criando boas chances. Logo aos cinco minutos veio empate, com finalização precisa dentro da área da craque Fara Williams. A partir daí, a pressão foi se tornando insustentável. Mas havia uma barreira do outro lado.

Danielle Carter, Jess Fishlock, Natasha Harding, Amalie Eikeland… todas elas tentaram. Mas a goleira Baggaley estava em uma jornada de raríssima felicidade. Com ótimas defesas, ela segurou o quanto pôde o empate e foi recompensada. Fim de jogo no Madejski Stadium, Reading 1×1 Bristol City.

Com o empate, as Royals chegam a quatro igualdades seguidas e estacionam no meio da tabela. Enquanto isso, as Robins conquistam apenas seu segundo ponto em sete jogos disputados até agora na WSL.

Ficha Técnica:

Reading: Moloney; Leine, Cooper, Bartrip, Woodham; Fishlock, Williams (Roberts), James, Eikeland (Bruton); Harding, Carter (Harries). Técnica: Kelly Chambers.

Bristol City: Baggaley; Allen, Layzell, Evans, Purfield; Humphrey, Mastrantonio, Daniëls (Bryson), Wellings; Bissell (Harrison), Salmon. Técnica: Tanya Oxtoby.

Everton 0x3 Manchester City

Em partida movimentada pela 8ª rodada da WSL 2020/2021 no Walton Hall Park, o Manchester City venceu o Everton por 3 a 0. Foram três gols de cabeça com Ellen White, Gemma Bonner e Janine Beckie, e três assistências de Caroline Weir. Com a vitória, as Citizens vão para a quarta posição, logo à frente das Toffees.

O Everton começou bem a partida, mostrando-se dominante em casa e querendo garantir os três pontos. Aos 11 minutos, a goleira Ellie Roebuck teve trabalho em segurar a cabeçada de Megan Finnigan. E aos 22, Maéva Clemaron passou para Moe Wold, mas a zaga Citizen empurrou a bola para escanteio.

Posteriormente, as Citizens mostraram a que vieram. Aos 24 minutos, Weir cruzou para White, que acertou o fundo das redes com um cabeceio certeiro. Três minutos depois, Weir foi a assistente de novo, dessa vez com Bonner. Do outro lado, aos 44, Nicoline Sørensen finalizou bem após interceptação de Izzy Christiansen, mas parou em Roebuck. Um minuto depois, o castigo: Beckie marcou o terceiro para o Man City.

O segundo tempo foi mais truncado. As Citizens já não conseguiam chegar com tanta clareza e as Toffees tiveram pouquíssimas oportunidades de tentar diminuir o placar. Aos cinco, Hayley Raso passou para Sørensen, que tentou finalizar mas a goleira defendeu. Dois minutos depois, Christiansen também foi parada por Roebuck.

Nos minutos finais, Chantelle Boye-Hlorkah e Stephanie Houghton tentaram até marcar mais um gol, mas de nada adiantou. A vitória das Citizens construída no primeiro tempo era inevitável, enquanto o Everton sofria um duro baque em casa.

Ficha Técnica:

Everton: MacIver; Wold, Finnigan, Clemaron (Boye-Hlorkah), Turner; Christiansen, Graham; Raso (Pike), Stringer, Egurrola; Sorensen. Técnico: Willie Kirk.

Manchester City: Roebuck; Bronze, Houghton, Bonner (Greenwood), Stokes; Walsh, Scott, Weir (Mewis); Beckie (Hemp), Lavelle (Kelly), White (Stanway). Técnico: Gareth Taylor

Classificação após a 8ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Manchester United: 20
2º – Arsenal: 19
3º – Chelsea: 17 (-1 jogo)
4º – Manchester City: 15
5º – Everton: 14
6º – Reading: 10
7º – Birmingham City: 9
8º – Brighton: 8
9º – Tottenham: 6
10º – West Ham: 4
11º – Aston Villa: 3 (-2 jogos)
12º – Bristol City: 2 (-1 jogo)

Próxima rodada (9ª de 22):

– Reading x Manchester United, 13/12
– Brighton x Chelsea, 13/12
– Birmingham City x Everton, 13/12
– Tottenham x Aston Villa, 13/12
– Bristol City x West Ham, 13/12
– Manchester City x Arsenal, 13/12

Texto produzido por Alícia Soares, Eduardo CostaLucas Bichão.