7ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Confira o que de melhor aconteceu na equilibrada rodada da Women's Super League!

0
339
7ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
Catherine Ivill/Getty Images

“Equilíbrio” é a palavra que define a 7ª rodada da WSL 2020/2021. Foram quatro empates em seis jogos, nessa que foi uma rodada também recheada de clássicos. Destaque para o emocionante derby de Manchester, entre dois candidatos ao título, e o primeiro clássico de Birmingham da história da WSL.

Confira o resumo da PL Brasil em mais uma rodada da Women’s Super League!

Manchester United 2×2 Manchester City

Abrindo a 7ª rodada da WSL 2020/2021, os rivais de Manchester se enfrentaram e entregaram um jogo como o imaginado e desejado pelos amantes de futebol: cheio de gols, chances perdidas, alternância de domínio, qualidade, luta e emoção até o fim.

O empate manteve os times nas mesmas posições, com o United mantendo a invencibilidade na competição e o City dando mostras de que pode está reencontrando a sua melhor forma.

As anfitriãs começaram melhor, conseguindo finalizar jogadas a partir de roubadas de bola em passes errados do City ainda na defesa. Mas a partir dos cinco minutos, só deram as visitantes. O domínio começou explorando o lado esquerdo de defesa. Millie Turner errou o passe que resultou em escanteio, Alex Greenwood cobrou, Chloe Kelly antecipou Tobin Heath e mandou para as redes.

Após o gol, o United não se achou no jogo. Era um massacre das Citizens. Elas levavam as melhor nas laterais, Sam Mewis tinha liberdade pelo meio, Ellen White ganhava todas de Millie Turner e as bolas paradas levavam perigo ao gol de Mary Earps. E o City ampliou nos acréscimos, em um chutaço de Laura Coombs.

Mas a segunda etapa se reservava diferente: as donas da casa começaram pressionando lá em cima, e foi assim que fizeram o primeiro gol. Lucy Bronze errou o passe, Tobin Heath invadiu a área e acertou o ângulo de Ellie Roebuck. O time de vermelho continuava no campo de ataque, conseguindo uma série de escanteios e finalizações. Mas faltava o capricho final para balançar a rede. Já o City parecia não ter voltado no intervalo.

Aos 28 minutos, o empate. Escanteio cobrado e Kirsty Hanson finalizou duas vezes para vencer Roebuck e igualar o marcador. E no último lance do jogo, a virada não veio por pouco: Lucy Staniforth cabeceou após escanteio e Demi Stokes tirou com a barriga, em cima da linha. Foi o ato final de um derby eletrizante e que protagonizou de tudo.

Ficha Técnica:

Manchester United: Earps; Batlle, Amy Turner, Millie Turner, Galton; Ladd, Groenen; Sigsworth (Hanson), Toone, Heath (Staniforth); Press (James). Técnica: Casey Stoney

Manchester City: Roebuck; Bronze, Houghton, Greenwood, Stokes; Mewis, Walsh, Coombs (Weir), Kelly; White (Beckie), Stanway (Park). Técnico: Gareth Taylor.

Aston Villa 0x1 Birmingham

Em duelo histórico disputado pela 7ª rodada da WSL 2020/2021 no Villa Park, Aston Villa e Birmingham fizeram o primeiro “Second City Derby” (o derby da “Segunda Cidade”, em referência a Birmingham, segunda maior cidade da Inglaterra). Com ambos os times em ascensão, o clássico foi tão equilibrado quanto se esperava.

Jogando no estádio da equipe principal masculina, as Villans vinham embaladas após sua primeira vitória na temporada e tentaram impor pressão nos primeiros minutos. No entanto, as anfitriãs só conseguiam ameaçar a meta defendida por Hannah Hampton em lances de bola parada.

Apesar de não ter apresentado o melhor futebol do primeiro tempo, a melhor chance dos primeiros 45 minutos foi das visitantes. Aos 40 minutos, Claudia Walker deixou Mollie Green na cara do gol após belo passe, mas a meio-campista chutou fraco, em cima da goleira Lisa Weiss.

Na segunda etapa, a jovem técnica das Villans, Gemma Davies, tentou promover mudanças no seu ataque, que retinha a posse de bola, mas não conseguia criar chances claras de gol. Aos 13 minutos, a portuguesa Diana Silva levantou bola na área do Birmingham e a capitã Marisa Ewers, livre de marcação, finalizou de voleio para fora.

Quando o gol do Villa começava a amadurecer, veio a ducha de água fria pra cima das donas da casa. Aos 26 minutos, Lucy Whipp cruzou da direita, a defesa afastou mal e a centroavante Claudia Walker encheu o pé para abrir o placar: 1 a 0.

Nos 20 minutos finais do derby, as visitantes recuaram e seguraram a pressão das Villans, garantindo, assim, sua terceira vitória nos últimos quatro jogos. O triunfo leva as Blues à sexta colocação na tabela, cinco pontos atrás do G3 e oito à frente da zona de rebaixamento. Já o Aston Villa segue no 10º lugar com apenas três pontos, dois acima da zona de rebaixamento, mas com dois jogos a menos que o restante da liga.

Ficha Técnica:

Aston Villa: Weiss; Franklin-Fraiture, Asante, N'Dow, Siems; Petzelberger, Arthur (Hanssen), Ewers; Larsen (Syme), Hutton (Follis), Hayles (Diana Silva). Técnica: Gemma Davies.

Birmingham City: Hampton; Scott, Corsie, Brougham, Holloway; Murray, Kelly (Toussaint), Green, Scofield, McCarron (Whipp); Walker. Técnica: Carla Ward.

Everton 1×1 Reading

Everton e Reading se encontraram na 7ª rodada da WSL 2020/2021 e fizeram uma partida equilibrada. Empatando em 1 a 1, as equipes saíram de campo deixando a sensação de que poderiam ter ganho o jogo. Isso porque ambas perderam chances no segundo tempo para ampliar o placar.

Antes do primeiro gol, Everton e Reading faziam uma partida com poucas chances e um domínio maior das visitantes. Mas, quem abriu o placar foram as donas da casa. Em tabelinha com passe iluminado de Claire Emslie, Nicoline Sorensen teve a chance de chutar, e no rebote Simone Magill marcou.

Com o placar aberto aos 39 minutos, as Royals se apressaram para igualar o placar e Natasha Harding aproveitou uma ótima oportunidade. Com a defesa aberta e sem marcação por pressão, o Everton deu espaços para a capitã do Reading. O que a jogadora fez? Uma pintura surpreendente. Harding chutou a bola em um movimento que encobriu Alaxandra Maclver e empatou aos 42 do primeiro tempo.

O intervalo esfriou a partida para se equiparar ao clima gelado de Liverpool. As equipes não demonstraram o mesmo empenho da reta final e fizeram um jogo com poucas chances criadas. Com a entrada de Fara Williams nas Royals, a jogadora até cruzou uma bola perigosa em cobrança de falta. Mas nada muito relevante.

Aos 47 minutos do segundo tempo, Moloney ainda salvou uma bola inacreditável na única chance clara de gol do Everton no segundo tempo. Com apenas quatro chutes certos no alvo, em 12 possíveis, as Toffees ficaram marcadas pela falta de pontaria. Terminada a partida em empate, o Reading conseguiu ponto importante fora de casa. 

Ficha Técnica: 

Everton: Maclver; Turner, Sevecke, Finnigan, Wold; Graham, Christiansen, Sorensen, Magill (Boye-Hlorkah), Raso; Emslie. Técnico: Willie Kirk

Reading: Moloney; Mitchell (Woodham), Bartrip, Leine, Rowe; Fishlock, James, Chaplen (Bruton); Eikeland, Carter (Williams), Harding. Técnica: Kelly Chambers

Bristol City 2×2 Tottenham

Times de campanha abaixo da expectativa, Bristol City e Tottenham precisavam da vitória na 7ª rodada da WSL 2020/2021. Para isso, as Spurs inclusive estrearam como titular a estrela estadunidense Alex Morgan. Mas acabaram sendo traídas no fim e viram as Robins empatarem o placar.

O primeiro tempo estava pouco movimentado até os 37 minutos, quando Siri Worm cometeu pênalti em Ebony Salmon, a favor do Bristol. Chloe Logarzo bateu firme, sem chances, e fez 1 a 0. Aí veio a redenção de Worm.

Primeiro, o gol de empate aos 42 com uma linda cobrança de falta.  E depois, já aos 19 minutos do segundo tempo, bela assistência de Worm e Ashleigh Neville recebeu cruzamento para cabecear firme, colocando o Tottenham pela primeira vez na liderança de uma partida da liga.

Porém, aos 23 minutos, Rianna Dean dividiu com a goleira rival Sohpie Baggaley, fez falta duríssima e foi expulsa. A partir daí o Tottenham que dominava o jogo se fechou, e o Bristol veio para cima em busca do que parecia improvável. Assim o fez.

Coube à jovem craque do time, a atacante artilheira Ebony Salmon, de fazer o gol de empate. Ela recebeu longo cruzamento do campo, ganhou da marcação perdida do Tottenham e mandou para o fundo das redes. Fim de jogo, 1 a 1, e Bristol City (lanterna) e Tottenham (vice-lanterna) ainda não venceram nesta temporada.

Ficha Técnica:

Bristol City: Baggaley; Allen (Wellings), Layzell (Harrison), Matthews, Evans, Purfield; Daniëls, Logarzo (Rafferty), Humphrey, Bissell; Salmon. Técnico: Gary Probert.

Tottenham: Spencer; Neville, Godfrey, Zadorsky, Worm; Percival, Kennedy, Green; Leon (Davison), Morgan (Dean), Addison (Ayane). Técnicos: Karen Hills e Juan Amorós.

West Ham 0x1 Brighton

Sem a treinadora Hope Powell, isolada após contrair COVID-19, e sem vencer desde a primeira rodada, justamente contra o West Ham, o Brighton surpreendeu as Hammers na 7ª rodada da WSL 2020/2021 e se afastou de vez da briga contra o rebaixamento.

O primeiro tempo foi dominado pelas donas da casa. O West Ham ameaçava o Brighton sobretudo em jogadas pelo flanco direito, em cima da lateral improvisada Fliss Gibbons. A ponta suíça Alisha Lehmann e a atacante escocesa Martha Thomas eram as jogadoras que ofereciam mais perigo ao gol da norueguesa Cecilie Fiskerstrand.

Escalada como titular pela primeira vez na temporada, no lugar da titular Megan Walsh, por opção técnica, a jovem Fiskerstrand acabou se tornando a personagem do primeiro tempo. Na segunda metade do duelo, as Hammers seguiram atacando e criando mais chances claras de gol. Aos 15 minutos, Lehmann e a canadense Adriana Leon desperdiçaram duas boas oportunidades em sequência.

Entretanto, como diz a velha máxima: quem não faz, leva. Nove minutos depois, a camisa 10 Inessa Kaagman lançou a atacante irlandesa Rianna Jarret, que aplicou lençol sobre a goleira Mackenzie Arnold e testou para as redes. Belo gol, 1 a 0 para as Seagulls.

O gol deixou o confronto ainda mais aberto. Poucos minutos após a abertura do placar, Kaagman por pouco não ampliou, mas sua finalização parou em grande defesa de Arnold. No abafa, as Hammers ainda exigiram mais defesas da arqueira Fiskerstrand, mas a norueguesa segurou o 1 a 0 até o final.

Com sua segunda vitória em Londres na história da WSL, o Brighton se mantém no oitavo lugar com oito pontos, mas agora com uma confortável distância de sete pontos para a zona de rebaixamento. O West Ham segue na nona colocação, agora a quatro pontos das Seagulls.

Ficha Técnica:

West Ham: Arnold; Daly, Flaherty, Fisk, Vetterlein; van Egmond, Cho (Cissoko), Svitková (Dali); Lehmann (Kvamme), Leon (Kiernan), Thomas. Técnico: Matthew Beard.

Brighton: Fiskerstrand; Le Tissier, Kerkdijk, Bowman, Gibbons; Simpkins (Lee), Kaagman; Whelan, O'Sullivan Green (Heroun); Jarrett (Bance). Técnica: Hope Powell.

Arsenal 1×1 Chelsea

A partida entre Arsenal e Chelsea pela 7ª rodada da WSL 2020/2021 quebrou as expectativas dos que esperavam jogo eletrizante e cheio de gols. Até os 41 minutos do segundo tempo o placar estava zerado, com ambos os times preferindo se defender a atacar o adversário. Com Vivianne Miedema apagada e mais uma partida sem gols de Sam Kerr, os dois times perdem a possibilidade de liderança para o Manchester United.

Apesar da partida ter acontecido na casa das Gunners, o Meadow Park, o Chelsea se mostrou mais convicto em tomar a iniciativa. Entretanto, ocorreram muitos passes e finalizações erradas por parte das Blues. Como as duas equipes focaram na atuação da defesa, as goleiras Manuela Zinsberger e Ann-Katrin Berger pouco foram acionadas.

As melhores chances da primeira etapa aconteceram pela equipe mandante nos minutos finais. Após erro de Sophie Ingle no meio do campo, Caitlin Foord arriscou de longe, acertou o travessão duas vezes e Berger e Magdalena Eriksson cortaram. Nenhum chute ao alvo, além de quatro finalizações do Arsenal e três do Chelsea.

Na segunda etapa, o Chelsea tentou aparecer mais na partida, inclusive ao tirar Melanie Leopolz e colocar Sam Kerr para deixar o time mais ofensivo. Oportunidades surgiram principalmente por Bethany England e Pernille Harder, com direito a finalizações para fora e defendidas por Zinsberger.

Aos 41 minutos da segunda etapa, após erro das Blues no campo do Arsenal, as Gunners armaram um contra-ataque com Miedema e Bethany Mead, que finalizou no fundo do gol. Quatro minutos depois, Harder tentou cruzamento para a área, mas a bola desviou em Lotte Wubben Moy, encobriu a goleira e entrou. Em sequência, Sam Kerr ainda perdeu uma grande chance de encobrir a goleira e virar a partida para as visitantes.

Com o resultado, o Arsenal é vice-líder da competição com 16 pontos (cinco vitórias, um empate e uma derrota) e o Chelsea é o terceiro colocado com 14 pontos (quatro vitórias, dois empates e um jogo a menos).

Ficha Técnica:

Arsenal: Zinsberger; Maier. Williamson, Wubben-Moy, McCabe; Roord, Little, Wälti; Mead, Foord, Miedema. Técnico: Joe Montemurro

Chelsea: Berger; Mjelde, Bright, Eriksson, Andersson; Ji, Ingle e Leupolz; Cuthbert, Harder, England. Técnica: Emma Hayes

Classificação após a 7ª rodada da WSL 2020/2021:

1 – Manchester United: 17
2 – Arsenal: 16
3 – Chelsea: 14 (-1 jogo)
4 – Everton: 14
5 – Manchester City: 12
6 – Birmingham City: 9
7 – Reading: 9
8 – Brighton: 8
9 – West Ham: 4
10 – Aston Villa: 3 (-2 jogos)
11 – Tottenham: 3
12 – Bristol City: 1 (-1 jogo)

Próxima rodada (8ª de 22):

– Aston Villa x Manchester United, 05/12
– Everton x Manchester City, 06/12
– Arsenal x Birmingham City, 06/12
– Chelsea x West Ham, 06/12
– Reading x Bristol City, 06/12
– Tottenham x Brighton, 06/12

Texto produzido por Alícia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate, Karyne Teixeira e Lucas Bichão.