4ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

Vitórias dos times de Manchester e clássico londrino marcaram mais uma rodada!

0
201
Tessa Wullaert-Manchester-City-George Wood Collection Getty Images Sport
George Wood Collection Getty Images Sport

Grandes atuações dos rivais de Manchester e o jogaço entre os gigantes Chelsea e Arsenal marcaram a 4ª rodada da Women's Super League. Confira o resumo dos jogos da semana na WSL.

Leia mais: Guia da WSL 2019/20 – Parte II: os times da Women’s Super League

Manchester City 3×0 Birmingham City

Iniciando a rodada como um dos únicos times com 100% de aproveitamento, o Manchester City era franco favorito em casa diante do Birmingham. E desde o começo da partida, a atual vice-campeã da WSL comprovou o fato.

Com uma marcação pressão e sufocando as visitantes, as Citizens logo tomaram o controle das ações. O primeiro tempo foi de domínio da posse de bola e da maioria das finalizações para a equipe da casa.

Todo esse domínio naturalmente se transformaria em gol. E ele veio aos 26: momentos depois de Hannah Hampton fazer uma bela defesa em chute de Janine Beckie, veio a cobrança de escanteio, e a finalização de Keira Walsh desviou na zaga antes de entrar.

Com o placar aberto, o Man City manteve o comando ofensivo, mas criou menos chances. A defesa do Birmingham se acertou e segurou a força da equipe da casa, mantendo o 1 a 0 no intervalo.

Veio o segundo tempo e as Citizens demoraram dois minutos para aumentarem o marcador. Beckie recebeu belo passe na direita e cruzou para Tessa Wullaert, que passou no meio da zaga adversária e fez 2 a 0.

Depois de boas intervenções da goleira Hampton, veio o dedo do técnico Nick Cushing. Ele pôs a atacante Geum-Min Lee, que entrou e deu números finais: em boa jogada na esquerda, Lauren Hemp cruzou e a sul-coreana finalizou firme para fazer o terceiro.

Com a vitória por 3 a 0, o Manchester City chegou aos 12 pontos de 12 possíveis com quatro rodadas. Já o Birmingham é o único time que segue zerado na WSL e se complica na disputa contra o rebaixamento.

FICHA TÉCNICA:

Manchester City: Roebuck; Campbell, Bonner, Houghton, Mannion (Fidalgo); Weir, Walsh, Scott (Park); Hemp, Wullaert, Beckie (Geun-Min). Técnico: Nick Cushing.

Birmingham: Hampton; Mayling, Holloway, Harrop, Jordan; Scofield, Arthur, Walker (Scott), Visalli, Grant; Williams (Whipp). Técnica: Marta Tejedor.

Liverpool 1×1 Bristol City

Em um confronto direto pela parte de baixo da FA WSL, Liverpool e Bristol City se enfrentaram no Prenton Park e ficaram no 1 a 1.

As Reds começaram a partida tomando a iniciativa e partindo pra cima das visitantes, mas esbarraram numa marcação intensa das Robins. E aos 16 minutos as visitantes abriram o placar: Ebony Salmon tentou cruzar uma bola na área do Liverpool e acabou encobrindo a goleira Anke Preuss, marcando um belo gol.

A partir daí, as mandantes impuseram o ritmo do jogo e obrigaram Sophie Baggaley a fazer boas defesas na primeira etapa. Jessica Clarke e Melissa Lawley tentaram, mas a goleira inglesa não cedeu o empate para a equipe do Liverpool.

No segundo tempo, o time de Prenton Park continuou em cima do Bristol e Baggaley foi importante mais vezes para a manutenção do placar. Até que aos 26 minutos do segundo tempo, Rinsola Babajide, que entrou dois minutos antes, foi derrubada na área e o árbitro marcou pênalti para o Liverpool. Na cobrança, Lawley converteu e igualou o placar.

Após a penalidade o jogo deu uma esfriada, o Bristol soube deixar o tempo passar e não foi incomodado pelo Liverpool. Com o resultado, as Reds somam o primeiro ponto na competição, enquanto o time das Robins chegam a dois pontos na WSL.

FICHA TÉCNICA:

Liverpool: Preuss; Jane, Roberts, Fahey, Robe; Clarke, Bailey, Bradley, Lawley, Charles (Hodson); Sweetman-Kirk (Babajide). Técnica: Vicky Jepson.

Bristol City: Baggaley; Dikes, Brown, Matthews, Evans; Wellings (Robinson), Humpfrey, Daniëls, Wilson (Chance), Salmon (Harrison); Sargeant. Técnica: Tanya Oxtoby.

Tottenham 0×3 Manchester United

O emergente Manchester United visitou o Tottenham no Hive Stadium, em Londres, e arrancou uma importante vitória por 3 a 0.

Após início de jogo intenso, quando ambas as equipes buscavam o ataque, as visitantes abriram o marcador aos 13 minutos com a jovem ponta escocesa Kirsty Hanson, aproveitando bate rebate na área das Spurs. O gol freou o ímpeto das donas da casa e as comandadas de Casey Stoney passaram a dominar a partida até o intervalo.

O Tottenham voltou mais ofensivo na segunda etapa, em busca da igualdade no placar. Foram as visitantes, no entanto, quem voltaram a balançar as redes. Logo aos sete minutos, Leah Galton cruzou rasteiro da esquerda e a lateral Ashleigh Neville, ao tentar cortar, marcou contra: 2 a 0 para o United.

As visitantes não se intimidaram com o placar ainda mais adverso e seguiram em busca do ataque. A melhor oportunidade criada foi aos 25 minutos, quando um chute de fora da área de Rachel Furness exigiu grande defesa de Mary Earps e ainda tocou o travessão.

Mais recuada e apostando em contragolpes, a equipe visitante teve sua grande oportunidade cinco minutos mais tarde. Em rápida descida de Jessica Sigsworth pelo centro do campo, a excelente meia holandesa Jackie Groenen recebeu livre na entrada da área e finalizou para grande defesa de Becky Spencer.

Nos minutos finais, em uma situação inusitada, o Manchester United ampliou sua vantagem. Aos 46, a jovem Lauren James, que fazia boa partida, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulsa. Mas um minuto depois, as Red Devils marcaram o terceiro: cruzamento da esquerda de Galton e a veterana Jane Ross desviou para as redes.

Com o resultado, o Manchester United se mantém na quinta colocação na tabela. Já o Tottenham cai para o sétimo posto. As Spurs visitam o Bristol City na próxima rodada, enquanto as Red Devils recebem o Reading.

FICHA TÉCNICA:

Manchester United: Earps; Harris, A. Turner, M. Turner, Smith; Ladd (Toone), Zelem; Hanson (Sigsworth), Groenen (Ross), James; Galton. Técnica: Casey Stoney.

Tottenham Hotspur: Spencer; Neville, Godfrey, Filbey (Wynne), Percival; Peplow (Haines), Green; Furness, Graham, Ayane; Dean (Quinn). Técnica: Karen Hills.

Reading 3×2 Everton

O Reading recebeu a equipe do Everton com o objetivo de se recuperar da derrota na última partida para o Manchester City. E em um jogo movimentado, a vitória veio apenas no segundo tempo.

A primeira etapa foi bem movimentada, com ambas as equipes objetivando o ataque e querendo vencer a partida. Os times vinham de derrota na rodada anterior, daí a importância da vontade na recuperação dos pontos perdidos. A intensidade foi tanta que aos 23 minutos o placar já estava em 2 a 2.

Jade Moore foi a responsável por abrir o placar aos sete, quando em cobrança de falta frontal de Fara Williams, a jogadora desviou a bola de cabeça. Não demorou e Chloe Kelly empatou para o Everton, fazendo seu gol em três partidas disputadas.

Aos 17, o Reading fez 2 a 1: Morre voltou às redes em nova assistência de Williams, mas dessa vez em uma cobrança de escanteio.

A sequência de gols do primeiro tempo só finalizou aos 23, quando Lucy Graham cobrou pênalti para as Toffees. Após a série a partida manteve-se agitada, mas não possuía lances de bola rolando que causassem real perigo.

Quando retornaram do intervalo, os times demonstraram que o cansaço já batia. Williams corria pouco pelo campo apesar de ser muito acionada na criação das jogadas. A correria do Everton era menos efetiva, muitas vezes sendo impedida de acontecer ainda na faixa central do campo.

As chances foram minguando com o decorrer dos minutos e nem as substituições deram gás para a partida. Com as chances cada vez menos frequentes, as donas da casa acabaram por aproveitando-se de outra bola parada para se colocar na frente do placar pela última vez.

Fara Williams foi para a cobrança de escanteio e encontrou Lisa-Marie Utland. Com o hat-trick de assistências, Fara se tornou a primeira jogadora da WSL a ter três passes ou mais para gol em duas partidas diferentes.

O primeiro gol de Utland vestindo a camisa do Reading garantiu a vitória e três pontos importantes para a pretensão do time Vale ressaltar que as Royals possuem um jogo a menos, já que a partida contra o Birmingham, na terceira rodada, foi cancelada. Já o Everton encaixa sua segunda derrota seguida, mas ainda se encontra em quinto.

FICHA TÉCNICA:

Reading: Moloney; Rowe, Howard, Leine, Farrow (Utland); Moore (James), Allen, Eikeland, Williams, Harding; Chaplen (Hönnudóttir). Técnica: Kelly Chambers.

Everton: Korpela; Turner, Kika van Es (Morgan), George, Finnigan; Pike (Stringer), Clemaron, Kelly, Kaagman (Cain), Magill, Graham. Técnico: Willie Kirk.

Brighton 1×3 West Ham

Em dia inspirado da atacante suíça Alisha Lehmann, o West Ham bateu o Brighton fora de casa por 3 a 1.

As donas da casa começaram a partida mais recuadas, mas a opção tática de pouco adiantou. Aos 23 minutos do primeiro tempo, Lehmann fez pela jogada pela direita e encontrou a estadunidense Martha Thomas livre na área. A camisa 9 apenas finalizou na saída da arqueira Megan Walsh para abrir o placar.

As Hammers seguiram melhores na partida e criando boas oportunidades de marcar. No entanto, o placar só foi ampliado na segunda etapa. Aos 24 minutos, Lehmann dividiu pelo alto com a defensora holandesa Danique Kerkdijk e a árbitra marcou pênalti. A meia francesa Kenza Dali cobrou com categoria, sem chances para a goleira Walsh: 2 a 0.

Logo depois, veio o merecido gol da melhor em campo, para garantir os três pontos à equipe de Londres. Aos 28 do segundo tempo, Lehmann invadiu a área pela direita e fuzilou a meta de Walsh.

Nos acréscimos, as Seagulls conseguiram seu gol de honra. Após boa jogada de Aileen Whelan, a meia irlandesa Megan Connolly tocou no canto da goleira Courtney Brosnan, fechando o placar.

Com a imponente vitória fora de casa, o West Ham sobe para a sexta colocação. Já o Brighton segue no 10º lugar na tabela. Em seus próximos compromissos, as Hammers recebem o Chelsea no clássico londrino, e as Seagulls visitam o Everton.

FICHA TÉCNICA:

Brighton & Hove Albion: Walsh; Lundorf, Williams, Kerkdijk, Gibbons; Le Garrec, Buet, Simpkins (Le Tissier); Brazil (Connolly), Whelan, Umotong (Green). Técnica: Hope Powell.

West Ham United: Brosnan; Kvamme, Flaherty, Vetterlein (Hendrix), Baunach; Middag (Longhurst), Cho, Kiernan (Leon), Dali; Thomas, Lehmann. Técnico: Matt Beard.

Chelsea 2×1 Arsenal

Com as credenciais de serem as duas últimas campeãs nacionais e estarem entre as favoritas, Chelsea e Arsenal entraram em campo para o clássico londrino. A partida era a que mais prometia na quarta rodada da WSL.

E demorou apenas nove minutos para o primeiro gol sair. O Arsenal, que iniciou melhor, logo chegou ao 1 a 0 na trama holandesa: bela jogada pela esquerda de Vivianne Miedema, que lançou na área para Daniëlle van de Donk fuzilar ao fundo das redes.

O gol mudou o jogo. Enquanto as Gunners se fecharam e começaram a apostar no contra-ataque, as Blues foram para cima. O resultado foi a pressão do Chelsea, que criou chances com Ji So-Yun, Bethany England, Fran Kirby e Guro Reiten (a mais perigosa, no travessão). Mas o placar foi ao intervalo ainda no 1 a 0.

No segundo tempo, o Chelsea seguiu em cima. Se no primeiro tempo o Arsenal ainda tentou criar algo após abrir o placar, no segundo foi totalmente encurralado. Já as Blues apertaram o ritmo e conseguiram a reação.

Ela começou aos 12 minutos: na jogada rápida pela direita após a recuperação da saída de bola, Kirby avançou e cruzou na área para England, que não deu chances para Manuela Zinsberger e igualou o marcador.

O gol animou o time da casa, que virou com a mão da treinadora Emma Hayes. Aos 30 minutos ela fez duas mudanças, colocando Ramona Bachmann e Maria Thorisdóttir. Onze minutos depois, cruzamento rasteiro de Bachmann e Thorisdóttir bateu forte, da entrada da área, para fazer 2 a 1. Virada e muita festa da torcida em Kingsmeadow.

A vitória colocou o Chelsea na segunda colocação, ultrapassando justamente o Arsenal, que perdeu a sequência de 11 vitórias seguidas pela WSL. Ambas vêem o Manchester City na frente como única equipe com 100% de aproveitamento.

FICHA TÉCNICA:

Chelsea: Berger; Mjelde, Bright, Eriksson, Andersson; Ingle, So-Yun (Spence), Cuthbert, Reiten (Thorisdóttir); Kirby (Bachmann), England. Técnica: Emma Hayes.

Arsenal: Zinsberger; Evans, Williamson, Beattie, McCabe; Wäiti (Nobbs), Roord, Little; Mead, Van de Donk, Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Classificação após quatro rodadas:
1º – Manchester City: 12
2º – Chelsea: 10
3º – Arsenal: 9
4º – Manchester United: 6
5º – Everton: 6
6º – West Ham: 6
7º – Reading: 6
8º – Tottenham: 6
9º – Brighton: 2
10º – Bristol City: 2
11º – Liverpool: 1
12º – Birmingham: 0

Próxima rodada (5ª de 22):
– Everton x Brighton, 27/10
– Manchester United x Reading, 27/10
– Birmingham x Liverpool, 27/10
– Arsenal x Manchester City, 27/10
– West Ham x Chelsea, 27/10
– Bristol City x Tottenham, 27/10

Produzido por Eduardo Costa, Hugo L'Abbate, Igor Martins e Lucas Bichão.