31ª rodada da Premier League: confira o resumo dos jogos

Fim de semana do Campeonato Inglês foi muito agitado

31ª rodada da premier league

Por conta dos jogos da Copa da Inglaterra que aconteceram simultâneos neste fim de semana, a 31ª rodada da Premier League teve alguns jogos adiados. Então, o resumo da PL Brasil será publicado inicialmente com cinco jogos e, após a conclusão desta rodada, será atualizado. Confira!

Leia mais

10 celebridades que tentaram jogar em clubes ingleses

West Ham 4×3 Huddersfield

Foto: Getty Images

Um dos melhores jogos da atual temporada da Premier League aconteceu neste sábado (16). O West Ham recebeu o Huddersfield em uma partida marcada por viradas, muitos gols e uma emoção que só a melhor liga do mundo proporciona. Ao fim do jogo, 4 a 3 para os donos da casa e um resultado que enche a equipe de moral.

Logo aos 15 minutos da primeira etapa o West Ham abriu o placar com Noble, convertendo o pênalti. Entretanto, levou empate dois minutos depois, quando Bacuna marcou a favor dos visitantes.

E as coisas pioraram para os Hammers. Aos 30, Grant virou o jogo e colocou o Huddersfield em vantagem. Foi apenas a segunda vez que os visitantes marcaram dois gols em um jogo na Premier League.

O West Ham era uma equipe bem displicente em campo. E a conta disso chegou mais uma vez aos 20 minutos do segundo tempo, quando Grant marca seu segundo gol na partida e o terceiro do Huddersfield.

Quando tudo parecia perdido para os donos da casa, o zagueiro Ogbonna diminuiu aos 30 da segunda etapa. O gol colocou fogo no jogo e animou os Hammers.

E aos 39 minutos da etapa final, Chicharito deixa tudo igual. Naquele momento, pelas circunstâncias da partida, o resultado já era ótimo. E se o empate já era bom, a virada nem se fala. Com assistência do brasileiro Felipe Anderson, Chicharito marcou nos acréscimos e deu a vitória para o West Ham.

Com o resultado, os Hammers chegaram aos 42 pontos e seguem na luta por uma vaga na Europa League. Pelo lado do Huddersfield, o clube segue afundado na lanterna e o rebaixamento de forma oficial é questão de tempo.

Ficha técnica:

West Ham: Fabianski; Zabaleta, Diop, Ogbonna e Cresswell; Rice, Antonio (Chicharito), Noble (Nasri), Lanzini, Felipe Anderson; Arnautovic (Lucas Pérez). Técnico: Manuel Pellegrini

Huddersfield: Lossl; Smith, Stankovic, Kongolo e Durm; Bacuna (Puncheon) e Mooy; Rowe (Billing), Pritchard e Lowe; Grant (Mounié). Técnico: Jan Siewert

Burnley 1×2 Leicester

Wes Morgan foi o responsável pela grande vitória do Leicester.
Credits: Images via Reuters/Craig Brough

No Turf Moor, o Burnley acabou surpreendido por um valente Leicester. A equipe da casa teve tudo para sair com um resultado positivo após a expulsão de Harry Maguire com apenas 4 minutos de partida.

No entanto, a equipe do Leicester não se deixou abater, lançando-se ao ataque. E foi essa postura que fez com os “Foxes” saíssem na frente.

Em uma cobrança de falta perfeita, James Maddison se encarregou de colocar a equipe visitante na frente. Contudo, a resposta da equipe da casa veio logo na sequência com o gol de Dwight McNeil, após bela troca de passes dos jogadores do Burnley.

Na segunda etapa os Clarets foram superiores, pressionando a equipe do Leicester durante todos os 45 minutos finais.

Porém, os visitantes souberam suportar todas as investidas da equipe mandante, sendo premiados com o gol da vitória já nos minutos finais de jogo.

Youri Tielemens lançou a bola na área adversária e Wes Morgan se encarregou de garantir os 3 pontos para o valente time de Brendan Rodgers.

Ficha técnica:

Burnley: Heaton, Bardsley, Tarkowski, Mee, Taylor, Gudmundsson (Brady 79’), Westwood, Cork, McNeil (Vydra 90’), Wood (Crouch 70’), Barnes. Técnico: Sean Dyche

Leicester: Schmeichel, Pereira, Evans, Maguire, Chillwell, Ndidi, Gray (Morgan 6’), Tielemans, Maddison (Fuchs 64’), Barnes (Mendy 77’), Vardy. Técnico: Brendan Rodgers

Bournemouth 2×2 Newcastle

Dois grandes talentos do confronto, Miguel Almirón e David Brooks batalham pela bola no confronto entre Bournemouth e Newcastle. (Foto: Getty)

Em um jogo muito disputado até o último lance do confronto, Bournemouth e Newcastle compartilharam os pontos após um empate por 2 a 2 no Vitality Stadium. Com o resultado, os Cherries subiram uma posição e foram para a 11ª posição com 38 pontos, já os Magpies estão com 35 pontos na 13ª posição.

Com a bola rolando, os visitantes abriram o placar no último lance da etapa inicial. Almirón fez uma grande jogada individual e sofreu falta na entrada da área. Na cobrança, Salomon Rondón acertou um belo chute e marcou um lindo gol para colocar os Magpies em vantagem.

No começo da etapa final, os Cherries começaram pressionando e conseguiram um penalti após o zagueiro Federico Fernandez puxar o zagueiro do Bournemouth, Nathan Aké, dentro da área. Na cobrança, Joshua King deslocou o goleiro Dubravka e empatou o jogo.

A virada do Bournemouth veio em mais um tento de Joshua King e com outra falha de Federico Fernandez, que não estava em uma boa tarde. O argentino perdeu a bola para Solanke, que entrou dentro da área e rolou para o norueguês marcar o seu segundo gol no jogo e virar o placar.

Quando tudo parecia já perdido, o Newcastle conseguiu achar um ponto no último lance da partida. Em cruzamento de Yedlin, Ritchie acertou um belo chute para empatar o confronto e garantir um ponto crucial na luta do Newcastle contra a degola.

Ficha técnica:

Bournemouth: Boruc, Clyne, Mepham, Ake, Daniels; Lerma, Brooks, Ibe (Solanke 75′), Fraser, King, Wilson

Newcastle: Dubravka, Yedlin, Lejeune, Fernandez, Dummett, Ritchie; Hayden, Diame (Shelvey 83′), Perez (Atsu 72′), Almirón (Muto 82′), Rondón

Fulham 1×2 Liverpool

O Fulham perdeu neste domingo (17) mais um jogo na Premier League, dessa vez não conseguindo parar o Liverpool no Craven Cottage. A partida nunca esteve a favor dos donos da casa, que saíram derrotados pelo placar de 2 a 1.

Sadio Mané foi decisivo para os gols dos Reds, marcando o primeiro e sofrendo o pênalti no segundo tento da equipe. O atacante esteve bem presente nas construções ofensivas apesar de ter chutado apenas 2 vezes ao gol.

Mané e Trent comemorando o primeiro gol do Liverpool sobre o Fulham na vitória dos Reds (Foto: Reprodução Twitter / Liverpool)

Nos 15 minutos iniciais, já era visível que o domínio seria todo do time visitante. O Fulham não ofereceu um combate adiantado e guardava a marcação muito próxima de sua área. O Liverpool ciscava, mas sem intensidade. A falta de espaços também era um empecilho, sendo resolvida apenas aos 26 minutos.

Roberto Firmino enxergou uma avenida, na pequena área, em meio ao beco criado pela defesa adversária. Mané precisou apenas empurrar para as redes.

O segundo tempo não trazia boas expectativas para o Fulham e nem mesmo o gol de empate trouxe ânimos prolongados. A igualdade no marcador foi um presente de Van Dijk e Alisson, que em uma falta de comunicação acabaram por deixar a bola perfeita para Babel aplicar a lei do ex.

Apesar do gol, não foi nem possível dizer que o Fulham poderia surpreender. Três minutos depois, Rico agarrou Mané na pequena área e o árbitro deu pênalti no lance. Milner converteu a batida decretando a vitória do Liverpool e trazendo o time para a posição mais alta da liga com 2 pontos a mais que o vice-líder Manchester City, que tem um jogo a menos.

Ficha técnica:

Fulham: Rico; Fosu-Mensah (Christie 73′), Chambers, Ream, Bryan; Cairney (Kebano 82′), Zambo Anguissa, Seri (Ryan Sessegnon 65′); Ayité, Mitrovic, Babel. Técnico: Scott Parker

Liverpool: Alisson; Alexander-Arnold, Matip, van Dijk, Robertson; Wijnaldum, Fabinho, Lallana (Milner 72′); Mohamed Salah (Sturridge 90′), Roberto Firmino (Origi 72′), Mané. Técnico: Jürgen Klopp

Everton 2×0 Chelsea

Depois de um longo período sem vitórias no Goodison Park, o Everton venceu o Chelsea neste domingo (17), em jogo válido pela 31ª rodada da Premier League. Com gols de Richarlison e Sigurdsson, o time de Liverpool fez 2 a 0 na equipe de Londres.

A partida começou com o Chelsea pressionando o Everton. E a primeira grande chance de jogo foi com o belga Hazard. O camisa 10 invadiu a área e chutou firme para grande defesa de Pickford. Na sequência, o próprio belga conduziu a bola da esquerda para o meio e finalizou colocado. A bola explodiu na trave esquerda do goleiro inglês.

Os Toffees não conseguiram criar ocasiões ofensivas, e só finalizaram uma vez à meta adversária, com um arremate de longa distância do português, André Gomes.

Pickford foi fundamental para a vitória do Everton diante do Chelsea. (Divulgação/Premier League).

Mas a etapa complementar começou diferente. Desta vez, foi o Everton que iniciou com grande ritmo e pressionando o adversário. E essa pressão surtiu efeito.

Após cobrança de escanteio, Mina subiu mais do que todo mundo e obrigou Kepa fazer grande defesa. O goleiro espanhol deu rebote e o brasileiro Richarlison completou para o fundo das redes. 1 a 0 para os donos da casa.

Com o Everton em vantagem no marcador, o jogo ficou um pouco mais equilibrado. Buscando o empate no placar, Sarri colocou Loftus-Cheek e Giroud nos lugares de Barkley e Higuaín. No entanto, mesmo com as alterações, o time londrino perdeu o seu poder de fogo na segunda etapa.

Em contrapartida, o Everton foi ainda mais efetivo e chegou ao segundo gol no jogo. Richarlison sofreu pênalti de Marcos Alonso. Sigurdsson bateu, Kepa fez a defesa, mas, na sobra, o islandês mandou para o fundo das redes.

Sigurdsson e Richarlison foram os responsáveis por dar números finais ao confronto. (Divulgação/Premier League)

Depois do segundo gol dos mandantes, o Chelsea foi com tudo para cima. Sarri colocou Hudson-Odoi no lugar de Jorginho e abriu ainda mais o time.

Mais ofensivo, o Chelsea ensaiou uma pressão. No entanto, os Blues não conseguiram atacar com a mesma organização da primeira etapa.

Com a vitória, o Everton chega aos 40 pontos, mas continua na décima primeira posição. Já o Chelsea permanece com os mesmos 57 pontos, na sexta colocação. Vale ressaltar que os Blues possuem um jogo a menos em relação aos adversários.

Ficha técnica:

Everton: Pickford; Coleman (c), Mina, Keane, Digne; Gueye, Sigurdsson (Tom Davies 85’), Gomes (Schneiderlin 68’), Bernard (Walcott 78’) e Richarlison; Calvert-Lewin.

Chelsea: Kepa; Azpilicueta (c), Rüdiger, David Luiz, Marcos Alonso; Jorginho (Hudson-Odoi 74’), Kanté, Barkley (Loftus-Cheek 66’); Hazard, Pedro e Higuaín (Giroud 66’).