2ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Confira os destaques de todos os jogos da segunda rodada da Women's Super League!

2ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Marc Atkins/Getty Images)

A 2ª rodada da WSL 2020/2021 chegou com tudo! Isso porque em seis jogos, foram 31 gols marcados, assim com uma média de mais de cinco por partida. Grandes goleadas, artilheiras se destacando, várias bolas na rede… em resumo, muita emoção.

Confira o que de melhor aconteceu em mais uma rodada da Women's Super League!

West Ham 1×9 Arsenal

2ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Marc Atkins/Getty Images)

A 2ª rodada da WSL 2020/2021 começou com uma goleada digna de ficar para a história. Pois fora de casa, o Arsenal não tomou conhecimento e aplicou um sonoro 9 a 1 no West Ham. É a segunda goleada seguida das Gunners, uma vez que no primeiro jogo fizeram 6 a 1 no Reading. Assim, são incríveis 15 gols em duas partidas.

Por incrível que pareça, o jogo começou parelho. Nos primeiros 20 minutos, o West Ham começou bem e trouxe perigo. O Arsenal chegou a abrir o placar aos 23 com Jill Roord, e quatro minutos depois Kenza Dali empatou. Mas aos 34 minutos, as Hammers desmoronaram.

No mesmo intervalo de tempo, Vivianne Miedema fez 2 a 1, e a capitã Gilly Flaherty foi expulsa com o segundo amarelo. Com isso, dali para a frente, foi um monólogo vermelho. Em duas belas jogadas ainda no primeiro tempo, Kim Little e Beth Mead ampliaram para 4 a 1. Pois o placar que já parecia elástico na primeira etapa, abriu de vez na segunda.

No começo da segunda etapa, Roord fez mais um, só que anulado por impedimento. Porém, aos sete e aos 11 minutos, ela marcou duas vezes, agora para valer. Segundo hat-trick da meia holandesa em dois jogos na temporada. E nesse meio tempo, aos nove, Miedema já havia feito mais um, e o 7 a 1 pingou no placar.

Depois as Gunners até tiraram o pé. Porém ainda deu tempo de fazer mais. Aos 27, a zagueira Leah Williamson balançou as redes. E posteriormente, aos 41, Caitlin Foord deu números finais. Em um jogo que foi usado pela FA como evento teste para volta do público nos estádios ingleses, 734 pessoas foram ao Chigwell Construction Stadium. Entretanto, viram as mandantes West Ham saírem humilhadas pelas rivais.

Ficha técnica:

West Ham: Arnold; Fisk, Flaherty, Vetterlein, Pacheco; Cho, Svitková (Kvamme), Dali (van Egmond); Lehmann (Grant), Daly, Leon (Kiernan). Técnico: Matt Beard.

Arsenal: Zinsberger; Maritz, Williamson, Schnaderbeck (Gut), Catley (McCabe); Wälti, Little (van de Donk), Roord (Foord); Nobbs, Mead (Evans), Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Chelsea 9×0 Bristol City

Não é só o Arsenal que tem dado show nessa WSL. Após tropeço na primeira rodada diante do Manchester United, o Chelsea buscava a redenção. Já o Bristol City vinha de derrota por 4 a 0 contra o Everton e sabia que teria pedreira pela frente.

E portanto, não deu outra. As Blues dominaram praticamente desde o pontapé inicial e abriram o placar aos 15 minutos com Fran Kirby. Aos 31, a capitã Maren Mjelde, de pênalti, ampliou.

A partir do segundo gol, a porteira abriu de vez para as donas da casa. Pois entre os 34 e os 40 minutos o Chelsea anotou mais três tentos, com a recém-contratada Melanie Leupolz, Erin Cuthbert (que já havia distribuído duas assistências antes) e Millie Bright.

Mesmo com a já larga vantagem de 5 a 0, as Blues não tiraram o pé na segunda etapa. Assim, aos 21 a artilheira Bethany England deixou o seu. Sete minutos depois, as novatas Niamh Charles e Pernille Harder, esta a grande contratação da temporada, ampliaram para 8 a 0.

Por fim, nos minutos finais, Harder providenciou a assistência e Sam Kerr, esta a grande contratação da temporada passada, fechou o placar. Com o imponente 9 a 0, o Chelsea inegavelmente se reabilita, e chega à terceira colocação. Já o Bristol City, com 13 gols sofridos e nenhum marcado em dois jogos, amarga a lanterna.

Ficha técnica:

Chelsea: Berger; Mjelde (Thorisdottir), Bright, Eriksson, Blundell; Leupolz (Charles), Ji (Spence), Cuthbert; Kirby (Fleming), England (Harder), Kerr. Técnica: Emma Hayes.

Bristol City: Baggaley; Allen (Bryson), Matthews, Evans, Purfield; Humphrey (Harrison), Logarzo, Palmer (Rafferty), Mastrantonio; Daniels (Bissell), Wellings (Salmon). Técnica: Tanya Oxtoby.

Everton 1×0 Tottenham

De um jogo entre dois times consolidados do meio de tabela? Equilíbrio. Mas não foi o que aconteceu em Everton e Tottenham. Apesar de vencerem apenas por 1 a 0, as mandantes surpreendentemente dominaram a partida na 2ª rodada da WSL 2020/2021. Elas chegam a duas vitórias em dois jogos. Já o Tottenham soma um ponto.

No começo do jogo, Lucy Graham desperdiçou uma boa chance para o Everton. As Toffees seguiram firmes e criaram duas boas oportunidades com Hayley Raso. Entretanto, a goleira Becky Spencer fez defesas importantes e o placar seguiu zerado. Já posteriormente, aos 41, as Spurs chutaram pela primeira vez ao gol com Josie Green forçando defesa de Sandy Maclver.

Veio o segundo tempo e o Everton começou melhor. Contudo, uma mudança fez a diferença: o técnico Willie Kirk pôs Nicoline Sorensen em campo. Seu impacto foi direto. Pois aos seis minutos, ela cruzou na área e Izzy Christiansen desviou bem de cabeça, tirando de Spencer e abrindo o placar.

Posteriormente, com o 1 a 0, o Everton foi apenas controlando o marcador, sem aparecer criando grandes oportunidades. Contudo, as Toffees mantiveram o domínio. Já as Spurs mostraram problemas ofensivos e não conseguiram ser perigosas. Enfim, no fim das contas o resultado refletiu a partida e a vitória das mandantes foi merecida, visto que inegavelmente fizeram bem mais pelos três pontos.

Ficha técnica:

Everton: Maclver; Wold, Finnigan, Sevecke, Turner; Stringer, Christiansen, Emslie (Sorensen), Graham (Clemaron), Raso (Boye-Hlorkah); Magill (Gauvin). Técnico: Willie Kirk.

Tottenham: Spencer; Percival, Zadorsky, Harrop (Dean), Neville; Green (Peplow), Kennedy, Leon (Ayane), Graham, Addison (Davison); Williams (Quinn). Técnicos: Karen Hills e Juan Amorós.

Reading 3×1 Aston Villa

Depois de perderem para favoritos Arsenal e Manchester City, respectivamente, na primeira rodada, Reading e Aston Villa buscavam a reabilitação. Mas para as mandantes isso era algo ainda maior, após levarem 6 a 1 na primeira rodada. A redenção veio muito bem, com uma boa vitória para as Royals.

O Reading começou com tudo, pressionou, e o resultado veio no primeiro tempo. Primeiramente, aos 24, após rápido contra-ataque e bela assistência da craque Fara Williams, a atacante norueguesa Amalie Eikeland deu números iniciais ao marcador.

O Aston Villa até melhorou e criou uma boa oportunidade com a meia Chloe Arthur. Desta forma, parecia que a situação melhoraria para as Villains. Mas no fim da primeira etapa, o Reading sacramentou. Aos 40, Lauren Bruton fez o segundo. E aos 48, de pênalti, Fara Williams tinha que guardar o dela, e com estilo – de pênalti com cavadinha.

Com o 3 a 0 para o segundo tempo, a partida inegavelmente estava sacramentada. O Reading começou melhor e até perdeu uma grande chance com Eikeland aos 20 minutos. Por outro lado, o Villa sofria muito e nada criava. Aos 34, em cobrança de pênalti, Stine Larsen até diminuiu.

Mas o placar ficou mesmo no 3 a 1. Indiscutivelmente, vitória imponente do Reading dentro de casa.

Ficha técnica:

Reading: Moloney; Harding, Cooper, Bartrip, Mitchell; Williams, James, Fishlock, Eikeland; Bruton, Carter. Técnica: Kelly Chambers.

Aston Villa: Weiss; Franklin-Fraiture, N’Dow, Haigh, Siems; Ewers, Petzelberger, Arthur; Follis, Diana Silva, Larsen. Técnica: Gemma Davies.

Manchester City 0x0 Brighton

2ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Charlotte Tattersall/Getty Images)

Após vitórias relativamente tranquilas em suas estreias, Manchester City e Brighton se enfrentaram pela 2ª rodada da WSL 2020/2021 com objetivos muito claros. As Citizens buscavam a vitória com o intuito de se consolidarem na briga pela ponta da tabela. Já as Seagulls queriam surpreender e, acima de tudo, mostrar que realmente podem alçar voos mais altos.

Diante de seus respectivos contextos, o primeiro tempo ilustrou bem o objetivo de cada equipe. Com o técnico da seleção inglesa, Phil Neville, nas arquibancadas, as anfitriãs se lançaram ao ataque. Enquanto isso, as visitantes investiam apenas em raros lances de contragolpe.

Apesar de estrearem os reforços Alex Greenwood e Lucy Bronze nas laterais, as Citizens sofreram para furar o bloqueio visitante. Na primeira etapa, Georgia Stanway, artilheira do time na temporada, Ellen White e Chloe Kelly perderam grande chances. Esta última parou em grande defesa da goleira Megan Walsh.

No segundo tempo, as comandadas de Gareth Taylor tentaram acelerar mais o jogo. Com as entradas de Janine Beckie e Caroline Weir, aos 18 e aos 31 minutos, o time ganhou mais intensidade e objetividade no meio-campo, mas seguiu esbarrando na boa partida do setor defensivo adversário, sobretudo da goleira Walsh.

E além disso, as visitantes por pouco não causaram uma zebra ainda maior. Aos 26, a jovem lateral Maya Le Tissier, de 18 anos, finalizou para grande defesa da arqueira Citizen Ellie Roebuck. Aos 39, a capitã Danielle Bowman cobrou falta da entrada da área, mas a bola passou raspando a trave.

As visitantes deixaram o campo satisfeitas pela boa partida diante de uma das favoritas. Já as anfitriãs tropeçam pela primeira vez. Assim mostram que, se querem reconquistar a WSL, terão de ser eficientes em jogos como este.

Ficha técnica:

Manchester City: Roebuck; Bronze, Houghton, Bonner, Greenwood; Walsh, Mewis (Scott), Coombs (Weir); Stanway, White (Beckie) e Kelly. Técnico: Gareth Taylor.

Brighton: Walsh; Le Tissier, Kerkdijk, Stott, Williams (Barton); Bowman, Connolly (O'Sullivan); Whelan, Kaagman (Heroum), Green; Jarrett. Técnica: Hope Powell.

Birmingham 2×5 Manchester United

Birmingham e Manchester United se enfrentaram em busca da primeira vitória. Enquanto o primeiro perdeu para o Brighton, o segundo ficou no empate com o Chelsea. O jogo foi movimentado, mas o favoritismo prevaleceu: três pontos para as visitantes.

Desta vez, as Reds começaram bem a partida, pressionando e ditando as ações. Assim, logo aos cinco minutos, Kirsty Hanson disputou bola com a goleira Hannah Hampton e ela sobrou para Ella Toone. A camisa 7 cruzou na cabeça de Jane Ross e a atacante testou para o fundo das redes.

Mesmo com a vantagem o Manchester continuava a criar, mas pecava no último passe. Entretanto, o time errou também na saída de bola. Em um desses erros, Claudia Walker venceu no corpo e mandou no canto de Mary Earps. Era o empate do Birmingham. O United sentiu o gol, e as mandantes viraram aos 27: Sarah Mayling cobrou falta e Abbie McManus desviou contra o próprio gol.

A partida se desenhava desastrosa para as mancuinanas. Mas aos 36 minutos, em uma falta na entrada da área, Katie Zelem bateu com maestria e deixou tudo igual. Então para o segundo tempo entraram Amy Turner, Hayley Ladd e Alessia Russo, e o ataque voltou a funcionar.

Aos dois minutos da segunda etapa, cruzamento de Hanson e gol de Toone. Foi um baque para o Birmingham, que não conseguia sequer ficar com a bola. O Man United ditava o ritmo e, portant, Hanson tratou de por números finais à partida. Primeiro, recebeu em jogada de Jackie Groenen e mandou para o gol. Por fim, com assistência de Russo, fechou o 5 a 2.

Ficha técnica:

Birmingham: Hampton, Scott (Toussaint), Corsie, Brougham, Holloway, Green, Whipp, Murray, Mayling, Walker, Kelly (Scofield). Técnica: Carla Ward

Manchester United: Earps; Smith (Ökvist), McManus (A. Turner), M. Turner, Batlle; Groenen, Zelem (Ladd), Hanson, Toone, Galton, Ross (Russo). Técnica: Casey Stoney

Classificação após a 2ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Arsenal: 6
2º – Everton: 6
3º – Chelsea: 4
4º – Manchester United: 4
5º – Brighton: 4
6º – Manchester City: 4
7º – Reading: 3
8º – Tottenham: 1
8º – West Ham: 1
9º – Aston Villa: 0
10º – Birmingham: 0
11º – Bristol City: 0

Próxima rodada (3ª de 22):

– Birmingham x Chelsea, 04/10
– Aston Villa x Everton, 04/10
– Arsenal x Bristol City, 04/10
– West Ham x Reading, 04/10
– Manchester City x Tottenham, 04/10
– Manchester United x Brighton, 04/10

Texto produzido por Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Karyne Teixeira.