24ª rodada da Premier League: confira o resumo dos jogos

5 times do Big 6 tropeçaram na rodada!

0
255
24ª rodada da Premier League: confira o resumo dos jogos
King comemorando gol pelo Bournemouth na goleada contra o Chelsea. (Foto: Reprodução / AFC Bournemouth)

Grandes partidas marcaram a 24ª rodada da Premier League. Veja o resumos dos jogos que movimentaram o meio de semana do Campeonato Inglês.

Manchester United 2×2 Burnley

Uma defesa sólida do Burnley dificultou a vida do Man United (Foto: EveningStandard)

O primeiro tempo entre os times se encerrou sem gols e com uma atuação “desleixada” da equipe do United, que parecia estar em um ritmo mais lento.

O segundo tempo abriu da mesma forma, e aos 51 minutos o volante Andreas Pereira falhou em um drible perto da área. Assim, entregou a bola para Jack Cork, que adentrou a grande área dos Devils. Ele entregou a pelota para que Ashley Barnes enviasse um petardo para dentro das traves do United.

Numa disputa de bola, Pogba sentiu dores na virilha por um instante, dando a posse de bola para Westwood. O meia cruzou na cabeça de Chris Wood, que, aproveitando-se de uma “bobeada” da defesa do United, ampliou o placar aos 81 minutos.

Contudo, mostrando uma garra ímpar (apesar da falta de criatividade), o United arranjou um pênalti quando Lingard foi derrubado por Westwood.

Pogba converteu a penalidade, mandando a bola no ângulo aos 87. Nos acréscimos, Lindelöf acertou um cabeceio após um rebote do goleiro Tom Heaton e empatou a partida.

Apesar da atuação medíocre, o United segue invicto sob o comando de Ole. Paralelamente, o Burnley pode orgulhar-se de uma partida muito boa perante um adversário técnica e financeiramente superior.

Ficha Técnica

United: De Gea, Young, Lindelöf, Jones, Shaw, Matic, Pereira (Lingard), Pogba, Mata, Rashford, Lukaku (Sánchez). Técnico:
Ole Gunnar Solskjær.

Burnley: Heaton, Bardsley, Tarkowski, Ben Mee, Taylor, Hendrick, Westwood, Cork, McNeil (Gudmundsson), Barnes, Wood. Técnico: Sean Dyche.

Huddersfield 0x1 Everton

Com gol de Richarlison, Everton afunda ainda mais o Huddersfield. (Divulgação/Premier League)

Segue o drama do Huddersfield na atual temporada da Premier League. Com apenas 1 ponto conquistado nos últimos 36 disputados, os Terriers receberam o Everton e acumularam nova derrota, se distanciando ainda mais de uma improvável permanência.

A partida mal começou e o Everton já abriu o marcador. Logo aos 2 minutos de partida, Bernard encontrou Davies, que cruzou para Richarlison.

O brasileiro precisou de duas finalizações para vencer o arqueiro Lössl. O gol cedo não abateu os donos da casa, que foram pra cima. O cenário só mudou quando Digne foi expulso aos 21 minutos.

Com um jogador a mais e precisando desesperadamente da vitória, o Huddersfield abafou o Everton. Mooy, em cobrança de falta, e Kachunga, em bela cabeçada, quase empataram a partida, mas ambos pararam em belas defesas de Pickford.

Ao apito final, o Huddersfield segue na lanterna com apenas 11 pontos conquistados. O Everton, por sua vez, se recupera da derrota sofrida na rodada passada e sobe para a 8ª colocação com 33 pontos.

Ficha técnica

Huddersfield Town: Lössl; Hadergjonaj, Jorgensen, Schindler, Kongolo; Hogg (Mooy 55′), Bacuna, Puncheon; Diakhaby (Depoitre 87′), Mounié, Kachunga (Löwe 81′). Técnico: Jan Siewert.

Everton: Pickford; Coleman, Zouma, Keane, Baines (Baines 55′); André Gomes, Davies, Bernard, Sigurdsson, Richarlison (Calvert-Lewin 86′); Tosun (Kenny 70′). Técnico: Marco Silva.

Arsenal 2×1 Cardiff

Lacazette e Aubameyang comemorando o primeiro gol dos Gunners na partida. (Divulgação/Premier League)

Após a derrota para o Manchester United pelo placar de 3 a 1 na Copa da Inglaterra, o Arsenal voltou a campo nesta terça-feira pela 24ª rodada da Premier League e venceu a equipe do Cardiff City no Emirates Stadium.

Nos primeiros 15 minutos da partida o Arsenal tomou conta da posse de bola e quase abriu o placar logo no minuto inicial com Lacazette.

Após um começo mais frenético, o jogo caiu em intensidade. O Arsenal ainda comandou o jogo no restante da primeira etapa, mas não conseguiu ser efetivo e chegar com perigo ao gol do Cardiff.

O segundo tempo voltou com a mesma trama da primeira etapa. Aos 20, os mandantes finalmente abriram o placar. Kolasinac sofreu pênalti infantil de Manga, Aubameyang bateu e anotou seu décimo quinto gol na Premier League.

Aos 82 minutos, Lacazette fez grande jogada individual pelo lado direito e mandou para o fundo das redes para ampliar o placar.

No finalzinho, o Cardiff descontou com um belo gol de Mendez-Laing, que invadiu a área e bateu colocado no canto direito de Leno.

Com o resultado, o Arsenal chega aos 47 pontos e encosta no Chelsea para uma vaga na Champions League. Já o Cardiff continua com os mesmos 19 pontos e na décima oitava posição da Premier League.

Ficha Técnica:

Arsenal: Leno; Lichtsteiner (Jenkinson 60’), Monreal, Mustafi, Kolasinac; Elneny (Iwobi 45’), Torreira, Guendouzi, Özil (Ramsey 76’); Aubameyang, Lacazette. Técnico: Unai Emery.

Cardiff: Etheridge; Peltier, Bennett, Manga, Bamba; Arter (Harris 81’), Ralls, Paterson, Gunnarsson; Bobby Reid (Mendez-Laing 70’), Niasse (Zohore 72’). Técnico: Neil Warnock.

Wolverhampton 3 x 0 West Ham

Foto: Sky Sports

Um duelo de duas equipes “alternativas” gerou expectativa em muitos. Por jogarem um futebol ofensivo e agradável, Wolves x West Ham foi uma partida bem aguardada.

O primeiro tempo foi bem equilibrado. Como esperado, as equipes buscaram o gol desde o início do jogo. Quem teve as melhores oportunidades foi o Wolves.

Para o segundo tempo, os Lobos voltaram mais criativos. E a recompensa veio. Aos 21 minutos da etapa final, João Moutinho cobrou escanteio e o zagueiro Saiss cabeceou para o gol. 1 a 0!

O Wolves continuou pressionando e, aos 35, ampliou. Após falta cobrada por João Moutinho, Gimenez se antecipou à zaga e mandou para o fundo do gol. 2 a 0!

Cinco minutos depois, o Wolves mata o jogo. Diogo Jota partiu em velocidade, lançou Gimenez e o atacante marcou seu segundo gol na partida.

Com a vitória, os donos da casa alcançaram 35 pontos e seguem sonhando com vaga na Liga Europa. Pelo lado do West Ham, a frustração por a equipe oscilar tanto.

Ficha Técnica

Wolves: Rui Patrício; Bennett, Coady e Saiss; Doherty, Dendoncker, Rúben Neves, João Moutinho (Ivan Cavaleiro) e Jonny Castro (Rúben Vinagre); Giménez e Diogo Jota (Gibbs-White). Técnico: Nuno Espírito Santo.

West Ham: Fabianski; Zabaleta, Diop, Ogbonna e Masuaku; Snodgrass (Obiang), Noble (Carroll), Rice e Felipe Anderson; Antonio e Arnautovic (Hernández). Técnico: Manuel Pellegrini.

Newcastle 2×1 Manchester City

Rondón celebra seu gol, o primeiro da virada do Newcastle sobre o Man City

Jogando em casa, o Newcastle conquistou uma vitória gigantesca. Para si próprio, obviamente, conseguindo abrir uma folga de cinco pontos para a zona de rebaixamento, mas também para o líder Liverpool, que viu seu principal rival na luta pelo título estacionar nos 56 pontos.

Não parecia ser um dia feliz para os torcedores em St James Park. Logo na primeira jogada da partida, aos 24 segundos, Agüero recebeu a bola livre, no meio da área, e marcou o gol.

O City teve o domínio da bola (76% de posse), no entanto pouco assustou o goleiro Dubravka (quatro finalizações no alvo). O time não conseguiu imprimir sua velocidade característica e errou muitos passes.

Aos poucos os donos da casa conseguiram sair da defesa e executar algumas jogadas ofensivas. Aos 21, Rondón teve a chance na entrada da pequena área e empatou. Aos 35, Fernandinho errou na saída de bola e cometeu pênalti em Longstaff, convertido por Ritchie.

Foi a primeira vitória do Newcastle sobre o Manchester City desde setembro de 2005. Desde então foram 22 jogos, com 19 derrotas e três empates.

Foi o 100º jogo de Pep Guardiola comandando os Citizens pela Premier League. São 73 vitórias, 15 empates e 12 derrotas, para 234 pontos. Apenas José Mourinho fez mais pontos (237) em suas 100 primeiras partidas pela liga.

Ficha Técnica

Newcastle: Dubravka; Yedlin, Schär, Lascelles, Lejeune e Ritchie; Perez (Manquillo 90´), Hayden, Longstaff e Atsu (Kenedy 87´); Rondón. Técnico: Rafael Benitez.

Manchester City: Ederson; Walker, Stones, Laporte e Danilo (Gündogan 83´); Fernandinho, De Bruyne (Bernardo 65´), Silva, Sterling e Sané (Gabriel Jesus 73´); Agüero. Técnico: Pep Guardiola.

Fulham 4×2 Brighton

Mitrovic marcou duas vezes na virada do Fulham pra cima do Brighton. (Twitter – Premier League)

No Craven Cottage, os torcedores assistiram a uma partida movimentada, em que cada tempo foi comandado por uma equipe.

O Brighton começou avassalador, abrindo o placar logo aos três minutos com Glenn Murray.

A equipe do sul da Inglaterra seguiu pressionando, ampliando a vantagem mais uma vez com Murray. Os Seagulls ainda criaram outras chances, no entanto não conseguiram convertê-las em gols.

O Fulham, que parecia estar condenado a sofrer mais um revés, voltou com uma postura totalmente distinta para a segunda etapa.

Os Cottagers diminuíram a desvantagem logo no início do segundo tempo com Calum Chambers.

O gol animou o time da casa, que partiu pra cima dos visitantes em busca do empate que não demorou a acontecer. Aleksandar Mitrovic igualou o marcador para o Fulham.

O time londrino seguiu pressionando, virando o jogo 16 minutos após o empate, outra vez com Mitrovic.

Mesmo tendo assumido a vantagem no marcador a equipe londrina seguiu pressionando o Brighton, ampliando o marcador com Luciano Vietto já na reta final da partida.

Com a vitória, o time comandado por Cláudio Ranieri ganha sobrevida na luta contra o rebaixamento.

Ficha Técnica

Fulham: Rico, Odoi, Marchand, Ream (Cairney 27’), Christie, Chambers, Seri, Bryan (Sessegnon 77’), Schürrle (Vietto 46’), Babel, Mitrovic. Técnico: Cláudio Ranieri.

Brighton: Ryan, Montoya, Duff, Dunk, Bong, Grob (Andone 77’), Stephens, Pröpper, March, Locadia (Knockaert 71’), Murray. Técnico: Chris Hughton.

Tottenham Hotspur 2×1 Watford

Llorente perde gol inacreditável perante o goleiro Foster. (Foto: Premier League)

Os Spurs receberam o Watford em Wembley para tentar manter a boa classificação na Premier League.

O jogo começou com ambas equipes com uma estratégia de contra-ataque de velocidade. Mas, aos 38 minutos, Cathcart abriu o placar para o Watford. O gol saiu de um cabeceio após um escanteio.

Após o intervalo, o Watford já assumia uma postura completamente defensiva, enquanto o time de Pochettino tentava ataques velozes e bolas aéreas.

Aos 80, Son Heung-Min empatou para os Spurs com um petardo de esquerda após assistência de Llorente.

O placar foi fechado aos 87 minutos quando o mesmo Llorente, fazendo jus à sua altura de poste, acertou um cabeceio no contrapé do goleiro do Watford.

Ficha Técnica

Tottenham: Lloris, Alderweireld, Sánchez, Vertonghen (Lamela), Aurier (Lucas), Sissoko (Trippier), Winks, Erikssen, Rose, Llorente, Son Heung-Min. Técnico: Maurício Pochettino.

Watford: Foster, Janmaat, Mariappa, Cathcart, Holebas, Cleverley (Wilmot), Capoue, Hughes, Pereyra, Deulofeu (Success), Deeney. Técnico: Javi Gracia.

Liverpool 1×1 Leicester

Liverpool não conseguiu furar a forte defesa dos Foxes em Anfield (Foto: Getty Images Sports/Alex Livesey/Danehouse)

Certamente não era o resultado que o torcedor dos Reds esperava, após a derrota do Manchester City para o Newcastle.

Durante o intervalo entre os jogos, o Liverpool só pensava na possibilidade de abrir sete pontos para o City, e isso talvez pesou para os Reds.

O Leicester foi a campo com um time compacto e se portou de maneira fechada, buscando reduzir os espaços de criação da equipe do Liverpool, principalmente do quarteto Shaqiri, Firmino, Salah e Mané.

Mesmo assim, o time de Anfield abriu o placar com apenas dois minutos em boa jogada e finalização de Sadio Mané. Parecia que o Liverpool não sofreria tanto.

Mas só parecia. Já que no último lance do primeiro tempo, o zagueiro Harry Maguire deixou tudo igual no placar.

A segunda etapa foi um verdadeiro ataque contra defesa, com a equipe do Leicester criando raras chances em contra-ataques, principalmente com Vardy e Gray.

O Liverpool bem que tentou uma pressão, mas não surtiu efeito na sólida defesa do Leicester City.

Ficha técnica

Liverpool: Alisson, Henderson, Matip, van Dijk, Robertson; Wjinaldum, Keita (Fabinho, 66’); Shaqiri (Lallana, 66’), Salah, Firmino (Sturridge, 81’), Mané. Técnico: Jürgen Klopp.

Leicester: Schmeichel, Ricardo Pereira, Evans, Maguire, Chilwell; Albrighton, Mendy, Ndidi, Gray (Okazaki, 83’), Maddison (Choudhury, 74’); Vardy (Iheanacho, 89’). Técnico: Claude Puel.

Southampton 1×1 Crystal Palace

Zaha levou dois cartões amarelos em menos de um minuto e foi expulso (Foto: Mansfield/Getty Images)

No St Mary’s Stadium, Southampton e Crystal Palace fizeram um jogo fundamental para a parte de baixo da tabela. Com o empate em 1 a 1, as duas equipes agora somam 23 pontos na tabela e estão 4 pontos à frente do Cardiff, primeiro time do Z4.

Com a bola rolando, o Crystal Palace saiu na frente dos donos na casa já no final da etapa inicial. Townsend recebeu na entrada da área e antes de sofrer falta de Oriol Romeu, rolou para Zaha chutar forte e sem chances para McCarthy.

O empate do time da casa veio em uma ótima jogada coletiva dos comandados de Ralph Hasenhuttl. Armstrong recebeu de Redmond e deu ótimo passe para Targett cruzar na área e encontrar Ward-Prowse livre para chutar cruzado e marcar.

No final da partida, Wilfred Zaha foi expulso por direcionar palmas irônicas em direção ao árbitro Andre Marriner.

O Southampton até esboçou uma pressão para buscar o gol da vitória com um jogador a mais, mas os Eagles se seguraram e cada lado acabou levando um ponto.

Ficha técnica

Southampton: McCarthy, Bednarek, Stephens, Vestergaard (Elyounoussi 75’); Valery (Armstrong 62’), Hojberg (Slaterry 84’), Romeu, Ward-Prowse, Targett; Redmond, Ings. Técnico: Ralph Hasenhuttl

Crystal Palace: Guaita, Wan-Bissaka, Tomkins (Dann 91’), Sakho, van Aanholt; Kouyaté (Schlupp 71’), Milivojevic, McArthur; Zaha, Townsend, Ayew. Técnico: Roy Hodgson

Bournemouth 4×0 Chelsea

Bournemouth comemorando um dos 4 gols contra o Chelsea. (Foto: Reprodução / Mirror)

O Chelsea viajou até Bournemouth para jogar no Vitality Stadium contra os Cherries pela 24ª rodada. A proposta do time londrino era se recuperar após a derrota no derby contra o Arsenal.

Porém, fora a ideia dos donos da casa em emplacar uma segunda vitória seguida que prevaleceu. O Bournemouth fez um 4 a 0, resultado que tirou os Blues da classificação para a Champions League.

Os primeiros 45 minutos foram frios como o tempo que rondava o estádio, com apenas 11 oportunidades de chutes criadas por ambos os times.

Apenas no segundo tempo que o clima esquentou no gramado. Logo aos 46 minutos, King recebeu bola rolada da esquerda para o meio da área e chutou sem chances de defesa.

O segundo veio de um passe errado de David Luiz no meio-campo. Com a defesa adiantada em pressão ao adversário, Brooks teve facilidade em encontrar espaço para tabelar com King e marcar o segundo de sua equipe.

O gol teve requintes de crueldade, pois David ainda se recuperou no lance, mas sofreu um drible antes do meia bater para balançar as redes.

Aos 74, King tratou de encaminhar a vitória para o Bournemouth ao receber de Stanislas no contra-ataque. Daniels ainda confirmou a goleada sobre o Chelsea no último lance, após cabecear a bola para o fundo das redes.

Ficha técnica

Bournemouth: Boruc; Clyne, S. Cook, Aké, Smith; Brooks (Jordon Ibe, 68’), Gosling, Surman, Fraser (Daniels, 90+2’); Stanislas (Chris Mepham, 90+5’); King. Técnico: Eddie Howe

Chelsea: Kepa; Azpilicueta, David Luiz, Rudiger, Emerson; Kanté, Jorginho, Kovacic (Loftus-Cheek, 77’); Pedro (William, 61’), Higuaín (Giroud, 65’), Hazard. Técnico: Maurizio Sarri