22ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos (últimos) jogos da Women’s Super League

A 22ª rodada e última da WSL 2020/2021 foi emocionante! Todas as disputas na tabela foram fechadas em um fim de semana de grandes partidas.

0
28
22ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos (últimos) jogos da Women’s Super League
(Foto destacada: John Walton/Imago Images)

Acabou a temporada da Women's Super League!! A 22ª e última rodada da WSL 2020/2021 definiu tudo que era possível no campeonato. No fim das contas, deu a lógica: Chelsea campeão, Arsenal com a última vaga na Uefa Women's Champions League e Bristol City rebaixado.

Confira o resumo dos últimos jogos desta edição da liga feminina inglesa!!

Chelsea 5×0 Reading

O jogo da 22ª rodada da WSL 2020/2021 que valia o bicampeonato para Chelsea, diante do Reading, foi marcado também pela despedida de Fara Williams do futebol, e por mais uma grande aparição da dupla Sam Kerr e Fran Kirby, responsáveis por três gols da partida em Kingsmeadow. Os tentos foram de Melanie Leupolz, Fran Kirby (2x), Sam Kerr e Erin Cuthbert.

Uma das partidas mais importantes da rodada iniciou de cara com gols. Aos dois minutos, Jess Carter cobrou escanteio e Leupolz foi certeira em sua finalização, abrindo o placar para as Blues. Aos 17, Ji So Yun encontrou Sam Kerr na área adversária, mas a defesa desviou para escanteio.

Após isso, o Chelsea se mostrava dominante na partida, mas ao mesmo tempo, não conseguia criar chances claras de gol, com a marcação do Reading sendo bem eficiente. As jogadas de destaque das Royals buscavam Danielle Carter, mas foram bem desarmadas pela zaga. Aos 43 minutos, Kerr cruzou para Kirby, que chutou de forma certeira, ampliando a vantagem do Chelsea.

No segundo tempo, o Reading teve boas oportunidades. A primeira através de um escanteio e finalização de Angharad James e depois com a aparição de Natasha Harding e Kristine Leine. Aos 12 minutos, Brooke Chaplen chegou bem na defesa, mas foi desarmada. Em seguida, Kerr recebeu o lançamento da zaga e passou para Kirby, que mesmo com a defesa cobrindo, aproveitou e marcou o terceiro das Blues.

Aos 25 minutos, Chaplen passou para Carter, que finalizou para fora. Logo, Kirby passou a bola para Kerr fazer o seu 21º gol na competição, consolidando a artilharia do campeonato. Quatro minutos depois, após Grace Moloney defender cabeceio de Kerr, Cuthbert pegou o rebote e marcou o quinto mesmo em volta da marcação do Reading.

Com a vitória, as Blues conquistam o quarto título inglês de sua história. E ainda tem chance de marcar as páginas de conquistas mais uma vez: no próximo dia 16, enfrentam o Barcelona pela final da Uefa Women's Champions League. Melhor momento impossível para as comandadas de Emma Hayes.

Ficha Técnica:

Chelsea: Berger; Charles (Andersson), Eriksson, Bright, Carter (Blundell); Leupolz (Fleming), Ingle; Kirby, Ji (Reiten), Harder (Cuthbert); Kerr. Técnica: Emma Hayes.

Reading: Moloney, Leine, Cooper, Bartrip, Roberts; Harding, James, Rowe, Williams, Carter; Harries (Chaplen). Técnica: Kelly Chambers.

West Ham 0x1 Manchester City

O Manchester City ainda tinha chance de título, mas precisava vencer o West Ham e torcer por um tropeço do Chelsea na 22ª rodada da WSL 2020/2021. No fim das contas, a taça não veio, e as Citizens terminaram pela quinta vez seguida na vice-liderança da liga.

A partida começou bem movimentada com as Citizens já buscando abrir o placar através de Sam Mewis, mas sua finalização foi facilmente defendida pela goleira Mackenzie Arnold. Aos 11 minutos, Janine Beckie subiu em velocidade para a área do West Ham, mas perdeu o contra ataque por não ter para quem passar.

Aos 22 minutos, Kenza Dali passou para Hawa Cissoko, que finalizou bem perto da trave. Em seguida, Caroline Weir finalizou no travessão. Aos 32, uma jogada entre Beckie e Lauren Hemp chegou em Weir, que finalizou bem mas o chute foi defendido por Arnold. Aos 39, a goleira Hammer fez o pênalti em Ellen White, na grande chance de abrir o placar… mas a arqueira defendeu a cobrança feita por Mewis.

No segundo tempo, o City começou enérgico em busca dos três pontos, com duas grandes oportunidades de Mewis e Esme Morgan, que pararam no travessão. Aos 21 minutos, outra chance de Weir para Mewis, mas defendida novamente por Arnold. Aos 30, depois de muitas tentativas, Lucy Bronze encontrou White, que desta vez finalizou de forma efetiva no gol, sem chances para goleira, abrindo o placar.

Aos 37 minutos, Cissoko fez um pênalti em cima de Bronze, e Arnold defendeu a cobrança de Rose Lavelle. Foi a segunda defesa de pênalti da goleira do West Ham no jogo, o que não foi suficiente para evitar a derrota. O West Ham, que tinha sua vaga na primeira divisão praticamente garantida, apenas assegurou a permanência.

Ficha Técnica:

West Ham: Arnold; Fisk, Flaherty, Cissoko; Barker (Kiernan), Vetterlein (Mustafa), Denton, Pacheco; Dali, Brynjarsdóttir, Longhurst. Técnico: Olli Harder.

Manchester City: Roebuck; Bronze, Morgan, Greenwood, Stanway; Mewis (Coombs), Walsh, Weir; Beckie (Lavelle), Hemp (Park), White. Técnico: Gareth Taylor.

Arsenal 0x0 Aston Villa

De um lado, o Arsenal precisando de um empate para garantir vaga na Uefa Women’s Champions League. Do outro, o Aston Villa precisando de um empate para não ser rebaixado. Com isso, o duelo entre as duas equipes pela 22ª rodada da WSL 2020/2021 terminou zerado, na despedida de Joe Montemurro do comando das Gunners.

O time da casa foi melhor durante boa parte do duelo e teve a posse da bola durante todo o tempo, terminando com 79% no quesito. Ao todo, foram 18 finalizações contra apenas duas das Villians. Mas destas 18, só quatro foram no alvo. Pouca efetividade e muita marcação das visitantes, que pouco a pouco seguraram o placar.

A artilheira do Arsenal, Vivianne Miedema, que terminou como vice-artilheira da WSL, bem que tentou. Mas na melhor chance, foi parada pela goleira Lisa Weiss. Kim Little também teve uma boa chance, defendida pela arqueira rival.

Na volta do intervalo, as londrinas tentaram impor um ritmo mais forte. Miedema, Jill Roord, Charlotte Wubben-Moy, Leah Williamson… todas tiveram chances. Mas a defesa do Villa, desesperada para segurar o empate, conseguiu de forma heroica manter o placar igual. Fim de jogo, 0 a 0 em Meadow Park.

No fim, o resultado foi bom para ambos, com o Arsenal voltando à UWCL após uma temporada de ausência e o Villa, no primeiro ano após o retorno à primeira divisão, evitando o rebaixamento. Montemurro, campeão da liga em 2018/2019, deixa o Arsenal. E ambos olham com carinho para a próxima temporada.

Ficha Técnica: 

Arsenal: Williams; Maier (Catley), Williamson, Wubben-Moy, McCabe; Wälti (Gut), Roord, Little, Nobbs (van de Donk), Mead (Foord); Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Aston Villa: Weiss; N’Dow, Asante, Haigh; Arthur, McLoughlin (Syme), Ale, Hutton (Iwabuchi), West (Hanssen); Ewers (Petzelberger), Larsen. Técnico: Marcus Bignot.

Manchester United 2×0 Everton

O Manchester United dependia de um tropeço do Arsenal para se garantir na UWCL. No fim das contas a vaga não veio, mas as Red Devils encerraram a ótima campanha desta temporada com uma vitória na 22ª rodada da WSL 2020/2021, diante de um também sólido Everton.

O Man United começou melhor jogando em casa, e abriu o placar logo cedo. Aos seis minutos do primeiro tempo, após boa jogada de Christen Press, Ella Toone acertou um belo chute para fazer 1 a 0. Apesar disso, o Everton cresceu na partida. Izzy Christiansen teve uma chance cortada na linha, e Claire Emslie saiu sozinha em contra-ataque, mas mandou para fora.

No segundo tempo, o Everton seguiu atacando. Emslie mais uma vez trazia perigo, e desta vez se livrou das defensoras até parar na defesa da goleira Mary Earps. O Manchester United voltou a aparecer em ações ofensivas com Press, chutando de longe. Mas foi no fim que o jogo foi sacramentado.

Aos 44 do segundo tempo, já com o fim de aproximando, Toone apareceu de novo. Desta vez ela cobrou escanteio na cabeça de Kirsty Hanson, sem chances para a goleira Alexandra McIver. Fim de jogo, vitória do Manchester United por 2 a 0 – quarta vez em quatro jogos contra o Everton pela WSL que as vermelhas saem vencedoras.

O resultado sacramenta o bom quarto lugar do Man United, entre altos e baixos. Já o Everton termina apesar da derrota com a quinta colocação, a melhor posição do clube na história da liga feminina, em uma temporada para se orgulhar.

Ficha Técnica:

Manchester United: Earps; Batlle (Harris), Amy Turner, Millie Turner, Smith; Zelem, Toone, Staniforth (Galton); Ross (Hanson), Groenen, Press (Sigsworth). Técnica: Casey Stoney.

Everton: MacIver; Sevecke, Finnigan, Geroge; Wold (Lehmann), Scott, Christiansen, Pattinson (Gauvin); Sorensen (Graham), Emslie, Raso. Técnico: Willie Kirk.

Brighton 3×1 Bristol City

O Broadfield Stadium foi um grande campo de batalha pela 22ª e última rodada da WSL 2020/2021. O Brighton recebeu o Bristol City para um duelo dos mais importantes. As visitantes tinham uma missão: vencer para ter chances de permanecer na primeira divisão. No entanto, o time de Inessa Kaagman não foi benevolente e fez 3 a 1 no placar. 

A partida começou com um brilho de esperança para as Vixens. Último na tabela da liga, o time precisava da vitória para ultrapassar o Aston Villa ou o Birmingham, e dependia da derrota de uma das duas equipes. O ímpeto existia, mas diminuiu consideravelmente aos sete minutos. Foi exatamente nesse momento que as Seagulls abriram o placar. 

Em escanteio, Kaagman fez cobrança curta e recebeu de volta a bola. A camisa 10 fez então um cruzamento fechado para a área rebatido pela goleira Sophie Baggaley, mas sem muita força. Maya Le Tissier aproveitou o rebote e levou seu time à loucura. Com o 1 a 0, o primeiro tempo se estabeleceu com um domínio maior do Brighton. 

A mudança de comportamento era esperada no segundo tempo por parte do Bristol. O time precisava virar a partida ou teria o seu destino selado. Só que isso não ocorreu e o Brighton se aproveitou. Aos 11 minutos, Lee Geum-min observou bem a bobeira da defesa adversária e ampliou o placar. As mandantes controlavam as ações e não davam espaços para as adversárias jogarem. 

Aos 16, Abigail Harrison até diminuiu o placar para as Vixens. O lance gerou confusão entre ela e Cecile Fiskerstrand, pois a atacante queria uma reposição rápida e a goleira segurou a bola. Havia vontade, mas o futebol faltou como no restante da temporada. A equipe não conseguiu pressionar e aos 31, veio o balde de água fria, com gol de Kaagman.

Com a vitória o Brighton terminou a WSL na sexta posição, acima de equipes como Reading e Tottenham. O time mostrou um bom desempenho que pode voltar a ser repetido na próxima temporada. Já o Bristol terá de se reciclar na Women’s Championship, tendo a difícil missão de voltar à elite. 

Ficha Técnica: 

Brighton: Fiskerstrand; Koivisto, Williams, Le Tissier, Gibbons; Kaagman, Simpkins; Brazil, Green (Bance), Whelan e Lee Geum-min. Técnica: Hope Powell.

Bristol City: Baggaley; Bryson (Palmer), Sargeant, Evans, Purfield; Humphrey (Bissell), Skeels (Allen); Pike, Daniels, Wellings (Harrison); Salmon. Técnico: Matt Beard.

Birmingham City 0x1 Tottenham

Ainda ameaçado pelo rebaixamento, o Birmingham City recebeu o Tottenham, que só cumpria tabela, pela 22ª rodada da WSL 2020/2021. Mesmo jogando apenas pela honra, as Spurs não fizeram corpo mole e venceram com autoridade, apesar do placar apertado.

O primeiro tempo foi de poucas emoções, com as donas da casa fechadas no campo de defesa, tentando sair apenas em contragolpes. Já as visitantes, mesmo com mais posse de bola e presença no campo de ataque, se resumiram a apenas três finalizações nos primeiros 45 minutos.

Com a derrota parcial do lanterna Bristol City, as Blues não se viram obrigadas a sair para o ataque e mantiveram sua estratégia para o segundo tempo. Mais empenhada em busca da vitória, a comandante das Spurs Rehanne Skinner promoveu três substituições no segundo tempo e foi recompensada por sua determinação.

Aos 26 minutos, a capitã do Tottenham, Shelina Zadorsky, providenciou a assistência e Kit Graham anotou o único gol da partida. Foi o primeiro gol da atacante nesta edição da WSL. Nos minutos finais o Birmingham City pouco ameaçou a meta das Spurs e o resultado se manteve até o apito final.

Com a vitória na última rodada, o Tottenham termina sua segunda temporada na WSL uma posição atrás de seu desempenho de um ano atrás. Já o Birmingham City acende seu sinal amarelo: sua campanha irregular por pouco não significou um rebaixamento à Championship.

Ficha Técnica:

Birmingham City: Hampton; Scott, Brougham, Mace e Holloway; Mayling, Napier, Whipp, Green e Murphy; Walker. Técnica: Carla Ward.

Tottenham: Spencer; McManus, Zadorsky e Harrop; Neville (Davison), Cho, Graham e Peplow (Addison); Quinn (Ayane), Williams e Naz. Técnica: Rehanne Skinner.

Classificação final – após a 22ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Chelsea: 57 (campeão e classificado à UWCL)
2º – Manchester City: 55 (classificado à UWCL)
3º – Arsenal: 48 (classificado à UWCL)
4º – Manchester United: 47
5º – Everton: 32
6º – Brighton: 27
7º – Reading: 24
8º – Tottenham: 20
9º – West Ham United: 15
10º – Aston Villa: 15
11º – Birmingham City: 14
12º – Bristol City: 12 (rebaixado – será substituído pelo promovido Leicester City)

Texto produzido por Alicia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Lucas Bichão.