22ª rodada da Premier League: confira o resumo dos jogos

Veja tudo que rolou nos jogos do fim de semana

22ª rodada da premier league

O fim de semana pegou fogo com a 22ª rodada da Premre League, e a PL Brasil preparou um resumo de tudo que aconteceu.

Leia mais

Veja quanto cada clube cobra para crianças entrarem em campo com os jogadores

West Ham 1×0 Arsenal

O garoto Declan Rice, de 19 anos, marcou seu primeiro gol na Premier League (Foto: Reprodução/West Ham United)

A abertura da 22ª rodada da Premier League começou com os dois times buscando jogo no London Stadium. O West Ham tinha mais força no meio campo, enquanto o Arsenal apostava nos contra-ataque pelos lados.

Porém, especialmente a partir dos 20 minutos, o cenário mudou radicalmente. Os Gunners pararam de atacar e os Hammers dominaram a partida. Com a dupla de volantes Mark Noble e Declan Rice acertando a marcação, o ataque dos mandantes foi se impondo.

Em especial com o trio Samir Nasri (estreando como titular no time), Felipe Anderson e Marco Arnautovic, foram criadas belas oportunidades. Com um pouco mais de capricho o placar poderia ter sido aberto, mas o confronto foi para o intervalo sem gol.

O cenário se repetiu no início do segundo tempo e não demorou para os Hammers abrirem o placar. Aos dois minutos, após corte errado de Granit Xhaka, Nasri rolou no meio da área e Rice, um dos melhores em campo, premiou a bela atuação a dois dias de completar 20 anos com seu primeiro gol na PL: 1 a 0.

Os visitantes tinham muita dificuldade para sair jogando com qualidade e, apesar de melhorarem, não criaram tantas chances.

Daí até o final, a partida não mudou de cenário. Enquanto o time de Manuel Pellegrini se segurava bem e assustava em alguns contra-ataques, o Arsenal tentava aos trancos e barrancos ir ao ataque (até chegou a marcar com Pierre-Emerick Aubameyang, mas havia impedimento). E o placar permaneceu no 1 a 0.

Com o resultado, os Hammers foram aos 31 pontos e subiram para o nono lugar. Já os Gunners estacionaram em quinto com 41, cada vez mais longe da zona de classificação para a Uefa Champions League.

O Arsenal de Guendouzi e Aubameyang até tentou no fim, mas saiu do London Stadium derrotado (Foto: Catherine Ivill/Getty Images)

Ficha Técnica:

West Ham: Fabianski; Zabaleta, Diop, Ogbonna, Cresswell; Noble, Rice, Antonio (Obiang 81’), Felipe Anderson, Nasri (Snodgrass 70’); Arnautovic (Carroll 70’). Técnico: Manuel Pellegrini.

Arsenal: Leno; Mustafi (Ramsey 58’), Koscielny, Sokratis; Xhaka (Torreira 58’), Guendouzi, Kolasinac, Maitland-Niles (Bellerín 70’); Iwobi, Aubameyang; Lacazette. Técnico: Unai Emery.

Brighton 0x1 Liverpool

Salah marcou o único gol da partida (Divulgação/Premier League)

O Liverpool voltou a vencer. Em confronto contra o Brighton, no Amex Stadium, Salah deu a vitória à equipe que lidera o Campeonato Inglês.

Com o quarteto de atacantes (Shaqiri, Salah, Firmino e Mané) de volta, o Liverpool teve mais a posse de bola. O time até chegou perto do primeiro gol no primeiro tempo, mas detalhes fizeram com que o empate com o Brighton permanece até o intervalo da partida.

No segundo tempo, a grande estrela da equipe decidiu aparecer. Salah criou boas jogadas individuais – uma delas contou com excelente defesa de Button, goleiro adversário.

Minutos depois, o egípcio girou com a bola dentro da área várias vezes até que recebeu um toque e foi marcado o pênalti a seu favor. Na cobrança, o atacante marcou.

O Liverpool seguiu atacando e quase ampliou duas vezes, com Alexander-Arnold e Roberto Firmino. Com a vitória, o Liverpool segue com 4 pontos à frente do segundo colocado, Manchester City. Por outro lado, o time de Chris Hughton segue na décima terceira posição, com 26 pontos.

Ficha técnica:

Brighton: Button; Montoya, Duffy, Dunk, Bong; Propper, Stephens, Gross (Kayal, 79′); March (Knockaert, 66′), Murray (Andone, 66′), Locadia. Técnico: Chris Hughton.

Livepool: Alisson; Alexander-Arnold, Fabinho, Van Dijk e Robertson; Henderson e Wijnaldum, Shaqiri, Firmino e Mané; Salah. Técnico: Jurgen Klopp.

Leicester 1×2 Southampton

Mesmo jogando no King Power Stadium, o Southampton foi para cima do Leicester desde os primeiros minutos. Tanto que, antes dos dez minutos de partida, Michael Oliver foi obrigado a marcar pênalti em Shane Long.

Ward-Prowse na cobrança de pênalti (Reuters)

James Ward-Prowse bateu e inaugurou o placar logo cedo. A partir disso, o jogo ficou equilibrado: a bola era dos mandantes, mas os visitantes eram muito perigosos no contra-ataque.

A vantagem do Southampton foi ameaçada ainda no primeiro tempo com a expulsão do jovem Yan Valery. Contudo, ainda teve tempo de Long aproveitar falha da defesa dos Foxes e ampliar.

Na parte final, o Leicester se atirou ao ataque e até chegou a descontar com Wilfried Ndidi, após jogada de Ricardo Pereira pela direita. O que se viu na sequência foi puro ataque contra defesa.

O time de Claude Puel pressionou, mas só conseguiu finalizar em chutes de longe. Os Saints se seguraram até o fim, mesmo com Kasper Schmeichel na área, e se garantiram fora do rebaixamento nessa rodada.

Long: 4 gols com 4 técnicos diferentes (Premier League/Divulgação)

Ficha técnica

Leicester: Schmeichel, Pereira, Morgan, Maguire, Chilwell; Choudhury (Ghezzal 76′), Mendy (Barnes 46′), Ndidi; Maddison, Albrighton (Gray 46′) e Vardy. Técnico: Claude Puel.

Southampton: McCarthy, Stephens, Vestergaard, Bednarek; Valery, Romeu, Ward-Prowse, Targett; Armstrong (Cedric 57′), Redmond (Gallagher 93′) e Long (Slattery 76′). Técnico: Ralph Hasenhüttl.

Chelsea 2×1 Newcastle

Sem marcar há dois jogos no Stamford Bridge, o Chelsea precisava da vitória contra o Newcastle, que faz campanha ruim. Os primeiros minutos mostraram um desempenho padrão do time de Maurizio Sarri.

Os Blues abusaram da posse de bola, mas poucas chances claras apareceram. Como pelo chão saía pouca coisa, David Luiz tentou pelo alto e, num belo lançamento, achou Pedro dentro da área para marcar.

A vantagem parecia deixar o jogo dominado, porém Ciaran Clark empatou aos 40, em cobrança de escanteio. No segundo tempo, o cenário se repetiu. Mais de 60% de posse para o Chelsea.

A “chapada” de Willian deu a vitória aos Blues (Twitter/Divulgação)

Quando a torcida atingia o ápice da irritação e vaiava o time, Willian devolveu os sorrisos aos torcedores. Eden Hazard achou o brasileiro pela esquerda e a finalização colocada venceu Martin Dubravka.

Os visitantes não tiveram força para reagir, muito menos Rafa Benítez teve ousadia para atacar. Já o Chelsea fez as pazes com a torcida e abriu 6 pontos do Arsenal.

Ficha técnica

Chelsea: Kepa, Azpilicueta, Rüdiger, David Luiz, Alonso; Jorginho, Kante, Kovacic (Barkley 63′); Pedro (Hudson-Odoi 81′), Willian e Hazard (Giroud 87′). Técnico: Maurizio Sarri.

Newcastle: Dubravka, Lascelles, Lejeune, Clark; Yedlin (Manquillo 82′), Hayden, Longstaff, Ritchie; Perez (Murphy 82′), Atsu e Rondon. Técnico: Rafa Benítez.

Burnley 2×1 Fulham

Hendrick participou ativamente da vitória dos Clarets (Dave Thompson/PA Wire)

O duelo das piores defesas do campeonato teve aspectos, no mínimo, curiosos. O Fulham abriu o placar com dois minutos de jogo com Andre Schurrle. Lançamento de Denis Odoi e voleio maravilhoso do alemão.

O Burnley foi à frente ao melhor estilo Sean Dyche, com muitos cruzamentos na área. Num deles, Jeff Hendrick apareceu no meio da defesa visitante e finalizou. A bola desviou em Joe Bryan e entrou.

Dois minutos depois, Hendrick recebeu passe dentro da área adversária e tentou cruzar para Chris Wood. Odoi deu uma ajudinha e desviou, novamente contra, para matar Sérgio Rico.

A falta de sorte dos visitantes persistiu e as chances criadas não foram convertidas. James Tarkowski salvou uma em cima da linha e ainda houve um pênalti reclamado e não marcado por Martin Atkinson.

Os Clarets suportaram no segundo tempo todo e saíram com a terceira vitória seguida. O time de Claudio Ranieri continua o calvário na parte de baixo na tabela e não vence desde o ano passado.

O Burnley venceu sem acertar nenhum chute ao gol. A defesa do Fulham foi solidária (Reprodução/Fulham FC)

Ficha técnica

Burnley: Heaton, Bardsley, Tarkowski, Mee, Taylor; Hendrick, Westwood, Cork, McNeil; Wood (Vokes 87′) e Barnes. Técnico: Sean Dyche.

Fulham: Sérgio Rico, Odoi, Le Marchand, Ream; Christie, Chambers, Seri, Bryan (Cairney 61′); Schurrle (Kebano 77′), Sessegnon (Vietto 46′) e Mitrovic. Técnico: Claudio Ranieri

Crystal Palace 1×2 Watford

(Divulgação/Premier League)

O Watford venceu o jogo contra o Crystal Palace fora de casa nesta rodada da Premier League. Craig Cathcart marcou duas vezes, embora a primeira tenha sido contra o seu time.

Ao 38 minutos do primeiro tempo, a equipe de Roy Hodgson marcou o primeiro gol com a infelicidade do adversário.

No meio do segundo tempo, o jogador do Watford empatou a partida no estádio em Londres. A virada aconteceu com gol de Cleverley sete minutos depois.

A vitória do Watford coloca o time na sétima colocação com 32 pontos. O Crystal Palace segue com 22 pontos na sete posições atrás do adversário. O time de Roy Hodgson está perto da zona de rebaixamento na Premier League.

Ficha técnica:

Crystal Palace: Guaita (Hennessey 45), Wan-Bissaka, Tomkins, Sakho, Van Aanholt, Kouyaté, Milivojevic, McArthur (Benteke 78), Zaha, Townsend, Ayew (Schlupp 83). Subs: Ward, Kelly, Meyer, Wickham.

Watford: Foster, Femenia, Mariappa, Cathcart, Holebas, Doucoure, Capoue, Hughes (Sema 19, Cleverley 68)), Pereyra (Masina 90), Deulofeu, Deeney. Subs: Gomes, Britos, Quina, Success.

Everton 2×0 Bournemouth

Foto: Alex Livesey/Getty Images

Depois de duas rodadas sendo derrotado, o Everton voltou a vencer. Os comandados de Marco Silva derrotaram o Bournemouth por 2 a 0, no Goodison Park, com gols marcados por Zouma e Dominic Lewin, ambos na segunda etapa da partida. 

Os visitantes foram dominantes durante os primeiros trinta minutos de jogo, mas não conseguiram transformar o domínio em gols. A partir desse momento, os donos da casa equilibraram o confronto. 

O primeiro tento, marcado pelo zagueiro francês Zouma, saiu aos 16 do segundo tempo, quando recebeu bom cruzamento de Digne pela esquerda, se adiantou ao arqueiro adversário e colocou no fundo das redes.  

Os Cherries tiveram que ir para cima dos Toffees em busca do empate. Pressionaram durante muito tempo, tiveram chances, mas no último lance da partida, em ótimo contra-ataque, o Everton ampliou.

Lookman recebeu na ponta esquerda e passou para Lewin, que de primeira bateu no contra-pé de Begovic para sacramentar os 2 a 0. 

Com o resultado, o Everton chega aos 30 pontos e ganha uma posição, chegando à 10ª colocação, enquanto o Bournemouth continua na 12ª, com 27 pontos conquistados. 

Ficha Técnica 

Everton: Pickford; Coleman, Keane, Zouma, Digne; Gueye, André Gomes; Lookman, Sigurdsson (Mina, 90’), Bernard (Walcott, 76’); Richarlison (Dominic Lewin, 87’). Técnico: Marco Silva 

Bournemouth: Begovic; Clyne, Cook, Aké, Smith; Lerma, Gosling, Stanislas (Mousset, 68’), Fraser; Brooks (Ibe, 83’); King. Técnico: Eddie Howe

Tottenham 0x1 Manchester United

Em um dos melhores confrontos da atual edição da Premier League, o Manchester United venceu a sua 6ª partida seguida, sendo a 5ª pela Premier League e se aproximou do pelotão de cima da competição.

O resultado positivo sobre o Tottenham fez com que o técnico interino Ole Gunnar Solskjaer se tornasse o primeiro treinador da história do clube a vencer os seus primeiros 6 jogos.

Marcus Rashford, que vive grande fase, marcou o gol da vitória do Manchester United contra o Tottenham. (Foto: Getty Images)

Com a bola rolando, o time de Solskjaer abriu o placar no final da etapa inicial. Após um excelente lançamento de Paul Pogba, que dá continuidade a sua grande fase, Rashford chutou cruzado e não deu chances de defesa para o goleiro Lloris.

A partir daí começamos a evidenciar um verdadeiro espetáculo apresentado pelo goleiro David De Gea, que salvou o Manchester United em diversas oportunidades e garantiu os três pontos para a equipe visitante.

Só o meia Dele Alli parou nas grandes defesas do espanhol em três oportunidades, mas a defesa de destaque foi após um chute do zagueiro Alderweireld, em que o goleiro salvou com os pés e em cima da linha.

Na próxima rodada, o Manchester United recebe o Brighton em Old Trafford, enquanto o Tottenham visita o Fulham no Craven Cottage.

Ficha técnica:

Tottenham: Lloris, Trippier, Alderweireld, Vertonghen, Davies; Winks (Llorente 81′), Sissoko (Lamela 43′), Eriksen, Dele, Son; Kane

Manchester United: De Gea, Young, Lindelof, Jones, Shaw; Matic, Pogba (McTominay 92′), Ander Herrera, Lingard (Dalot 83′); Martial (Lukaku 73′), Rashford

Cardiff 0x0 Huddersfield

Foto: Sky Sports

O Cardiff recebeu o Huddersfield numa partida importantíssima para ambas as equipes. Isso porque os clubes fazem partes dos times que brigam contra o rebaixamento e o confronto direto sempre é uma decisão. Porém, o resultado não agradou ninguém.

O primeiro tempo foi bem equilibrado e disputado. As equipes até criavam boas chances, mas não conseguiam fazer o gol. Com isso, a etapa inicial terminou empatada por 0 a 0, placar que não interessava aos clubes.

Na etapa final, o roteiro do jogo não mudou: chances criadas e nada de gol. Porém um lance gerou polêmica. O árbitro marcou pênalti a favor do Huddersfield, mas após uma conversa com seu assistente, mudou de ideia e cancelou. Uma ação que deixou os jogadores do Huddersfield bem irritados.

Ao fim do jogo, um 0 a 0 que não serviu para ninguém. O Cardiff perdeu a chance de abrir três pontos para o Newcastle, primeiro time na zona de rebaixamento. Pelo lado do Huddersfield, o clube segue afundado na lanterna, agora sem técnico, já que David Wagner deixou o comando.

Ficha técnica

Cardiff: Neil Etheridge, Ecuele Manga, Morrison, Sol Bamba e Joe Bennett; Gunnarsson, Mendez-Laing (Rhys Healey 73′), Camarasa (Joe Ralls 64′), Arter e Hoilett; Callum Paterson.

Huddersfield: Lössl, Hadergjonaj, Zanka, Schindler e Durm; Puncheon, Hogg e Billing; Kachunga, Pritchard (Mbenza 73′) e Mounié (Depoitre 87′).

Manchester City 3×0 Wolverhampton

Finalizando a 22ª rodada da Premier League, Manchester City e Wolverhampton se enfrentaram no Etihad Stadium nesta segunda-feira (14).

Os visitantes chegavam com a estigma de realizarem sempre ótimos jogos diante dos times do “Big 6”. Não à toa, durante os minutos iniciais mostravam-se seguros na partida, aparentando que a vitória não viria fácil para os comandados de Guardiola.

Foto: Divulgação/Twitter

No entanto, os Citizens trataram de mostrar quem mandava no território. Logo aos 10 minutos de jogo, Laporte realizou um excelente passe do meio-campo, quebrando a forte defesa dos Lobos e encontrando Sané, que com muita velocidade infiltrou a área adversária e serviu o brasileiro Gabriel Jesus, livre de marcação.

Para complicar o que já era difícil, Boly cometeu falta dura em Bernardo Silva ainda aos 19 minutos, deixando os visitantes com um a menos antes da metade do primeiro tempo.

A partir daí, o domínio foi completo dos donos da casa. Jesus marcou o seu segundo gol na partida aos 39 minutos, em cobrança de pênalti sofrido por Sterling.

No segundo tempo, novamente amplo domínio dos donos da casa. Com 76% da posse de bola e 802 passes certos trocados – totalizando 92% de acerto -, os comandados de Guardiola administraram a partida por inteiro. A conquista foi sacramentada após cruzamento de De Bruyne que gerou o gol contra de Coady aos 78 minutos.

Ficha técnica:

Manchester City: Ederson, Walker, Stones, Laporte e Danilo; Fernandinho, David Silva (De Bruyne 62′) e Bernardo Silva; Sterling, Sané (Gündogan 74′) e Gabriel Jesus (Agüero 76′).

Wolverhampton: Rui Patrício, Bennett, Coady e Boly; Dohery, João Moutinho (Gibbs-White 72′), Rúben Neves, Dendoncker e Jonny Castro; Jota (Saïss 59′) e Jiménez (Traoré 46′).