21ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

A penúltima rodada foi cheia de emoções, com resultados importantes em todas as pontas

0
32
21ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto destacada: Imago Images)

A 21ª rodada da WSL 2020/2021, penúltima da temporada, foi cheia de emoções. Tivemos confrontos diretos e resultados importantes em todas as pontas da tabela. No fim das contas, todas as decisões possíveis foram reservadas à última rodada do ano. Confira o resumo dos jogos da semana na Women's Super League!!

Lembrando que normalmente os resumos trazem tweets com lances da rodada. Porém, a WSL decidiu seguir outras entidades no boicote às redes sociais no fim de semana, em protesto contra discriminação e abusos online. Por isso, desta vez, os gols não estão disponíveis.

Aston Villa 0x0 West Ham

O Villa Park foi o grande palco de uma das partidas mais decisivas da 21ª rodada da WSL 2020/2021. A equipe da casa, o Aston Villa, recebeu o West Ham em um duelo de pontos valiosos na luta contra o rebaixamento. Porém, ao fim dos 90 minutos o empate prevaleceu com um placar sem gols.

Mesmo estando em terreno conhecido, as Villans não conseguiram dominar suas rivais. Desde os primeiros minutos era o West Ham quem comandava as ações, desde construções de jogadas até pressão alta. No primeiro tempo, a equipe chegou diversas vezes dentro da área adversária, com Dagný Brynjarsdóttir tendo grande participação.

No entanto, mesmo com toda essa pressão, as Hammers não balançaram as redes. E no segundo tempo quase viram o Aston Villa abrir o placar com Shania Hayes. A atacante recebeu bela bola infiltrada e desperdiçou o chute. Kenza Dali ainda tentou ajudar suas companheiras de West Ham com uma bela jogada. Mas, o ataque falhou com chutes pouco precisos em uma série de quatro rebotes. 

Ao apito final, o West Ham contava com 60% da posse de bola e 19 chutes a seu favor, mas zero gols feitos. Ainda assim, a equipe pôde comemorar. Agora com 15 pontos, o time comandado por Olli Harder não pode ser ultrapassada pelo lanterna Bristol City. A única chance é de empate, mas as Hammers contam com saldo melhor (-17 contra -52).

Por outro lado, o Aston Villa se complica. Com 14 pontos, a equipe não só pode ser ultrapassada pelas Vixens como irá enfrentar o Arsenal na última rodada. Um empate pode salvar as Villans do rebaixamento, mesmo se o Bristol vencer. No entanto, as Gunners ainda brigam com o Manchester United pela 3ª vaga na UWCL. Ou seja, a última rodada promete ser agitada

Ficha Técnica:

Aston Villa: Weiß; N’Dow, Haigh (Haigh), Asante; Ale, Arthur, McLoughlin, Hutton (Ewers); Iwabuchi (Syme); Larsen, Hayles (Gregory). Técnico: Marcus Bignot.

West Ham: Arnold; Fisk, Flaherty, Cissoko; Redisch; Dali, Longhurst, Brynjarsdóttir (Vetterlein), Pacheco; van Egmond; Thomas. Técnico: Olli Harder.

Everton 1×2 Arsenal

Foi no sufoco, com muito drama, mas o Arsenal praticamente se garantiu na próxima edição da Uefa Women’s Champions League. Fora de casa, as Gunners bateram o Everton por 2 a 1 pela 21ª rodada da WSL 2020/2021, e apenas uma hecatombe histórica tira o Arsenal do G-3 que dá a vaga à principal competição europeia.

Com os resultados, as Gunners estão três pontos a frente do Manchester United, quarto colocado, e com 48 gols de saldo contra 22 das Red Devils. Ou seja: na última rodada o Arsenal teria que perder, o Manchester United vencer, e este último tirar uma diferença de 26 gols (!!).

Na partida desta rodada diante do Everton, as Gunners começaram melhores, e Jordan Nobbs chegou a acertar a trave. Ainda no primeiro tempo, aos 22 minutos, Katie McCabe deu um belo toque por cima da goleira Sandy McIver, e confirmou sua ótima fase na temporada com mais um gol, o que abriu o placar.

Só que o jogo foi passando e o Arsenal não conseguiu capitalizar suas chances. Pouco a pouco, a partida foi ficando amarrada, e as Gunners não abriam vantagem. As Toffees acabaram se aproveitando disso, e depois de um resto de primeiro tempo morno e de boa parte do segundo passar, estavam prestes a animar a disputa.

Leia mais: Joe Montemurro deixará o Arsenal Women ao fim da temporada. E agora?

Foi aos 29 minutos que, de cabeça, Megan Finnigan balançou as redes e empatou. Foi o primeiro gol sofrido pelo Arsenal na WSL desde 10 de fevereiro contra o Chelsea – ao total, sete partidas sem a defesa ser vazada. O duelo foi ficando dramático, até que a heroína virou vilã.

Aos 48 do segundo tempo, as autoras dos gols se encontraram, quando McCabe foi derrubada dentro da área por Finnigan. Pênalti que a capitã Kim Little bateu no ângulo direito, dando a vitória que aliviou o Arsenal rumo à rodada final.

Ficha Técnica:

Everton: MacIver; Sevecke, Finnigan, George; Wold, Scott, Christiansen, Pattinson; Graham (Sorensen), Raso (Magill), Emslie. Técnico: Willie Kirk.

Arsenal: Zinsberger; Maritz, Williamson, Wälti, McCabe; Nobbs (Roord), Little, van de Donk; Foord, Mead (Catley), Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Reading 3×2 Brighton

Sem chances de classificação à Women's Champions League ou ameaça de rebaixamento, Reading e Brighton protagonizaram duelo emocionante pela 21ª rodada da WSL 2020/2021, considerando que são duas equipes sem grandes inspirações na temporada.

Após início de partida hesitante de ambos os lados, os minutos finais da primeira etapa foram recheados de reviravoltas e momentos marcantes. A começar pelos 35 minutos, quando a lenda Fara Williams, que anunciou no último dia 26 de abril que se aposentará ao final da temporada, marcou aquele que pode ter sido o último gol de sua carreira.

A atacante Emma Harries recebeu na área visitante, mas foi derrubada pela zagueira holandesa Danique Kerkdijk: pênalti claro. Com toda sua experiência e qualidade técnica, Williams, de 37 anos, cobrou com cavadinha e abriu o placar. Terceiro gol da craque do Reading na WSL 2020/2021.

Sete minutos mais tarde, a galesa Natasha Harding cruzou da direita e a meia-atacante Danielle Carter dominou, girou e chutou com estilo no contrapé da goleira Megan Walsh: 2 a 0 no marcador e terceiro gol de Carter na WSL.

O primeiro tempo caminhava para o fim com uma bela vantagem das Royals no placar, mas o Brighton acordou nos instantes finais. Aos 43, Maya Le Tissier alçou a bola à área, Kayleigh Green ajeitou de cabeça e a sul-coreana Lee Geum-Min testou para as redes. Na saída de bola do círculo central, Lee roubou a bola, avançou e soltou uma bomba de longa distância, surpreendendo e encobrindo a arqueira Grace Moloney: 2 a 2.

Os dois gols de Lee, o último um golaço, deram moral às Seagulls na saída para o intervalo e no início da segunda etapa. Logo aos cinco minutos, Green teve a chance da virada ao receber livre dentro da área, mas não conseguiu dominar a bola e viu a goleira Moloney roubá-la de seus pés.

Dez minutos depois, veio o castigo. Harding recebeu longo lançamento da zagueira Molly Bartrip e finalizou rasteiro, entre as pernas da goleira Walsh, para recolocar as anfitriãs em vantagem: 3 a 2. As Seagulls tentaram ensaiar uma pressão no restante do segundo tempo, mas não conseguiram tirar a vitória de Fara Williams em seu último jogo em casa pelo Reading.

Ficha Técnica:

Reading: Moloney; Leine, Bartrip, Cooper e Roberts (Eikeland); Harding, James, Rowe, Williams (Jeon) e Carter; Harries (Chaplen). Técnica: Kelly Chambers.

Brighton: Walsh; Koivisto (Williams), Kerkdijk, Le Tissier e Gibbons; Simpkins (Bance), Whelan e Kaagman; Green, Heroum (Brazil) e Lee. Técnica: Hope Powell.

Bristol City 0x1 Manchester United

Como já explicado acima, o Manchester United precisa praticamente de um milagre para conseguir a vaga para a Uefa Women’s Champions League na última rodada. Mas se quisesse estar vivo, teria que vencer pela 21ª rodada da WSL 2020/2021 o lanterna Bristol City, que briga contra o rebaixamento. As mandantes lutaram, mas em uma infelicidade deram a vitória às Red Devils.

Desesperado pelo resultado, o Bristol começou bem melhor. As Robins chegaram muito perto com Kiera Skeels, que acerou a trave com apenas sete minutos. Já a principal jogadora do time, Ebony Salmon, ganhou uma chance cara a cara com a goleira Mary Earps, mas foi travada. Por fim, Molly Pike teve boa chance de cabeça, entretanto mandou fora.

O United chegou apenas no primeiro tempo com Christen Press, que teve uma finalização cortada em cima da linha. De resto, tanto na primeira quanto na segunda etapa, o Bristol dominou a partida, mesmo sendo bem mais fraco. Porém, quando as coisas estão destinadas a dar errado, elas simplesmente acontecem.

Já aos 33 minutos do segundo tempo, Press fez boa jogada e serviu Jane Ross. A mancuniana finalizou na trave, mas a bola rebateu em Yara Daniëls e balançou as redes. Gol contra, o único do jogo, que deu a vitória por 1 a 0 ao Manchester United.

Se do lado das Red Devils veio o alívio de salvar a disputa pela UWCL, as Robins vão para o tudo ou nada na rodada final contra a queda. A dois pontos do 11º e vice-lanterna Aston Villa, mas com 20 gols atrás no saldo, elas terão que vencer e torcer para uma derrota das Villains contra o Arsenal. Lembrando que na WSL, apenas a lanterna é rebaixada.

Ficha Técnica:

Bristol City: Baggaley; Bryson, Sargeant (Mastrantonio), Evans, Purfield; Humphrey (Bissell), Skeels, Salmon (Woolley), Pike, Daniëls; Wellings (Harrison). Técnico: Matt Beard.

Manchester United: Earps; Battle, Amy Turner, Millie Turner, Smith; Zelem, Toone (Groenen), Staniforth; Sigsworth (Ross), Press, Hanson. Técnica: Casey Stoney.

Manchester City 4×0 Birmingham City

No duelo de “Cities” azuis pela 21ª rodada da WSL 2020/2021, o de Manchester, brigando ponto a ponto pelo título, recebeu o ameaçado de Birmingham. O que se viu em campo foi a confirmação da superioridade técnica do primeiro sobre o segundo.

Logo aos 28 segundos, Chloe Kelly recebeu de Caroline Weir na área e exigiu boa defesa da arqueira Hannah Hampton. Nove minutos depois, Weir, uma das craques do City nesta temporada, finalizou cruzado, Hampton salvou e, no rebote, Kelly não perdoou, marcando 1 a 0 para as Citizens.

A pressão das anfitriãs não diminuiu e pouco tempo depois saiu o segundo gol. Aos 22 minutos, Lauren Hemp cruzou rasteiro da esquerda, Ellen White desviou a bola e novamente Chloe Kelly apareceu livre para completar para as redes. Foi o décimo gol da artilheira das Blues nesta WSL.

No primeiro tempo, as donas da casa tiveram mais de 80% de posse de bola e permitiram apenas uma finalização das visitantes. Na segunda etapa pouco mudou, mas o terceiro tento demorou a sair.

Aos 27 minutos, Kelly foi derrubada por Rebecca Holloway na área e ainda se lesionou no lance. Depois foi detectado que ela sofreu uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho direito, o que deve tirá-la dos gramados por algum tempo. No pênalti, escocesa Caroline Weir parou em grande defesa de Hannah Hampton.

O terceiro gol das Citizens de Manchester só sairia aos 40 minutos. Após cobrança de escanteio de Janine Beckie, Hemp desviou na primeira trave e a zagueira Esme Morgan completou para as redes. Aos 48, após mais uma cobrança de escanteio, a estadunidense Sam Mewis aproveitou bate e rebate para fechar a goleada: 4 a 0 e Manchester City ainda sonhando com o título.

Ficha Técnica:

Manchester City: Roebuck; Bronze, Greenwood, Morgan e Stanway; Coombs (Mewis), Walsh e Weir; Kelly (Beckie), Hemp (Park) e White (Lavelle). Técnico: Gareth Taylor.

Birmingham: Hampton; Kelly, Brougham, Scott, Mace e Holloway; Murphy (Green), Murray, Whipp e Napier; Walker. Técnica: Carla Ward.

Tottenham 0x2 Chelsea

O grito de campeão está cada vez mais próximo para o Chelsea. As Blues enfrentaram o Tottenham no The Hive Stadium pela 21ª rodada da WSL 2020/2021 e venceram por 2 a 0, com gols de Sam Kerr, que se isola na artilharia da liga inglesa com 20 gols.

A partida já se iniciou dominante para o Chelsea, que aos sete minutos teve grande chance com cabeceio de Drew Spence, mas Rebecca Spencer estava lá para evitar o gol. Cinco minutos depois, mais duas oportunidades com as Blues, com Sophie Ingle e com Magdalena Eriksson, mas a goleira das Spurs evitou as duas finalizações.

Aos 20 minutos, Jonna Andersson encontrou Niamh Charles do outro lado do campo e a jovem cabeceou para o gol, com outra grande defesa de Spencer. Quatro minutos depois, foi a vez de Ann Katrin Berger ser requisitada, após Lucy Quinn chegar rapidamente e finalizar. Aos 40, Millie Bright lançou para Guro Reiten, que cruzou rasteiro para Sam Kerr abrir o placar na casa das Spurs.

O Chelsea continuou anulando o Tottenham no segundo tempo. Aos dois minutos, Andersson já dava perigo para as anfitriãs e cinco minutos depois, Kerr estava ligada no jogo. Após Spencer defender o seu cabeceio, ela acertou o rebote ampliando o placar.

Aos 11 minutos, o Tottenham tentou reagir através de boa chegada de Esther Morgan, mas seu chute foi defendido. Dois minutos depois, Quinn conduziu a bola do meio campo até a área e passou para Rachel Williams, que chutou em cima de Berger. Nos acréscimos, Rianna Dean acertou um lindo voleio, que foi para cima do gol.

As Blues estão a uma vitória de se consagrarem bicampeãs da FA Women’s Super League. E o 2 a 0 sobre o Tottenham se deu três dias após a classificação para a final da Uefa Women's Champions League, onde irá enfrentar o Barcelona. Grande momento para as comandadas por Emma Hayes.

Ficha Técnica:

Tottenham: Spencer; Morgan, McManus, Zadrosky, Worm; Cho, Addison, Peplow. Quinn, Dean, Williams. Técnica: Rehanne Skinner.

Chelsea: Berger; Charles, Bright, Eriksson, Andersson; Spence, Ingle, Cuthbert; Reiten, Kerr, England. Técnica: Emma Hayes.

Leia mais: Lewes FC, o clube que promove igualdade salarial de gênero

Classificação após a 20ª rodada da WSL 2020/2021 (ATUALIZAR):

1º – Chelsea: 54
2º – Manchester City: 52
3º – Arsenal: 47
4º – Manchester United: 44
5º – Everton: 32
6º – Reading: 24
7º – Brighton: 24
8º – Tottenham: 17
9º – West Ham United: 15
10º – Birmingham City: 15
11º – Aston Villa: 14
12º – Bristol City: 12

Próxima rodada da WSL 2020/2021 (22ª e última):

  • Arsenal x Aston Villa, 09/05
  • Birmingham x Tottenham, 09/05
  • Brighton x Bristol, 09/05
  • West Ham x Manchester City, 09/05
  • Manchester United x Everton, 09/05
  • Chelsea x Reading, 09/05

Texto produzido por Alicia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Lucas Bichão.