20ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

A semana foi de jogos decisivos nas partes de cima e de baixo da tabela

0
584
20ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Andrew Yates/Sportimage)

A semana foi de jogos decisivos pela 20ª rodada da WSL 2020/2021! Nas partes de cima e de baixo da tabela, tivemos duelos emocionantes e cheios de gols. Com duas rodadas oficialmente para o fim da temporada, praticamente tudo de importante ainda está em aberto.

Confira o resumo de mais uma rodada da Women's Super League!

Manchester City 2×2 Chelsea

O confronto direto entre Manchester City e Chelsea era um dos mais esperados desde a grande aproximação das duas equipes na tabela. O Chelsea chegou na liderança, com dois pontos de vantagem para o Man City. E com um show de Chloe Kelly e de Ann-Katrin Berger, a partida que abriu a 20ª rodada da WSL 2020/2021 não definiu muita coisa. Um ponto para cada equipe, levando a decisão do campeonato às últimas duas rodadas.

Enquanto as Citizens apostavam em chegadas em profundidade para causar perigo à defesa do Chelsea, as Blues apostavam em contra ataques na tentativa de abrir o placar. Aos 25 minutos, Sam Kerr abriu o placar para as visitantes em cabeceio após cobrança de escanteio de Erin Cuthbert.

Em seguida, Kelly deixou tudo igual no Academy Stadium, após belo cruzamento de Lauren Hemp. Aos 33 minutos, Sam Kerr sofreu pênalti de Ellie Roebuck e Pernille Harder utilizou sua experiência para colocar a bola dentro das redes e deixar o Chelsea à frente do placar novamente.

No segundo tempo, o Chelsea perdeu qualidade em campo e deixou o Manchester City chegar mais vezes e finalizar com efetividade. Aos 29 minutos, Hemp marcou o gol de empate e as Citizens buscaram a virada com muita intensidade, requisitando bastante das defesas de Berger.

Com o gol de Kerr, a australiana chega à artilharia da WSL com 18 gols. O Chelsea precisa vencer as duas partidas finais caso queira garantir o título inglês sem depender de resultados do vice-líder Manchester City, que torce por um tropeço das rivais para levar a taça.

Ficha Técnica:

Manchester City: Roebuck; Bronze, Dahlkemper, Greenwood, Stokes; Walsh, Mewis (Stanway), Weir; Kelly, Hemp, White (Lavelle). Técnico: Gareth Taylor.

Chelsea: Berger; Carter, Bright, Ingle, Andersson; Leupolz, Ji (Reiten); Kirby (England), Harder (Charles), Cuthbert; Kerr. Técnica: Emma Hayes.

Aston Villa 2×2 Bristol City

O jogo entre as líderes do campeonato foi a principal atração da 20ª rodada da WSL 2020/2021. Mas poucos dias depois, um outro duelo direto foi emocionante: Aston Villa e Bristol City, os dois lanternas da liga e empatados na pontuação, enfrentaram-se no Bescot Stadium. E o placar também ficou na igualdade.

Tudo parecia bastante promissor para as mandantes. Logo aos três minutos, Shania Hayles tocou de cabeça e a goleira Sophie Baggaley salvou, mas a bola acertou a zagueira Meaghan Sargeant e entrou. Gol contra e 1 a 0 para o Aston Villa.

O Bristol se recuperou bem do gol e foi buscar o empate, mas acabou vendo as coisas piorarem ainda mais. Aos 35 minutos do primeiro tempo, após uma ótima jogada das Villains, Elisha N’Dow cruzou na área e Natalie Haigh tocou de cabeça para o fundo das redes.

Como nesta temporada da WSL apenas a lanterna será rebaixada, a vitória parcial dava muita tranquilidade ao Aston Villa. Veio o segundo tempo e as Villains continuaram criando as melhores chances: Chloe Arthur chegou a acertar um belo chute na trave. Até que a reação começou.

Aos 29, Faye Bryson acertou uma bonita finalização de canhota para diminuir. A tensão começou a tomar conta. E aos 50 minutos do segundo tempo, nos últimos segundos dos acréscimos, Ella Mastrantonio cobrou falta de longe, a bola foi passando por todo mundo e de forma inacreditável, balançou as redes. Empate em 2 a 2 que mantém viva a briga contra o rebaixamento.

Aston Villa e Bristol City seguem empatados nas duas últimas colocações com 12 pontos. No saldo de gols, o Villa, que ainda tem um jogo a menos no clássico contra o Birmingham, leva vantagem que coloca as Robins na solitária zona de rebaixamento.

Ficha Técnica:

Aston Villa: Weiss; Ale, N’Dow, Haigh, Asante; Iwabuchi, McLoughlin, Arthur, Gregory; Larsen, Hayles (Petzelberger). Técnico: Marcus Bignot.

Bristol City: Baggaley; Skeels, Sargeant (Bryson), Evans, Purfield; Daniels, Humphrey (Rafferty), Palmer (Mastrantonio), Pike; Wellings (Harrison), Salmon. Técnico: Matt Beard.

Manchester United 4×1 Tottenham

O Leigh Sports Village foi o palco do massacre do Manchester United sobre o Tottenham pela 20ª rodada da WSL 2020/2021. As comandadas de Casey Stoney fizeram uma partida dominante e não deram qualquer chance para as Spurs. O destaque ficou por conta de Ella Toone, que participou de três dos quatro gols do seu time. 

Logo após o apito inicial, as Red Devils já administravam as ações em campo. Apesar do perde e ganha constante no meio, o time de Manchester marcava avançado e criava muito mais oportunidades. Com isso, logo aos nove minutos, Toone abriu o placar. A atacante Kirsty Hanson caiu pelo lado esquerdo, avançou até a linha de fundo e cruzou rasteiro para a camisa sete balançar as redes. 

Ainda no primeiro tempo, Christen Press de cabeça e Jess Sigsworth dentro da área ampliaram o placar. O time continuava pressionando e quando recuava saía em grande velocidade para o ataque. Sem grandes chances, o Tottenham tinha de se limitar a evitar uma goleada ainda maior. 

O intervalo veio e dois minutos após o retorno, Ella Toone voltou a marcar. A agora artilheira da equipe, chegou ao seu oitavo gol na WSL (e conta também com quatro assistências). Após o 4 a 0, o Manchester United diminuiu o ritmo. O ganha e perde no meio continuou, o que fez com que a posse de bola ficasse em 50%.

Apesar dessa igualdade no tempo com a bola, o Tottenham foi muito pouco efetivo. Conseguiu apenas um único chute em toda a partida e este veio no gol que conseguiu marcar no apagar das luzes. Alanna Kennedy foi para as redes em um tento que não serviu nem para o orgulho da equipe, que sem os pontos fica em situação complicada.

Ficha Técnica: 

Manchester United: Earps; Amy Turner, Smith, Millie Turner, Batlle; Staniforth (Ross), Zelem (Groenen); Toone, Sigsworth (Galton), Press (Thorisdottir); Hanson. Técnica: Casey Stoney.

Tottenham: Spencer; Neville (Morgan), Harrop (Worm), Zadorsky, Green; So Hyun Cho (Ayane), Graham, Kennedy; Williams, Dean (Davison), Naz (Addison). Técnica: Rehanne Skinner.

Arsenal 2×0 Brighton

Jogando em casa e brigando pau a pau contra o Manchester United por uma vaga na Uefa Women’s Champions League, o Arsenal era amplo favorito diante do Brighton, pela 20ª rodada da WSL 2020/2021. No fim das contas, a vitória foi mais suada que o esperado, mas veio com grande atuação da meia Jordan Nobbs.

Durante todo o jogo, as Gunners foram superiores, terminando com 16 finalizações contra apenas três das Seagulls, além de 72% da posse de bola. O gol, porém, parecia teimar em sair. Ele veio aos 27 minutos. Após cruzamento de Daniëlle van de Donk, a sobra ficou com Nobbs, que chutou rasteiro. A goleira Megan Walsh aceitou e a bola entrou, 1 a 0.

Leia mais: Joe Montemurro deixará o Arsenal Women ao fim da temporada. E agora?

O Brighton não se deu por vencido, entretanto. Na sexta colocação do campeonato, as Seagulls fazem um ótimo campeonato. Com ótima aplicação defensiva, as visitantes – que chegaram com seis vitórias em sete jogos, incluindo contra Chelsea e Manchester United – dificultaram as ações rivais no primeiro tempo.

E durante o segundo tempo, quase veio o empate. Após uma pressão alta na saída de bola, o Brighton roubou a bola e pegou a goleira Manuela Zinsberger fora do gol, mas a finalização de Emilly Simpkins foi para fora, passando perto do gol.

O castigo veio aos 32 minutos do segundo tempo. Após contra-ataque rápido pela direita, Beth Mead recebeu cruzamento na área, e de frente para o gol, preferiu rolar para Nobbs. A camisa 8 veio de trás e finalizou rasteiro, totalmente aberta, dando números finais ao placar: Arsenal 2×0 Brighton.

Foi a sétima vitória consecutiva do Arsenal em todas as competições, sendo seis na WSL e uma na Copa da Inglaterra. Os números são bem chamativos: 29 gols marcados e nenhum (!!) sofrido nesta sequência, encaminhando bem a vaga para a UWCL. O Brighton segue na primeira metade da tabela, continuando com o bom trabalho.

Ficha Técnica:

Arsenal: Zinsberger; Patten, Williamson (Wälti), Wubben-Moy, McCabe; Little, Nobbs, van de Donk (Gut); Mead, Roord (Foord), Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Brighton: Walsh; Le Tissier, Kerkdijk, Williams, Koivisto; Green (Lee), Whelan, Bance, Kaagman; Brazil, Simpkins (Gibbons). Técnica: Hope Powell.

Birmingham City 1×1 Reading

Apenas cumprindo tabela, o Reading visitou o desesperado Birmingham City pela 20ª rodada da WSL 2020/2021. As anfitriãs se encontravam um ponto acima da zona de rebaixamento e precisavam da vitória para respirar um pouco mais aliviadas.

As motivações distintas das equipes se mostraram desde o pontapé inicial. Logo aos seis minutos, o Birmingham inaugurou o marcador em lance de bola parada. Após cobrança fechada de escanteio, a goleira Grace Moloney se esticou toda para fazer complicada defesa, mas a bola sobrou limpa nos pés da jovem Ruby Mace, que finalizou para as redes. Foi o segundo gol da zagueira de 17 anos na WSL.

O gol acordou o até ali apático Reading. Atrás no placar, as Royals partiram para cima e dominaram o jogo no restante do primeiro tempo. As principais investidas surgiam pela ponta direita, com a norueguesa Amalie Eikeland, mas poucas chances reais de gol foram criadas.

Após manter a posse de bola por 71% do tempo na primeira etapa, mas finalizar apenas seis vezes – uma única vez no gol -, as visitantes intensificaram sua pressão e melhoraram sua eficiência no segundo tempo.

Em dia inspirado, a arqueira Hannah Hampton novamente foi o destaque do Birmingham, segurando como podia a vantagem de um gol. No entanto, aos 17 minutos nem mesmo a boa goleira das Blues pôde impedir a reação visitante. Após cobrança de escanteio, Hampton salvou na primeira, mas o rebote caiu nos pés da galesa Rachel Rowe, que encheu o pé para empatar. Quinto gol da meio-campista das Royals nesta WSL.

O empate não interessava as donas da casa, que tentaram adotar postura mais ofensiva nos minutos seguintes. Quem seguiu melhor no jogo, porém, foram as visitantes, mas a boa atuação da goleira Hampton, já convocada algumas vezes pela seleção inglesa, garantiu a igualdade até o apito final.

Ficha técnica:

Birmingham City: Hampton; Kelly, Brougham, Scott e Holloway; Mayling, Murray, Mace (Whipp), Littlejohn e Napier; Walker. Técnica: Carla Ward.

Reading: Moloney; Roberts (Leine), Cooper, Bartrip e Woodham (Harries); Eikeland (Chaplen), Williams, James, Rowe e Carter; Harding. Técnica: Kelly Chambers.

West Ham 0x0 Everton

Enquanto o Everton está no meio da tabela, o West Ham é um dos que está na zona da berlinda. Dessa forma, a vitória na 20ª rodada da WSL 2020/2012 seria muito importante para as Hammers. Apesar de ter sido dominante em toda a partida, com grande destaque para a francesa Kenza Dali, o West Ham não conseguiu converter e garantiu apenas um ponto na sua briga contra o rebaixamento.

O jogo começou bem intenso com a equipe da casa já buscando chegar ao ataque das Toffees. Grace Fisk aproveitou o escanteio de Kenza Dali, entretanto, a finalização foi para fora. Em seguida, Jill Scott disparou para a defesa adversária após lance livre do Everton, também sem sucesso.

Aos 19 minutos, outra grande chance das Hammers. Martha Thomas chegou em profundidade à defesa das Toffees e por pouco a bola não entrou. Seis minutos depois, grande jogada da camisa 9 com Dali, que tem seu chute desviado. Aos 33 minutos, Scott desvia da zaga e finaliza para o gol, mas Courtney Brosnan estava lá para defender.

No segundo tempo o West Ham chegou muito bem novamente com Dali e Thomas. Aos seis minutos, a francesa finalizou para fora; e aos 23, Thomas também não conseguiu sucesso em seu cabeceio. O Everton disparou ao ataque com Ingrid Moe-Wold e Nicoline Sorensen, mas a zaga do West Ham desviou com qualidade. Aos 35, Cecilie Redisch cabeceou, entretanto a bola foi para fora. E o placar terminou zerado.

Ficha Técnica:

West Ham: Brosnan; Fisk, Flahery, Pacheco; Redisch, Longhurst, Brynjarsdóttir, Cissoko; Dali, Egmond, Thomas. Técnico: Olli Harder.

Everton: MacIver; Wold, Finnigan, Sevecke, Pattinson; Scott, Stringer (Raso); Gauvin (Magill), Christiansen, Emslie; Sorensen. Técnico: Willie Kirk.

Leia mais: Lewes FC, o clube que promove igualdade salarial de gênero

Classificação após a 20ª rodada da WSL 2020/2021 (ATUALIZAR):

1º – Chelsea: 51
2º – Manchester City: 49
3º – Arsenal: 41 (-1 jogo)
4º – Manchester United: 41
5º – Everton: 32
6º – Brighton: 24
7º – Reading: 21
8º – Tottenham: 17
9º – West Ham United: 14 (-1 jogo)
10º – Birmingham City: 14 (-1 jogo)
11º – Aston Villa: 12 (- 1 jogo)
12º – Bristol City: 12

Próxima rodada da WSL 2020/2021 (21ª de 22):

  • Aston Villa x West Ham, 02/05
  • Everton x Arsenal, 02/05
  • Reading x Brighton, 02/05
  • Bristol City x Manchester United, 02/05
  • Manchester City x Birmingham, 02/05
  • Tottenham x Chelsea, 05/05

Texto produzido por Alicia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Lucas Bichão.