2000/2001: A temporada de Bola de Ouro de Michael Owen

Relembre temporada que coroou Owen como melhor jogador da Europa

2000/2001: A temporada de Bola de Ouro de Michael Owen
Clive Brunskill/Allsport

A temporada 2000/2001 foi uma das mais vitoriosas da história do Liverpool. O time conquistou três taças: as duas copas domésticas e a Copa da Uefa. Na liga, os Reds terminaram numa honrosa terceira colocação. O maior destaque foi um prata da casa que, na época, já era considerado um dos melhores atacantes do mundo. Michael Owen, com 22 anos, teve uma temporada fantástica e arrecadou o Ballon D'or, se tornando apenas o quarto jogador inglês a receber o prêmio.

A temporada de Ballon D'or de Michael Owen

Cabe lembrar que a Ballon D'or conquistada pelo jogador se refere ao prêmio concedido pela France Football ao melhor jogador europeu do ano. A revista organiza essa cerimônia da Bola de Ouro desde 1956.

Em 1991, a Fifa passou a premiar o melhor jogador do mundo. Portanto, naquela época existiam dois prêmios: o de melhor jogador da Europa e o prêmio de melhor jogador do mundo. Em 2001, o vencedor foi Luís Figo, e Owen nem apareceu no top-3.

Na premiação da France Football, Owen deixou para trás grandes jogadores como Raúl e Oliver Kahn para se tornar o primeiro jogador do Liverpool a receber a tão sonhada honraria – e até hoje o único. O prêmio foi um dos principais fatores que o levaram a se transferir para o Real Madrid em 2004.

Clive Brunskill/Allsport

Michael Owen disputou 46 partidas pelo Liverpool na temporada 2000/2001, marcando 24 gols. Na liga, ele atuou em 28 partidas e marcou 16 vezes. Ele foi o principal artilheiro do time vermelho na competição e o 5º maior marcador geral.

O Liverpool foi o segundo melhor ataque da liga, perdendo apenas para o campeão Manchester United, e Owen mesmo jovem liderou a locomotiva que ainda contava com Emile Heskey (14 gols) e o ícone Robbie Fowler (8 gols). O detalhe é que Owen precisou de menos jogos para marcar mais gols que Heskey.

Na Copa da Inglaterra, o atacante inglês teve atuação ofuscada durante o início da competição, porém apareceu na finalíssima contra o Arsenal e simplesmente foi o herói da conquista. O Liverpool perdia por 1 a 0 até os 82 minutos, quando Owen empatou a partida e fez o gol do título seis minutos depois.

Owen comemora título da Copa da Inglaterra em 2001
Stu Forster/Allsport

Leia mais: Copa da Inglaterra 2001: quando Owen destruiu o Arsenal e o Liverpool foi hexa

Na Copa da Liga Inglesa, ele teve papel de coadjuvante, sendo poupado para as outras competições. O Liverpool foi campeão em cima do Birmingham City na disputa por pênaltis. Owen participou de dois jogos naquela campanha, tendo marcado um gol.

Já pela competição continental o inglês foi o artilheiro do time ao lado de Nick Barmby, com quatro gols. Na 4ª fase, o Liverpool enfrentou um jogo duro contra a Roma e logo na primeira partida, que foi fora de casa, Owen marcou os dois gols da vitória. Um simples empate sem gols em Anfield garantiu a classificação.

Nas quartas de final contra o Porto ele novamente marcou, desta vez no jogo de volta. O Liverpool venceu por 2 a 0 e avançou para a próxima fase. O seu outro gol se deu ainda na segunda fase, contra o Slovan Liberec.

E não para por aí. Pela seleção inglesa, o atacante de 21 anos marcou seis gols em oito jogos, incluindo um hat trick em cima da Alemanha de Oliver Kahn em Munique. Ele foi peça fundamental na classificação dos Three Lions para a Copa do Mundo de 2002.

Ben Radford/Allsport

Ao final daquela magnífica temporada, Michael Owen conquistou o feito de ser o maior artilheiro do clube por quatro temporadas seguidas. Ele seguiu aumentando essa honra e encerrou a façanha com sete jornadas. Façanha essa que só foi interrompida pela sua transferência para a Espanha.

Leia mais: 7 ídolos de clubes ingleses que já jogaram no rival

Por mais que o troféu conquistado pelo atacante inglês seja justificada pelo seu desempenho naquela temporada específica, o prêmio acabou por fazer justiça a um dos atacantes mais regulares entre o fim dos anos 1990 e começo dos anos 2000.

Foram 117 gols na Premier League entre a sua estreia em 1997 até a sua saída para o Real Madrid em 2004. Uma média arredondada de 16 gols por temporada. Os números são mais assustadores se considerarmos que, em 2004, ele ainda tinha 25 anos.

Clive Brunskill/Allsport

Os anos que se seguiram foram de muitas lesões e infelizmente a joia do Liverpool nunca mais conseguiu mostrar o seu pleno potencial. De volta para a Inglaterra, Owen ainda jogou por Newcastle, Manchester United e Stoke City antes de encerrar carreira em 2013.

Porém, os torcedores do Liverpool sempre se lembrarão daqueles anos mágicos e da temporada 2000/2001, que elegeu Michael Owen como o melhor jogador do mundo.

Acompanhe a PL Brasil no YouTube!

  • O MAIOR ARTILHEIRO DE CADA TIME DA PREMIER LEAGUE