1ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Confira o que de melhor aconteceu no retorno da Women's Super League

1ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
Harriet Lander/Getty Images

A Women’s Super League está de volta! Na 1ª rodada da WSL 2020/2021 aconteceu de tudo um pouco: partidas equilibradas, grandes goleadas, times grandes em igualdade, golaços e muito mais. Confira o resumo dos jogos do primeiro fim de semana de futebol feminino inglês na temporada aqui na PL Brasil!

Aston Villa 0x2 Manchester City

Havia grande expectativa por parte do Aston Villa na sua estreia na WSL. O time começava a temporada no Villa Park e com o primeiro jogo da técnica Gemma Davies na elite, aos 27 anos. Dessa forma, ela se torna a técnica mais jovem da história da liga.

Logo nos primeiros minutos de bola rolando, no entanto, a estreante Sam Mewis marcou o primeiro do Manchester City. O gol, porém, foi anulado por impedimento inexistente. Este seria o primeiro de muitos erros de arbitragem na partida. Na sequência, poucos esperavam que o primeiro gol da WSL 2020/2021 seria tão bizarro e saísse tão cedo.

Aos seis minutos, no melhor estilo van Persie contra Casillas em 2014, após bola recuada, a inteligente meia Georgia Stanway dividiu com a goleira do Villa, Sian Rogers. Stanway levou a melhor e abriu o placar: 1 a 0. Logo após, aos 20, mais um erro de saída de bola da goleira Rogers e Stanway interceptou na pequena área para ampliar.

Leia mais: Manchester City Women, o projeto de ser uma potência no futebol feminino

Apesar dos erros individuais na defesa, o Aston Villa demonstrava organização ao tentar sair para o ataque. Aos 32, a arbitragem anulou erroneamente aquele que seria o primeiro gol das Villans na WSL. Ramona Petzelberger recebeu na área, em posição legal, finalizou para boa defesa de Ellie Roebuck. No rebote, Stine Larsen, também em posição legal, balançou as redes, mas a assistente assinalou impedimento.

O segundo tempo começou ainda mais agitado que o primeiro, com as duas equipes criando chances claras de gol. Destaque negativo da primeira etapa, a arqueira Sian Rogers fez grandes defesas. Aos 33, a artilheira Ellen White recebeu de Mewis e finalizou para as redes. Mas novamente o gol foi anulado por impedimento em lance duvidoso.

As Citizens estreiam com boa vitória fora de casa. Contudo, as Villains demonstram qualidade promissora, mesmo com a derrota.

Ficha técnica:

Aston Villa: Rogers; Franklin-Fraiture, N'Dow (Ale), Haigh, Siems; Arthur (Hanssen), Ewers (Syme) e Petzelberger; Follis (Hayles), Diana Silva (Hutton) e Larsen. Técnica: Gemma Davies.

Manchester City: Roebuck; Morgan, Houghton, Bonner, Stokes; Walsh, Mewis e Weir (Scott); Stanway, Kelly e Beckie (White). Técnico: Gareth Taylor.

Arsenal 6×1 Reading

O Arsenal estreou na WSL com a primeira goleada da edição 2020/2021. Por um placar de 6 a 1, as Gunners venceram o Reading aproveitando o máximo de oportunidades possíveis. Inegavelmente, o time do norte londrino mostra desde o início da liga que irá brigar pelo caneco, como foi na última temporada.

A partida começou equilibrada, com as Royals pressionando a saída de bola e as donas da casa buscando alternativas para sair da marcação. Nos primeiros 15 minutos Fara Williams e companhia deram bastante trabalho, enquanto ocupavam a zona em que a bola estava com pelo menos quatro jogadoras. Mas com o passar do tempo e sem conseguir chegar no gol, o time começou a cansar.

Foi nessa decadência física que Kim Little abriu o placar. Aos 15 minutos, a escocesa recebeu um lançamento de Leah Williamson e aplicou um chute plástico. A defesa do Reading estava quase toda no setor, mas se posicionava de forma desorganizada. Com o 1 a 0, o Arsenal se impôs na partida e passou a dominar o meio de campo. 

Pelo Reading, a estreante Jessica Fishlock, que substituiu peças importantes do ano passado, compôs bem a equipe. No entanto, assim como era esperado o entrosamento no setor ficou debilitado. E depois da primeira meia hora o Reading já não conseguia fazer a conexão com o ataque. Inesperadamente, virou presa fácil.

Leia mais: WSL 2020/2021: guia da temporada, parte I

Resultado? Vivianne Miedema foi ao gol em duas oportunidades e Jill Roord conseguiu o primeiro hat-trick da competição. O Arsenal passeou durante o resto da partida e só não aplicou mais gols porque Grace Maloney não se permitiu baixar o ritmo. Ao todo as Gunners deram 13 finalizações no gol. A lei do ex ainda apareceu no final da partida, mas o tento de Danielle Carter para o Reading não foi suficiente.

Ficha técnica: 

Arsenal: Zinsberger; Catley (Maier), Schaderbec, Maritz, Wälti (van de Donk); Williamson, Nobbs (Evans), Roord; Little (Gut), Mead (Foord), Miedema. Técnico: Joe Montemurro 

Reading: Maloney; Mitchell, Cooper, Leine (Rowe), Harding,; James, Fishlock, Bartrip, Merrett (Bruton); Eiklend, Carter. Técnica: Kelly Chambers.

Bristol City 0x4 Everton

Enquanto o Bristol City começa a WSL cotado para brigar contra o rebaixamento, o Everton chega após um bom mercado visando voos mais altos. Por isso, esperava-se que o duelo da 1ª rodada da WSL 2020/2021 mostrasse bem a diferença de nível entre os dois lados. E foi exatamente o que aconteceu.

As Toffees vieram para cima logo de cara. E aos sete minutos, começou o show da capitã Lucy Graham, dona da partida. Ela deu um lindo passe de calcanhar, de costas, sem deixar a bola cair, e Simone Magill finalizou com ela no alto, de primeira. Placar aberto com um golaço.

Doze minutos depois, foi a vez de Graham se consagrar. Após bela troca de passes pela esquerda, Nicoline Sørensen recebeu em profundidade, cruzou na pequena área e a camisa 17 aproveitou bem. De fato, com apenas 19 minutos o Everton já praticamente liquidava a fatura. O resto do jogo parecia apenas protocolo.

Veio a segunda etapa e as Toffees seguiram dominando. Aos 27 minutos, de pênalti, Graham fez mais um. E aos 45, já no apagar das luzes, ela deu boa assistência para a estreante Valerie Gauvin dar números finais. Portanto, com dois gols e duas assistências, Lucy Graham foi o grande destaque do 4 a 0 das Toffees sobre as Robins.

Ao Bristol City, restou a lamentação por pouco ter feito. Carla Humphrey, Jemma Purfield e Ebony Salmon chegaram a forçar boas defesas da goleira adversária Sandy Maclver. Mas no geral, a defesa do Everton pouco trabalhou. Não só um sinal para as Toffees, bem como um alerta ligado para as Robins no resto da temporada.

Ficha técnica:

Bristol City: Baggaley; Bryson (Allen), Matthews (Rafferty), Evans, Purfield; Wellings, Palmer, Humphrey (Daniels), Mastrantonio, Logarzo; Harrison (Salmon). Técnica: Tania Oxtoby.

Everton: Maclver; Wold, Finnigan, Sevecke, Turner (Pattinson); Graham, Clemaron (Stringer); Raso (Boye-Hlorkah), Christiansen, Sørensen (Gauvin); Magill (Emslie). Técnico: Willie Kirk.

Brighton 2×0 Birmingham City

Considerado um dos principais candidatos à briga contra o rebaixamento, o Birmingham já estreava na 1ª rodada da WSL 2020/2021 contra um possível rival direto. O Brighton, por outro lado, queria mostrar que seus objetivos envolvem o meio ou até a parte de cima da tabela.

Dessa maneira, o primeiro tempo se resumiu às anfitriãs tomando a iniciativa e criando mais oportunidades de gol. Já as visitantes, a princípio, se defendiam e tentavam sair apenas em oportunidades claras de contragolpe.

Pelo Albion, as estreantes Inessa Kaagman e Lee Geum-min foram as mais ativas no campo de ataque, sempre causando problemas à defesa das Blues. Por outro lado, pelas visitantes, a arqueira Hannah Hampton se mostrava segura e a meia Christie Murray era quem mais buscava ativamente organizar o ataque.

As Seagulls voltaram mais incisivas para a segunda etapa. E com isso, o gol veio logo aos 14 minutos. A irlandesa Megan Connolly recebeu na entrada da área, girou e acertou belo chute colocado no ângulo. Logo depois de abrirem o placar, as anfitriãs desencantaram. Aos 16, após boa troca de passes, Connolly cruzou da direita e a camisa 10 Kaagman testou para as redes: 2 a 0.

Leia mais: WSL 2020/2021: guia da temporada, parte II

Os dois golpes em sequência desestruturaram o Birmingham, que dessa forma se viu obrigado a sair mais para o ataque. Assim, com a defesa adversária mais aberta, o Brighton chegou a criar boas chances de ampliar o marcador, mas o 2 a 0 se manteve até o apito final. Uma boa e segura estreia das Seagulls. E o sinal de alerta já ligado para as Blues.

Ficha técnica:

Brighton: Walsh; Le Tissier, Stott, Williams, Gibbons; Connolly, Bowman, Kaagman (Simpkins); Whelan, Robinson (Green), Lee. Técnica: Hope Powell.

Birmingham: Hampton; Mayling, Scott, Brougham, Holloway; Napier (Toussaint), McCarron (Kelly), Murray, Whip; Walker, Scofield. Técnica: Carla Ward.

Tottenham 1×1 West Ham

Dois times que figuraram no meio de tabela no ano passado, Tottenham e West Ham estrearam se enfrentando na WSL. Os prognósticos imaginavam um jogo de bastante equilíbrio. Assim, o empate em 1 a 1, além de esperado, foi o resumo da igualdade entre as equipes nesta 1ª rodada da WSL 2020/2021.

Foi o Tottenham, jogando em casa, quem começou melhor no primeiro tempo. E o grande destaque do time era Kit Graham, que teve duas vezes em três minutos. Contudo, ela acertou a trave em ambas. Primeiro em uma cabeçada, e depois com uma boa finalização de longe.

Veio a segunda etapa e, logo de cara, as Spurs abriram o placar. Aos oito minutos, a goleira Mackenzie Arnold fez grande defesa para o West Ham em chute de Angela Addison. Mas no escanteio em seguida, a lateral Grace Fisk desviou contra a própria meta. Gol contra que marcou o 1 a 0 para o Tottenham.

Mas não demorou muito para as Hammers igualarem. E ainda mais, foi em grande estilo. Aos 12 minutos, Adriana Leon recebeu bola enfiada na esquerda, avançou em velocidade até a área, passou no meio de duas marcadoras e chutou no ângulo esquerdo. Um golaço da canadense, que assim deixou tudo igual.

Os dois times tentaram, mas pouco criaram após os gols. No fim, Ruby Grant desperdiçou boa chance para o West Ham. O empate fica com gosto amargo para o Tottenham, que jogava em casa, abriu o placar, teve mais posse de bola (55%-45%) e mais finalizações (14-8). Entretanto, não conseguiu ser efetivo.

Ficha técnica:

Tottenham: Spencer; Neville (Kennedy), Godfrey, Harrop, Worm; Percival, Green, Quinn (Davison), Graham (Filbey), Addison (Williams); Dean (Leon). Técnicos: Karen Hills e Juan Amorós.

West Ham: Arnold; Fisk, Flaherty, Vetterlein, Pacheco; Cho (van Egmond), Dali, Svitková (Grant); Lehmann (Mustafa), Kiernan (Daly), Leon. Técnico: Matt Beard.

Manchester United 1×1 Chelsea

Um dos jogos mais aguardados da 1ª rodada da WSL 2020/2021 não decepcionou. Isso porque pelo Chelsea havia a expectativa de ver o principal candidato ao título e a estreia de sua mais nova estrela: Pernille Harder. Enquanto isso, o Manchester United esperava conquistar seus primeiros pontos pela WSL em confrontos contra o Big Three.

As visitantes começaram pressionando e impondo o seu ritmo, mas a primeira grande chance foi das mandantes. Em uma bola recuperada no ataque, Jane Ross finalizou da entrada da área, e por pouco não acertou o ângulo direito de Carly Telford.

A partida era truncada, com pouco espaço para ambos os times trabalharem as jogadas. Com isso, a ligação direta foi se tornando a tônica. Aos 25 minutos, Ji So-yun e Maren Mjelde trabalharam pela direita, Fran Kirby foi acionada em profundidade e só cruzou para Sam Kerr empurrar para as redes.

As Red Devils sentiram o gol e as Blues tiveram mais três chances em sequência para ampliar, todas com a artilheira australiana, mas sem sucesso. Porém, no último lance antes do intervalo o Man United quase empatou. Kirsty Hanson fez jogada individual, cruzou e Leah Galton, mesmo desequilibrada, conseguiu cabecear. Telford defendeu com a ponta dos dedos e a bola explodiu no travessão.

A segunda etapa começou com o Manchester tendo a posse e o Chelsea tendo as melhores chances. Porém, mais uma vez Kerr não aproveitou. Do lado vermelho, com a entrada de Jackie Groenen as coisas começaram a mudar. E em um contra-ataque aos 34, Groenen chegou ao fundo e cruzou encontrando Galton na pequena área. Ela fez o gol de empate, que coroou a postura das Reds no segundo tempo.

Ficha técnica:

Manchester United: Earps; Smith, M. Turner, McManus, Batlle (Ökvist); Ladd, Zelem; Hanson (Groenen), Toone, Galton; Ross (James). Técnica: Casey Stoney

Chelsea: Telford; Mjelde, Bright, Eriksson, Andersson (Carter); Leupolz, Ingle, Ji (Cuthbert); Kirby, Kerr (England), Reiten (Harder). Técnica: Emma Hayes

Classificação após a 1ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Arsenal: 3
2º – Everton: 3
3º – Brighton: 3
4º – Manchester City: 3
5º – Manchester United: 1
6º – Chelsea: 1
7º – Tottenham: 1
8º – West Ham: 1
9º – Aston Villa: 0
10º – Birmingham: 0
11º – Bristol City: 0
12º – Reading: 0

Próxima rodada (2ª de 22):

– West Ham x Arsenal, 12/09
– Chelsea x Bristol, 13/09
– Everton x Tottenham, 13/09
– Reading x Aston Villa, 13/09
– Manchester City x Brighton, 13/09
– Birmingham x Manchester United, 13/09

Texto produzido por Eduardo Costa, Hugo L'Abbate, Karyne Teixeira e Lucas Bichão.