1991: quando o Tottenham conquistou uma inesquecível Copa da Inglaterra

Relembre um dos títulos mais emocionantes dos Spurs

0
315
1991: quando o Tottenham conquistou uma inesquecível Copa da Inglaterra
Foto: Pinterest

O ano de 1991 foi mágico para a torcida dos Spurs. Até o Tottenham vencer o Nottingham Forest, na final da Copa da Inglatera, por 2 a 1, em Wembley, aconteceu de tudo. Quer saber como foi a conquista dos Spurs? A PL Brasil relembra!

O Tottenham chegava para aquela edição da Copa da Inglaterra como um dos maiores campeões do torneio, ao lado de Aston Villa e Manchester United, todos com sete títulos.

Os Spurs não conquistavam a Copa da Inglaterra desde 1982, quando venceram o Queens Park Rangers na final da competição.

E no geral, o último título do Tottenham havia sido a Copa da Uefa de 1984, onde o clube ganhou do Anderletcht nos pênaltis e ficou com a taça.

Início do Tottenham na caminhada para o título da Copa da Inglaterra

A jornada do Tottenham rumo ao oitavo título da Copa da Inglaterra teve início no dia 5 de janeiro de 1991. Os Spurs visitaram o Blackpool e venceram por 1 a 0, gol do meio-campista Paul Stewart – um dos destaques daquele time.

Na fase seguinte, o adversário seria o Oxford United no White Hart Lane. E foi um jogaço! Com dois gols do lendário Paul Gascoigne, o Tottenham venceu por 4 a 2 e avançou para as oitavas de final, onde enfrentaria o Portsmouth, fora de casa.

E o confronto foi emocionante. Mais uma vez com Gascoigne decidindo e marcando dois gols, os Spurs bateram o Portsmouth por 2 a 1 e se classificaram para as quartas de final, para enfrentar o Notts Country.

E se você acha que foi um jogo fácil, está enganado. Uma partida eletrizante e decidida mais uma vez por ele: Gascoigne! O meia inglês fez o gol da virada do Tottenham sobre o Notts. 2 a 1 e vaga na semifinal.

Clássico Tottenham x Arsenal na semifinal

A semifinal da Copa da Inglaterra de 1991 reservaria um dos maiores clássicos do país: Tottenham x Arsenal se enfrentariam disputando uma vaga na final. E foi um jogaço!

O Tottenham começou tomando a iniciativa do jogo e por pouco não marcou. Em um dos principais ataques, a bola sobrou para Gascoigne, que bateu cruzado, levando perigo ao gol adversário.

Leia mais: Eric Cantona: o bad boy que virou rei de Old Trafford

E, aos 11 minutos de jogo, um dos gols mais bonitos da história da Copa da Inglaterra aconteceu. O Tottenham tinha uma falta bem distante para bater.

Na bola, ele: Gascoigne. O meio-campista ajeitou, correu e soltou uma bomba no ângulo. 1 a 0 Spurs!

E mesmo com a vantagem no placar, o Tottenham seguia atacando em busca do segundo. E de tanto insistir, ele veio.

Após tabelar com Gascoigne, Stewart cruzou, a zaga do Arsenal não conseguiu afastar e a bola sobrou para Gary Lineker! O atacante empurrou para o fundo do gol e ampliou a vantagem: 2 a 0 com 10 minutos de jogo.

Após levar um golpe tão grande, o Arsenal saiu para o jogo. E se estivesse com a pontaria calibrada, a história poderia ter sido diferente.

Uma das principais chances dos Gunners foi quando o lateral esquerdo Nigel Winterburn cruzou rasteiro e o atacante Alan Smith isolou. Uma ótima oportunidade perdida.

Após o Arsenal perder esse gol, o jogo foi ficando bastante truncado. Mas, quando parecia que o primeiro tempo terminaria 2 a 0 para o Tottenham, os Gunners reagiram.

Leia mais Por que a melhor torcida da Inglaterra é a visitante?

Em um dos últimos lances da etapa inicial, o lateral direito Lee Dixon cruzou e Alan Smith subiu mais alto que a defesa dos Spurs para diminuir. 2 a 1 e fim da primeira parte do clássico.

Logo no início da segunda etapa foi o Arsenal quem tomou a iniciativa de atacar. A principal oportunidade foi com Winterburn, mas ele acabou desperdiçando, batendo por cima do goleiro.

Após essa chance, o jogo ficou bem truncado. O Arsenal buscava o empate, mas o Tottenham se defendia bem, sempre em busca do contra-ataque.

E aos 33 minutos da etapa final, os Spurs deram números finais ao jogo. Gary Lineker recebeu a bola no círculo central, carregou, driblou o lendário zagueiro do Arsenal Tony Adams, e bateu cruzado para o gol. 3 a 1 para o Tottenham!

Minutos depois de levar o terceiro gol, o Arsenal teve a chance de empatar com Alan Smith, mas o atacante parou no goleiro Erik Thorstvedt.

Até o fim do jogo, foi uma pressão gigante do Arsenal, mas sem sucesso. O Tottenham segurou o resultado e se classificou para a grande final! E claro, com um sabor especial após eliminar o maior rival.

A grande final

O adversário do Tottenham na final seria o Nottingham Forest, do lendário técnico Brian Clough. A equipe era uma das melhores da época, muito competitiva e vencedora nas copas. Obviamente não seria fácil.

O jogo começou bastante equilibrado e estudado. Mas aos 12 minutos do primeiro tempo, um dos lances mais tristes daquela final aconteceu. Gascoigne fez uma falta em Gary Charles, lateral direito do Forest, e levou a pior.

Ele até tentou ficar, recebeu tratamento e foi para a barreira na tentativa de evitar o gol do adversário. Mas não conseguiu impedir nada.

Leia mais: 7 dicas para comprar na maior loja de camisas de futebol do mundo

O lateral esquerdo Stuart Pearce soltou uma bomba com o pé esquerdo e abriu o placar para o Forest. Um golaço!

Após o gol, Gascoigne desabou em campo e saiu do jogo. O Tottenham perdia seu melhor jogador na final. Cenário terrível.

E as coisas pareciam piorar para o Tottenham com o passar do tempo. Aos 25 minutos da etapa inicial, Paul Allen cruzou e Gary Lineker empatou o jogo. Entretanto, o bandeirinha viu impedimento inexistente e anulou o gol.

Após esse lance, o Forest poderia ter ampliado o placar. Ian Woan fez boa jogada e tocou para Gary Crosby, que acabou finalizando em cima de Erik Thorstvedt.

Cinco minutos depois, pênalti para os Spurs. Na bola, Gary Lineker. O atacante ajeitou, correu e bateu no canto esquerdo, onde o goleiro do Forest Mark Crossley defendeu. O Tottenham seguia no seu cenário caótico.

O tempo foi passando e o jogo foi ficando bem truncado, sem grandes chances para as equipes. Com o fim do primeiro tempo, o cenário era esse: Tottenham perdendo por 1 a 0, sem seu melhor jogador que saiu lesionado e com um pênalti perdido.

Leia mais: Jack Leslie: o craque que não jogou pela Inglaterra por ser negro

No segundo tempo, o Tottenham continuou atacando em busca do gol. E aos 10 minutos da etapa final, conseguiu marcar.

Paul Allen disparou em velocidade e tocou para Paul Stewart, que dominou e chutou cruzado empatando o jogo. 1 a 1 em Wembley!

E após empatar o jogo, o Tottenham continuou pressionando. Minutos depois do gol, os Spurs por pouco não viraram, após cabeçada de David Howells defendida por Mark Crossley.

O tempo foi passando e a partida ficando cada vez mais truncada, sem grandes chances para as equipes. Com 1 a 1 no placar, o jogo seria decidido na prorrogação.

E o tempo extra começou com o Tottenham pressionando. O lateral direito Van Den Hauwe cruzou e o ponta Paul Walsh cabeceou na trave, obrigando a defesa do Forest afastar para escanteio.

O meio-campista do Tottenham Nayim foi para a cobrança do escanteio. Ele cruzou, houve um bate-rebate e na tentativa de afastar, o zagueiro do Forest Des Walker acabou marcando gol contra. Era a virada do Tottenham!

Após o lance, o Forest se lançou ao ataque, mas não conseguiu empatar. O Tottenham se segurou como pôde e conquistou a sua oitava e última Copa da Inglaterra.

Com o título, o clube passou a ser o maior campeão da competição na época. Hoje, foi ultrapassado por Arsenal – 13 títulos – e Manchester United – 12 conquistas.

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

Clássicos Ingleses #04 – Sheffield United x Sheffield Wednesday