18ª rodada da Premier League: confira o resumo dos jogos

18a rodada da premier league

Teve muito jogaço na 18ª rodada da Premier League, com goleadas, zebra e muito mais.

Wolverhampton 0x2 Liverpool

Salah comemora seu 11º gol na Premier League

Debaixo de muita chuva no estádio Molineux o Wolverhampton recebeu o líder Liverpool na bertura da 18ª rodada da Premier League.Em ótima partida, muito bem disputada, os Reds conseguiram a vitória e a manutenção da liderança.

As dificuldades impostas aos visitantes pelo Wolverhampton não podem ser definidas como surpresa. O time faz bela campanha na atual temporada, tendo vencido Chelsea e com Manchester City, Manchester United e Arsenal. Também vinha de três vitórias consecutivas.

Os Wolves foram ao gramado com um meio-de-campo mais encorpado, para tirar a velocidade de transição do Liverpool. A equipe conseguiu competir bem com os líderes do campeonato e levaram perigo à meta de Alisson pelo menos três vezes.

Leia mais: Cantos dos Ingleses – Blue Is the Color, Football is the Game

O Liverpool se viu obrigado a trocar passes com paciência para encontrar espaços para acelerar as jogadas. Foi na base dessa troca de passes que Fabinho fez boa jogada com Mané, pela direita, e deu assistência para Salah, dentro da área, abrir o placar aos 18 minutos.

A primeira etapa seguiu com uma bela disputa entre os dois times. Já no segundo tempo os Reds conseguiram ter maior controle do jogo. Jurgen Klopp pode até poupar Firmino e Mané para as próximas rodadas .Aos 23 minutos van Djik recebeu ótimo passe de Salah e, de dentro da área, completou para o gol.

Os Wolves fizeram bom jogo, com destaque para Doherty e Moutinho. Mas o Liverpool conseguiu impor sua superioridade técnica, chegando a sua sétima vitória consecutiva.

Ficha Técnica

Wolverhampton: Rui Patrício; Bennett, Coady, Boly eDoherty; Saiss, Neves, Castro Otto (Vinagre 81´) e João Moutinho (Gibbs-White 63´); Traoré (Cavaleiro 63´) e Jiménez. Técnico: Nuno Espírito Santo

Liverpool: Alisson; Milner, Lovren, van Djik e Robertson; Henderson e Fabinho; Mané (Clyne 87´), Firmino (Wijnaldum 76´) e Keita (Lallana 58´); Salah. Técnico: Jurgen Klopp

Arsenal 3×1 Burnley

Aubameyang saltou para comemorar os dois gols e a liderança da artilharia (Foto: Reprodução/Arsenal FC)

O Arsenal começou partindo para cima. O Burnley foi ao Emirates Stadium com cinco na defesa e tentando fechar a casinha, mas rapidamente foi envolvido e viu seus rivais dominarem as ações.

Logo de cara, duas boas chances, com Ainsley Maitland-Niles e Mohamed Elneny. E quando o ritmo começava a abaixar e parecia que os Gunners poderiam ter dificuldades, veio o primeiro gol.

Aos 14, após longa troca de passes na direita, Mesut Özil entrou na área e fez um perfeito lançamento na esquerda. Sead Kolasinac se antecipou e rolou no meio para Pierre-Emerick Aubameyang, que bateu firme e abriu o placar. O jogo seguiu assim até o intervalo.

Leia mais: Chelsea 1×0 Aston Villa: a última final de Copa da Inglaterra no antigo Wembley

Logo aos 3 do segundo tempo, o Arsenal facilitou ainda mais sua vida. Em contra-ataque rápido, Kolasinac recebeu em disparada na esquerda e rolou para Alexandre Lacazette, que tocou na direita para Aubameyang. O camisa 14 cortou a marcação e fuzilou o gol de Joe Hart para se isolar na artilharia da PL, com 12 gols.

A partida parecia decidida, mas o Burnley ameaçou aprontar. Aos 18, após cruzamento de Phil Bardsley, a defesa do Arsenal errou, Kevin Long desviou e a bola sobrou para Ashley Barnes. O camisa 10, principal jogador dos Clarets no jogo, diminuiu e deu emoção ao final.

Sean Dyche tentou apostar em mais ofensividade, pondo Matej Vydra e Sam Vokes no jogo. Mas quem marcou foi o time de Unai Emery: aos 45, Özil entrou na área e bateu, a bola desviou e sobrou para Alex Iwobi, em condição duvidosa, fazer 3 a 1 e matar a partida.

Com o resultado, o Arsenal segue em quinto, mas chega aos 37pts e empata com o Chelsea. Já o Burnley, com 12pts, perdeu a chance de sair da zona de rebaixamento e continua no 18º lugar.

Ficha Técnica:

Arsenal: Leno; Maitland-Niles, Sokratis, Monreal (Lichtsteiner 36’), Kolasinac; Xhaka, Elneny (Torreira 59’), Guendouzi, Özil; Aubameyang, Lacazette (Iwobi 78’). Técnico: Unai Emery.

Huddersfield: Hart; Bardsley, Long, Tarkowski, Mee, Taylor; Cork, Westwood, Hendrick; Barnes (Vydra 77’), Wood (Vokes 77’). Técnico: Sean Dyche.

Manchester City 2×3 Crystal Palace

O golaço de Townsend, candidato a mais bonito da PL até agora, foi o momento alto da surpreendente vitória do Palace (Foto: Reprodução/Crystal Palace FC)

Esta, sem dúvidas, foi a grande surpresa da rodada. O Manchester City logo tentou fazer o seu jogo e com muita posse (foram 76% na primeira etapa), partiu para cima. Porém, não sufocava como em outros momentos, sem criar chances claras e com dificuldade no meio.

A qualidade do vice-líder da PL prevaleceu e, aos 27, cruzamento de Fabian Delph pela esquerda e Ilkay Gündogan testou firme para abrir o placar. O gol trouxe tranquilidade para os mandantes no Etihad Stadium, mas ninguém esperava que o Crystal Palace iria reagir.

Aos 33min, Jeffrey Schlupp recebeu na esquerda, cortou a marcação de Aymeric Laporte e bateu cruzado para empatar no primeiro chute a gol do Palace na partida. E o mais bonito viria dois minutos depois.

Após sobra de cobrança de falta, Andros Townsend fez uma pintura: bateu de longe, sem deixar a bola cair, e mandou no ângulo. Um gol de placa e uma virada relâmpago, para a festa da torcida dos Eagles, que seguraram o 2 a 1 até o intervalo.

Leia mais: Tottenham e judaísmo: uma relação centenária

Pep Guardiola pôs Kun Agüero logo no começo do segundo tempo para lançar o time ao ataque. Mas logo aos 5min, após cabeçada de Townsend na trave, Max Meyer foi derrubado por Kyle Walker na área e o juiz marcou pênalti para o Palace.

Na cobrança, Luka Milivojevic bateu bem e colocou o 3 a 1 no placar. A partir daí a tônica ficou clara: os Citizens partiram forte para cima (ainda mais após a entrada de Kevin De Bruyne) e os Eagles se seguravam, apostando em contra-ataques.

Dali para a frente, o jogo ficou bem aberto, mas não tinhas tantas oportunidades. Eis que aos 40min, De Bruyne cruzou da direita e o goleiro Vicente Guaita, adiantado aguardando o cruzamento, perdeu o tempo da bola e a viu balançar as redes.

O gol incendiou o Etihad Stadium e os mandantes partiram loucamente para cima. Mas a pressão não se concretizou em gols. Os londrinos mantiveram o placar e conseguiram uma vitória heróica, encerrando a invencibilidade de 36 jogos do City em casa.

Com o resultado, os Eagles subiram para o 14º lugar, com 18pts. Já os Citizens seguem no segundo posto com 44pts, mas agora a quatro do isolado líder Liverpool.

Ficha Técnica:

Manchester City: Ederson; Walker, Otamendi (Agüero 49’), Laporte, Delph (De Bruyne 61’); Stones, Gündogan, Bernardo Silva; Sterling (Mahrez 69’), Sané, Gabriel Jesus. Técnico: Pep Guardiola.

Crystal Palace: Guaita; Wan-Bissaka, Tomkins, Sakho, Van Aanholt; Milivojevic, McArthur, Schlupp, Townsend, Meyer (Puncheon 90+4’); Zaha (Ayew 88’). Técnico: Roy Hodgson.

Huddersfield 1×3 Southampton

Ings marcou mais uma vez na vitória dos Saints (Reuters)

Jogando em casa, o Huddersfield começou sendo pressionado pelos visitantes, mas aos poucos equilibrou a partida. Justamente quando fez isso, aos 15 minutos, Pierre-Emile Hojbjerg enfiou bela bola para Nathan Redmond abrir o placar a favor do Southampton

Os Terriers tiveram a posse de bola, só que faltou criatividade e qualidade. Enquanto isso, o time de Ralph Hasenhüttl apostava nos contra-ataques com a velocidade de Redmond. Aos 42, Danny Ings sofreu pênalti de Zanka e converteu para ampliar o placar.

No segundo tempo, cenário repetido. A diferença é que dessa vez o Huddersfield marcou. Philip Billing chutou de longe e diminui. A estratégia dos Saints, porém, foi mantida e premiada 13 minutos depois. 

Redmond (o melhor da partida) roubou a bola de Chris Schindler dentro da área e passou para Michael Obafemi decretar o placar final. Com isso, o Huddersfield continua em 18º e o Southampton sobe para 16º.

O irlandês Obafemi entrou e fechou o placar (Reuters)

Ficha técnica

Huddersfield: Lössl, Zanka, Schindler, Kongolo; Hargjonaj, Bacuna (Kachunga 65′), Billing, Pritchard, Löwe (Durm 46′); Mbenza (Quaner 81′) e Mounié. Técnico: David Wagner.

Southampton: McCarthy, Bednarek, Yoshida, Vestergaard; Valery (Stephens 79′), Romeu, Hojbjerg, Targett; Redmond, Armstrong (Lemina 69′) e Ings (Obafemi 65′). Técnico: Ralph Hasenhüttl.

Newcastle 0 x 0 Fulham

Jogo ficou marcado pelo reencontro de Mitrovic com o Newcastle (Foto: Ian MacNicol/Getty Images)

Em um dos jogos tecnicamente mais fracos da Premier League nesta temporada, o Newcastle não saiu do 0 a 0 com o lanterna Fulham no St James' Park. Com o resultado, o Newcastle soma 17 pontos e está na 15ª posição. Já o Fulham permanece na lanterna com 10 pontos.

Este é o primeiro jogo do Fulham sem sofrer gols em sua volta na Premier League. O clube, que vêm sofrendo com os problemas defensivos, acabou tendo uma atuação sólida no setor após as boas partidas de Mawson e Ream.

Já o Newcastle não foi capaz de acertar uma finalização sequer na direção do gol de Sérgio Rico e mostrou que o ataque do clube é realmente um problema. A equipe só fez mais gols do que o Huddersfield na competição.

A melhor chance do Newcastle no jogo veio no segundo tempo, quando em cobrança de escanteio de Ritchie, o zagueiro Schar cabeceou com perigo na rede do lado de fora.

A grande chance do jogo acabou sendo do Fulham e no último lance do jogo. O ex-atacante do Newcastle, Aleksandar Mitrovic recebeu sozinho na área e o seu chute foi bloqueado pelo capitão do Newcastle, Jamaal Lascelles, que garantiu um ponto para os Magpies.

Na próxima rodada, o Newcastle terá a dura missão de encarar o Liverpool no Anfield. Já o Fulham receberá o Wolverhampton no Craven Cottage.

FICHA TÉCNICA:

Newcastle: Dubravka, Manquillo (Yedlin 84′), Lascelles, Schar, Dummett; Ki, Diame, Ritchie, Ayoze, Atsu (Kenedy 72′); Rondon Técnico: Rafael Benítez

Fulham: Sergio Rico, Odoi, Mawson, Ream; Christie, Chambers, Seri, Bryan; Cairney (Ayite 82′), Schurrle (Kamara 76′), Mitrovic. Técnico: Claudio Ranieri

West Ham 0x2 Watford

O capitão e artilheiro fez de pênalti (Reuters)

Mais um visitante que se deu bem na rodada. Jogando no Estádio Olímpico de Londres, o Watford foi pressionado a maior parte do tempo pelos Hammers, mas ainda sim saiu com os três pontos.

No primeiro tempo, o trio de meias do West Ham, formado por Felipe Anderson, Michael Antonio e Robert Snodgrass, pressionava a saída de bola e conseguia, além de impedir que chegassem ao ataque, assustar o goleiro Ben Foster.

Porém, quem saiu na frente foram os Hornets. Aos 30, Roberto Pereyra sofreu pênalti de Fabián Balbuena após jogada trabalhada pela esquerda. O capitão Troy Deeney bateu e converteu.

Mesmo assim, o West Ham continuou pressionando. Muitas chances foram criadas no segundo tempo, mas todas perdidas (inclusive uma bem clara de Antonio).

No final da partida, Gerard Deulofeu tabelou com Pereyra e deu números finais. O Watford conseguiu a segunda vitória seguida e alcançou a 7ª posição. Já o West Ham perdeu depois de quatro rodadas e estagnou em 12º.

Deulofeu chega a segunda rodada seguida marcando (Reuters)

Ficha técnica

West Ham: Fabianski, Zabaleta, Balbuena (Ogbonna 34′), Diop, Masuaku; Rice, Noble (Carroll 56′), Antonio, Snodgrass, Felipe Anderson; Hernandez (Diangana 75′). Técnico: Maurício Pellegrini.

Watford: Foster, Femenía, Kabasele, Cathcart, Holebas; Capoué, Doucouré, Sema (Cleverley 75′), Pereyra; Deulofeu (Mariappa 90'+1) e Deeney (Success 86′). Técnico: Javi Gracia.

Bournemouth 2 x 0 Brighton

Divulgação/Bournemouth

O Bournemouth venceu mais uma na Premier League. Comandado por Eddie Howe, a equipe contou com uma grande partida de David Brooks no Dean Court.

Bournemouth x Brighton teve um bom início. Brooks abriu o placar com 15 minutos de jogo, colocando os Cherries na frente. Porém, antes disso, o time contou com muitas defesas do goleiro Asmir Begovic para manter o empate no placar.

Com grandes chances, o jogo seguiu aberto no segundo tempo. As duas equipes tiveram boas chances para marcar um gol até aos 73 minutos do segundo tempo. O zagueiro Lewis Dunk, do Brighton, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Quatro minutos depois, o Bournemouth marcou novamente. Com o gol de cabeça de David Brooks, o time sacramentou a segunda vitória nas últimas oito partidas. O time chega a 26 pontos, ficando na oitava posição.

O Brighton segue em má fase. O time perdeu a terceira seguida e está na décima terceira posição da Premier League.

Ficha Técnica:

Bournemouth: Begovic; Francis, Cook, Aké e Daniels; Brooks (Ibe, 92′), Lerma, Surman e Stanislas (Fraser, 65′); Wilson e King (Mousset, 86′). Técnico: Howe.

Brighton: Ryan; Montoya, Balogun, Dunk e Bernardo; Propper, Bissouma, Gross (Bong, 76′), March E Locadia (Knockaert, 70′); Andone (Murray, 80′). Técnico: Hughton.

Cardiff City 1 x 5 Manchester United

Divulgação/Manchester United

O Manchester United goleou no primeiro jogo sem o treinador José Mourinho. Sob o comando de Solskjaer, ex-jogador da equipe, os Reds Devils venceram o jogo contra o Cardiff City por 5 a 1 fora de casa.

Um frágil Cardiff City foi presa fácil para um Manchester United avassalador. Com apenas três minutos de jogo, após cobrança de falta de Rashford, o time inglês abriu o placar no Sul de País de Gales.

O primeiro tempo acabou com o resultado de 3 a 1 a favor do time visitante com gols de Ander Herrera e Martial para o Manchester United. Enquanto isso, Camarasa marcou o único gol do time de País de Gales na partida.

Na volta do intervalo, Jesse Lingard sofreu uma falta dentro da área. Na cobrança do pênalti, o meia ampliou o placar para 4 a 1 aos 57 minutos de duelo. Ele também marcou no último minuto de jogo, sacramentando a vitória de 5 a 1 da equipe vermelha.

Foi a primeira vez que o Manchester United marcou cinco gols em uma partida da Premier League. A última vez que isso aconteceu foi na última partida de Alex Ferguson, em 2013.

Atualmente, o time está com 29 pontos, na sexta posição. O adversário, que subiu nesta temporada, está com apenas 14 pontos, em décimo sétimo na tabela de classificação da Premier League.

Ficha Técnica:

Cardiff City: Etheridge; Manga, Morrison, Bamba, Cunningham; Hoilett (Harris, 73′), Gunnarsson (Ralis, 83′), Camarasa, Arter (Zohore, 61′), Murphy; Paterson. Técnico: Warnock.

Manchester United: De Gea; Young, Jones, Lindelof; Shaw, Matic (Fellaini, 87′), Herrera, Pogba; Lingard, Rashford (Fred, 79′); Martial (A. Pereira, 87′). Técnico: Solskjaer.

Everton 2 x 6 Tottenham

Kane e Dele Alli marcaram gols na goleada dos Spurs sobre o Everton

No fechamento da rodada, Everton foi goleado pelo Tottenham em pleno Goodison Park, em Liverpool.

O gol poderia dar ao Everton o controle do jogo, mas suad3efesa presenteou o rival com o empate. Aos 27 minutos, em um lançamento o qualSon não conseguiria alcançar, ozagueiro Zouma e o goleiro Pickford praticamentetrombaram um com o outro e a bola sobrou limpa para o sul-coreano marcar.

Os Spurs dominaram as ações. Os donos da casa davam espaços no meio-de-campo e possibilitavam que Eriksen e Dele Alli tivessem tempo para armar jogadas. As bolas chegavam a Kane que causava problemas para Pickford.

Foi uma surpresa, portanto, quando, em boa combinação entre Sigurdsson, Calvert-Lewin e Walcott, o último finalizou da entrada da pequena área para abrir o placar aos 21 minutos.

Após o empate os visitantes voltaram a pressionar e criar jogadas com certa facilidade. Aos 35 minutos Dele Alli virou o jogo. Aos 42, em rebote após cobrança de falta, Kane aumentou.

O começo do segundo tempo foi frenético. Logo aos 3 minutos Eriksen marcou golaço de fora da área. Aos 6, Sigurdsson fez bela jogada individual e diminuiu para o Everton.

O segundo gol dos Toffees não foi o alento que os torcedores esperavam, pois este jogo foi um passeio dos visitantes, que se impuseram técnica e taticamente de maneira contundente.

Son, aos 16, e Kane, aos 29 minutos, completaram a goleada. O Everton agora está há cinco partidas sem vencer. Os Spurs conseguem sua quarta vitória consecutiva no campeonato e se consolidam na terceira colocação apenas dois pontos atrás do Manchester City.

Ficha Técnica:

Everton: Pickford; Coleman, Keane, Zouma e Digne; Davies e André Gomes (Schnneiderlin 53´); Walcot, Sigurdsson (Tosun 82´) e Richarlison (Bernard 75´); Calvert-Lewin. Técnico: Marco Silva

Tottenham: Lloris; Trippier, Alderweireld, Sanchez eDavies; Winks e Sissoko (Lucas 82´); Eriksen, Dele Alli (Lamela 45´) e Son (Skipp 79´); Kane: Mauricio Pochettino