17ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

Veja o que de melhor aconteceu na rodada do fim de semana da Women's Super League!

(Photo by Charlotte TattersallGetty Images)
Charlotte Tattersall Getty Images

Com média de quase quatro gols partida, o que não faltou foi emoção e bola na rede na Women's Super League. Teve duelo emocionante entre as líderes, jogo direto na parte de baixo da tabela e muito mais. Confira como foram os jogos da 17ª rodada da WSL!

Acompanhe a PL Brasil no Youtube!

Everton 2×3 Manchester United

Everton e Manchester United fizeram um jogo digno de equipes que brigam por posições na parte alta da tabela.

As visitantes começaram de forma dominante: aos 21 e aos 29 minutos da primeira etapa, Leah Galton já havia marcado dois belos gols, ambos após chutes cruzados da ponta-esquerda, dentro da área.

As Toffees tentaram esboçar reação ainda na primeira etapa, mas não chegaram a ameaçar a meta da arqueira Mary Earps, do Man United.

O segundo tempo começou bem parecido com o primeiro, com o Manchester United melhor e convertendo seu domínio em gols. Aos 18 minutos, após cruzamento da direita de Jane Ross e furada de Jessica Sigsworth, Ella Toone apenas empurrou para as redes: 3 a 0.

Parecia que o confronto estava decidido. Só parecia. Quatro minutos depois, começou a reação do Everton. Aos 22, Chloe Kelly cobrou escanteio na cabeça da capitã Danielle Turner, que testou para as redes e diminuiu a diferença no marcador.

O gol acendeu o time e a torcida da casa. Após algumas boas chances desperdiçadas, saiu o segundo gol Toffee, com uma certa dose de sorte. Aos 38 minutos Lucy Graham levantou a bola de muito longe, dando a impressão de um cruzamento para a área, mas a bola encobriu a goleira Earps e morreu onde a coruja dorme: 3 a 2.

Leia mais: Manchester City Women, o projeto de ser uma potência no futebol feminino

Apenas um gol atrás no placar e com menos de dez minutos de jogo restantes, as anfitriãs partiram para cima nos minutos finais em busca do improvável empate. Mas para decepção da torcida azul de Liverpool, a defesa Red Devil foi capaz de se segurar até o final e garantir suados e emocionantes três pontos ao time de Manchester.

Ficha técnica:

Everton: MacIver; Morgan (Magill), van Es, Finnigan, Turner; Stringer (Hinds), Clemaron; Kaagman (Cain), Graham, Boye-Hlorkah; Kelly. Técnico: Willie Kirk.

Manchester United: Earps; Smith, McManus, Turner, Okvist; Ross, Ladd; Toone (Zelem), Groenen, Galton (Arnot); Sigsworth (Harris). Técnica: Casey Stoney.

Birmingham City 0x1 Bristol City

O Birmingham recebeu o Bristol para uma partida decisiva pela 17ª rodada da WSL, em uma briga direta de duas equipes que brigam contra o rebaixamento. Mas mesmo com a partida em Birmingham, as visitantes conseguiram uma gigantesca vitória.

As Brummies não só possuíam o mando de campo, mas tiveram também os melhores números em algumas das principais estatísticas. Conseguiram cerca de 54% da posse de bola e chutaram seis vezes ao gol, sendo quatro delas na direção correta. Porém, o que acabou por prevalecer fora a eficiência de Ebony Salmon.

A atacante de 19 anos entrou no decorrer da partida e mais uma vez foi essencial para o balançar das redes para o Bristol. A camisa 9 conseguiu seu quinto gol nesta temporada, empatando no quesito com estrelas como Daniëlle van de Donk e Ellen White.

Salmon precisou de aproximadamente 10 minutos para abrir o placar. Ela entrou no segundo tempo e, aos 30 minutos, recebeu lançamento direto da defesa e achou seu espaço. Apesar do chute em cima da goleira adversária, ele foi suficiente para entrar e dar números finais ao duelo da parte de baixo da tabela.

O Bristol conseguiu uma vitória enorme, ultrapassando as rivais do duelo na tabela. Agora a equipe aparece no 10º lugar, com nove pontos – dois acima do Birmingham, que está uma posição atrás.

Ficha técnica:

Birmingham: Hampton; Jordan, Scott (Walker), Visalli, Brougham; Grant, Harrop, Whipp, Mayling; Kelly, Williams (Scofield). Técnica: Marta Tejedor

Bristol: Baggaley; Matthews, Pattinson, Daniels, Brown; Wellings, Logarzo, Jeon (Wynne), Bryson; Chance (Allen), Robinson (Salmon). Técnica: Tanya Oxtoby

Brighton 0x1 Tottenham

Entrando na rodada separadas por dois pontos no meio da tabela, Brighton e Tottenham prometiam um duelo equilibrado. E foi justamente no detalhe que a partida se decidiu: um pênalti de Rianna Dean deu a vitória às Spurs.

O Tottenham começou melhor, controlando as ações contra um Brighton muito físico. Até que aos 30 minutos, por dois amarelos, Lea Le Garrec foi expulsa. Por incrível que pareça, mesmo com uma a menos o Brighton cresceu.

Kayleigh Green, Aileen Whelan e Danielle Bowman tiveram boas chances, fazendo a goleira Rebecca Spencer trabalhar. O primeiro tempo poderia muito bem ter terminado com as mandantes à frente, mas o intervalo marcava 0 a 0 no placar.

Leia mais: Fara Williams, a dona das bolas paradas do Reading

No segundo tempo, o Tottenham voltou melhor e enfim fez a vantagem numérica se consolidar. Dessa vez, quem teve que trabalhar foi Megan Walsh: a goleira do Brighton evitou que as visitantes abrissem o placar logo após o intervalo.

Mas aos 21, o lance que decidiu o jogo. Kirsty Barton derrubou Angela Addison na área e a arbitragem assinalou a penalidade. Na cobrança, a artilheira Dean não deu chances a Walsh e colocou as londrinas na frente.

Dali para a frente, nada de realmente chamativo aconteceu. O Tottenham segurou o placar que lhe interessava, foi cirúrgico e manteve o 1 a 0 até o fim. O triunfo manteve as Spurs na primeira metade da tabela, enquanto as Seagulls seguem em nono lugar, mas ainda longe em pontos da zona de rebaixamento.

Ficha técnica:

Brighton: Walsh; Barton, Kerkdijk, Williams, Le Tissier; Simpkins (Natkiel), Bowman, Green, Nildén (Umotong); Le Garrec, Whelan. Técnica: Hope Powell.

Tottenham: Spencer; Neville, Filbey, Godfrey, Worm; Leon (Quinn), Percival, Green, Addison (Graham), Davison (Peplow); Dean. Técnica: Karen Hills.

Manchester City 3×3 Chelsea

Um jogaço! Líderes da liga, Manchester City e Chelsea prometiam a melhor partida da 17ª rodada da WSL. E elas não decepcionaram: foi uma partida de arrepiar no The Academy Stadium.

O jogo começou em ritmo intenso, com as duas equipes criando ótimas chances. E aos 22 minutos, o Man City abriu o placar: cruzamento de Janine Beckie e Ellen White, sempre ela, fez 1 a 0.

Mas ainda antes do intervalo, o Chelsea empatou. No cruzamento de Maren Mjelde, Ji So-Yun acertou um chute que desviou em Demi Stokes e matou qualquer chance de defesa.

Veio o segundo tempo e as Citizens seguiram no ímpeto forte. A recompensa veio aos 15 minutos: lançamento de Lauren Hemp e a defesa do Chelsea quase interceptou, mas a bola chegou aos pés de Georgia Stanway. A jovem atacante inglesa concluiu sem chances para a goleira Ann-Katrin Berger, e fez o gol de número 2.000 da WSL.

Aí o jogo teve uma sequência de oito minutos alucinantes. Primeiro, aos 23, Magdalena Eriksson acertou a cabeçada, Ellie Roebuck aceitou e o Chelsea empatou. Logo depois, Caroline Weir foi derrubada na área, e pênalti para as Citizens. Mas Stanway, podendo se consagrar, bateu e Berger fez a defesa.

Aos 29, o Chelsea virou. Bethany England acertou um chutaço e fez o seu 14º gol na WSL, em uma temporada iluminada. Só que ainda cabia mais, e a reação do City veio dois minutos depois. Weir acertou um lindo passe para Hemp, que dentro da área, finalizou sem chances para Berger: 3 a 3.

No fim, o ritmo acalmou, mas ainda houve tempo para uma grande preocupação. Após uma dividida já nos minutos derradeiros, Roebuck machucou o tornozelo em um lance aparentemente sério e deixou o campo. A goleira do Manchester City ainda será avaliada para descobrir-se a gravidade da lesão.

O resultado deste jogo frenético acabou sendo melhor para o Chelsea, que segue um ponto atrás do Manchester City, mas com um jogo a menos – dependendo apenas de si mesmo para assumir a ponta.

Ficha técnica:

Manchester City: Roebuck (Benameur); Stanway, Houghton, Bonner, Stokes; Walsh, Weir, Scott, Hemp; Beckie, White (Bremer). Técnico: Alan Mahon.

Chelsea: Berger; Mjelde, Bright, Ericsson, Andersson; Ingle, Cuthbert, Reiten (Bachmann), Ji So-Yun (Thorisdóttir); Kerr (Spence), England. Técnica: Emma Hayes.

West Ham 4×2 Liverpool

O Liverpool mais uma vez mostrou sua fragilidade defensiva, nesta oportunidade contra o West Ham. Os quatro gols sofridos acabaram por computar a terceira derrota seguida das Reds na competição. Melhor para a dupla Martha Thomas e Adriana Leon – marcaram duas vezes cada uma.

Parte da estratégia das Hammers como donas da casa foi ceder à adversária a bola em grande parte da partida. Tendo 46% de posse durante os 90 minutos, os tentos bem sucedidos da equipe deixaram expostos os espaços que suas adversárias cederam ao longo do jogo.

O primeiro deles, aos 26 minutos, veio dos pés de Leon, que aproveitou um contra-ataque repleto de espaços para serem explorados. Um minuto após Leon encontrar as redes, foi a vez de Martha Thomas.

O lance surgiu de uma virada errada de bola no campo defensivo do Liverpool. Alisha Lehmann foi mais esperta e aguerrida que as adversárias, se infiltrou dentro da área e cruzou rasteiro para Thomas fazer o seu.

As Hammers mantiveram o ritmo no segundo tempo, com mais dois gols – novamente de Thomas e Leon, respectivamente. O Liverpool até buscou reagir no fim com dois gols de bola parada, sendo o primeiro deles marcado através de uma grande confusão. Rachel Furness foi a autora de ambos os tentos.

Os gols, no entanto, não auxiliaram muito na busca por um ponto fora de casa. O West Ham voltou a vencer depois de duas derrotas seguidas e poderá sonhar novamente com uma posição mais confortável na tabela da WSL.

Ficha técnica:

West Ham: Moorhouse; Baunach (Wallén), Vetterlein, Fisk (Kvamme), Flaherty; Middag, Dali, Simic (Littlejohn); Leon, Lehmann, Thomas. Técnico: Matt Beard.

Liverpool: Preuss; Jane, Auckland, Fahey, Robe; Furness, Bailey (Murray); Lawley, Linnett (Roberts), Charles; Hodson (Clarke). Técnica: Vicky Jepson.

Arsenal x Reading – adiado

A partida entre Arsenal e Reading foi adiada. Isso porque o Arsenal jogou neste domingo (23) diante do Lewes pela FA Cup – venceu por 2 a 0 – e não pôde jogar pela 17ª rodada da WSL. Ainda será definida uma nova data para o confronto.

Classificação após 17 rodadas (sem a realização da 15ª):
1º – Manchester City: 40
2º – Chelsea: 39 (-1 jogo)
3º – Arsenal: 36 (-1 jogo)
4º – Manchester United: 23 (-2 jogos)
5º – Reading: 21 (-2 jogos)
6º – Tottenham: 20 (-1 jogo)
7º – Everton: 19 (-2 jogos)
8º – West Ham United: 16 (-2 jogos)
9º – Brighton & Hove Albion: 13
10º – Bristol City: 9 (-2 jogos)
11º – Birmingham City: 7 (-3 jogos)
12º – Liverpool: 6 (-2 jogos)

Próxima rodada (18ª de 22):
Manchester United x West Ham, 22/03
Tottenham x Birmingham, 22/03
Chelsea x Everton, 22/03
Liverpool x Manchester City, 22/03
Reading x Brighton, 22/03
Bristol City x Arsenal, 22/03

Texto produzido por Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Lucas Bichão.