17ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Confira o que de melhor aconteceu na espalhada rodada desta semana!

0
464
17ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto destacada: Imago Images)

Uma espalhada 17ª rodada da WSL 2020/2021 aconteceu nesta semana! Os jogos se diluíram por dois finais de semana, com vitórias das líderes e confrontos diretos em ambas as partes da tabela.

Confira o resumo da PL Brasil com os jogos da semana na Women's Super League!

Leia mais: Dubai-Gate, campos destruídos e o eterno problema de calendário da WSL

Reading 0x0 Tottenham

A 17ª rodada da WSL 2020/2021 foi aberta com um empate sem gols entre Reading e Tottenham. O duelo era importante para duas equipes do meio de tabela, mas só aumentou o jejum de ambas: as Royals já chegam a três jogos sem vitória, e as Spurs a cinco. Pelo menos, no caso do Tottenham, quebrou a sequência de quatro derrotas.

O primeiro tempo foi de poucas emoções e fracas ações ofensivas como um todo. Com mais medo de perder do que vontade de ganhar, as rivais pouco fizeram. A melhor chance foi do Reading: após lançamento longo, Jess Fishlock finalizou na trave. Fora isso, nada aconteceu e placar zerado para o intervalo no Madjeski Stadium.

Na segunda etapa, ambos os times voltaram mais decididos pela vitória, e o jogo melhorou. O Tottenham teve duas oportunidades muito boas, com Rosella Ayane frente a frente à goleira Grace Moloney, e com Gemma Davison na cara do gol. Mas em ambas, a arqueira das Royals se sobressaiu com ótimas defesas.

Ayane era o principal nome de perigo do segundo tempo, e deu trabalho à defesa do Reading. Com isso, as Spurs tentaram uma pressão no fim e por pouco não marcaram com uma cabeçada de Alanna Kennedy, defendida mais uma vez por Moloney. Pouco antes as mandantes haviam chegado com Emma Harries, mas a goleira Aurora Mikalsen salvou com o pé para o Tottenham.

O resultado não ajuda muito as duas equipes, uma vez que o Everton segue estacionado na sexta colocação, enquanto o Tottenham está em oitavo, a apenas cinco pontos do West Ham, o lanterna (que será o único rebaixado à segunda divisão).

Ficha Técnica:

Reading: Moloney; Leine, Bartrip, Mitchell; James, Fishlock (Roberts), Williams, Harding, Woodham (Cooper); Eikeland, Harris (Carter). Técnica: Kelly Chambers.

Tottenham: Mikalsen; Morgan, McManus, Zadorsky, Worm; Green (Graham), Kennedy, Davison (Williams), Percival, Addison (Quinn); Ayane. Técnica: Rehanne Skinner.

Everton 0x3 Chelsea

O Everton recebeu o Chelsea pela 17ª rodada da WSL 2020/2021 no Walton Hall Park. Com grande destaque da goleira das Toffees, Tinja-Riikka Korpela, as donas da casa perderam por 3 a 0 para as Blues, gols de Fran Kirby, Pernille Harder e Melanie Leupolz. Realce para a volta de Erin Cuthbert.

No segundo minuto do primeiro tempo, Megan Finnigan concedeu um pênalti após tocar a bola com a mão dentro da área. Leupolz foi para a marca da cobrança, bateu, mas a goleira finlandesa defendeu com bastante segurança. Porém, a equipe do Chelsea não desistiu de abrir o placar. Aos 14 minutos, Sam Kerr encontrou Kirby sem marcação indo para o campo do adversário, e a inglesa marcou o primeiro gol das Blues.

A goleira Korpela continuou com ótima aparição na primeira etapa, impedindo grandes chances de Harder, Cuthbert e Kirby. Aos 15 minutos do segundo tempo, Niamh Charles encontrou Kerr que se movimentou pela direita e cruzou para Kirby, que passou para Harder fazer o segundo das Blues.

Aos 35, Leupolz se redimiu e marcou o seu após Millie Bright encontrar Harder, que finalizou para o gol e a alemã apenas empurrou a bola para dentro. Grande destaque para Harder que se movimentou bastante durante a partida e marcou um gol, além de Kerr e Kirby que estão aumentando seus marcadores para a artilharia, ambas com 12 gols.

Kirby é a jogadora mais efetiva da competição, com 1,63 gol + assistência a cada 90 minutos de jogo. É grande favorita para alcançar a artilharia após seu retorno aos gramados.

Ficha Técnica:

Everton: Korpela; Raso (Lehman), George, Finnigan, Sevecke, Sorensen (Moe Wold); Christiansen, Graham, Scott; Emslie, Magill (Gauvin). Técnico: Willie Kirk.

Chelsea: Berger; Charles, Bright, Eriksson, Andersson (Carter); Leupolz, Ji; Cuthbert, Kirby (Fleming), Harder; Kerr (Reiten). Técnica: Emma Hayes.

Aston Villa 0x2 Brighton

O Aston Villa recebeu no Bescot Stadium o Brighton & Hove Albion para um duelo bastante importante da 17ª rodada da WSL 2020/2021. As Villans precisavam da vitória em casa para se afastar da zona de rebaixamento, já que se encontram em uma diferença muito pequena para a última colocada. No entanto, o time não conseguiu um bom resultado e perdeu por 2 a 0 para as visitantes. 

A partida foi bastante equilibrada como um todo, com ambos os times gerando perigo para as goleiras adversárias. A diferença de posse de bola ao final do duelo mostra essa paridade, com o Brighton tendo 52% e vencendo no quesito. O número de chutes ao gol também não esteve distante, o Aston Villa chutou 10 vezes contra 12 das adversárias. 

No entanto, o diferencial das Seagulls para chegar à vitória esteve na qualidade das chances que criou. A equipe trabalhou melhor a bola, fazendo com que mais chances claras fossem criadas. Depois de martelar algumas vezes a defesa das adversárias, o gol acabou saindo. Ele veio dos pés de Aileen Whelan, que aproveitou rebote após ótimo chute de Megan Conolly.

Enquanto o ponto forte do Brighton foi o trato com a bola no ataque, o Aston Villa teve suas melhores chances através da pressão na marcação adiantada. As visitantes tiveram muitos problemas na saída de bola, por vezes demonstrando não saber o que estavam fazendo. Porém, as três grandes chances criadas com essa arma foram desperdiçadas.

Próximo ao fim, o Brighton ainda ganhou um pênalti que foi convertido por Inessa Kaagman. Com o gol o time conquistou os três pontos e chegou a 21 conquistados na competição, dando um ótimo salto para a sexta posição. Já o Villa estaciona no 10º lugar.

Ficha Técnica: 

Aston Villa: Weiß; Ale, Fraklin-Fraiture (Hanssen), Asante, Siems (Silva), Hutton; Iwabuchi, Arthur, Ewers; Follis, Hayles (Gregory). Técnico: Marcus Bignot.

Brighton & Hove Albion: Walsh; Le Tissier, Kerkdijk, Williams; Brazil, Koivisto, Connolly, Kaagman (Bance), Heroum (Green); Geum-min (Jarrett), Whelan. Ténica: Hope Powell.

West Ham 2×2 Birmingham City

Brigando ponto a ponto para se livrar do rebaixamento, o West Ham partiu para cima do Birmingham City, num duelo movimentado pela 17ª rodada da WSL 2020/2021. Ambas as equipes vinham de sequências negativas: as Hammers não ganhavam havia cinco jogos, enquanto as Blues não venciam um jogo na WSL desde novembro.

Apesar da longa seca de triunfos, o Birmingham foi quem tomou a iniciativa e abriu o placar. Logo aos nove minutos, após jogada ensaiada em cobrança de escanteio, Claudia Walker finalizou em cima da zaga e, no rebote, a jovem Emily Murphy, de 18 anos, conferiu: 1 a 0 para as visitantes.

O Birmingham continuou ditando o ritmo e as jogadas do primeiro tempo, mas não conseguiu ampliar a vantagem. Já o West Ham só conseguia ameaçar em lances de bola parada, mas esbarrava na boa e segura atuação da goleira Hannah Hampton.

No segundo tempo o cenário mudou drasticamente. As anfitriãs saíram mais para o ataque e o empate veio logo no primeiro minuto. Tão segura no primeiro tempo, a arqueira Hampton falhou ao tentar cortar cruzamento para a área e Emily van Egmond aproveitou a sobra, tocando para o gol vazio. Foi o quarto gol da australiana na WSL 2020/2021.

O gol foi como uma ducha de água fria nas visitantes e um combustível para as donas da casa. As Hammers desperdiçaram grandes chances, quase sempre parando nas defesas de Hampton, uma das protagonistas da partida. Na melhor delas, a atacante Martha Thomas recebeu cara a cara, mas chutou em cima da goleira das Blues.

Aos 28, a pressão do West Ham surtiu efeito e a virada veio. Kateřina Svitková recebeu de van Egmond na área e finalizou de primeira, marcando belo gol: 2 a 1 para as Hammers e segundo gol da meia-atacante tcheca na WSL.

Sem uma finalização sequer no segundo tempo, as visitantes abdicaram de qualquer tática e partiram para o abafa nos minutos finais. Quando parecia que o West Ham seguraria a vantagem, aos 49 veio o castigo. Sarah Mayling cruzou da direita e a zagueira Ruby Mace, de 17 anos, apareceu livre para empatar: 2 a 2, dando números finais à partida.

Ficha técnica:

West Ham: Brosnan; Fisk, Flaherty e Vetterlein; Kvamme, Longhurst, Brynjarsdóttir e Svitková; Dali (Pacheco), van Egmond e Thomas (Cissoko). Técnico: Olli Harder.

Birmingham City: Hampton; Mayling, Brougham, Mace e Holloway; Whipp (Lawley) e Murray; Murphy, Littlejohn e Napier (Green); Walker. Técnica: Carla Ward.

Bristol City 0x3 Manchester City

O Bristol City chegou para a 17ª rodada da WSL 2020/2021 embalado após enfim sair da zona de rebaixamento. Mas a empolgação durou pouco. O poderoso Manchester City apareceu no caminho desta vez, e venceu com tranquilidade. É a décima vitória seguida (!!) das Citizens na liga.

As visitantes já começaram em Twerton Park impondo o próprio ritmo, ditando o comando. O resultado já apareceu logo aos 12 minutos: assistência de Chloe Kelly e Caroline Weir, de cara para o gol, finalizou abrindo o placar. O gol sacramentou o destino que o jogo teria.

Pressionando, o Man City quase marcou o segundo logo depois, mas Ellen White estava impedida. A artilheira, porém, não vacilou na chance seguinte, e fez 2 a 0 ao receber passe de Lauren Hemp com 30 minutos. Era um ambiente absolutamente controlado pelas atuais vice-campeãs, que não tinham dificuldade alguma.

Veio o segundo tempo e o cenário não mudou. As Citizens apertavam as Robins e quase fizeram o terceiro em belo chute da zagueira Abby Dahlkemper, que parou em defesa espetacular de Sophie Baggaley. Aos 44 minutos, a goleira novamente salvou em chute de Janine Beckie, mas não impediu a cabeçada de Sam Mewis, selando o 3 a 0 no placar final.

O resultado faz com que o Man City siga na caça ao líder Chelsea, com apenas dois pontos de diferença entre ambos. Já o Bristol City viu o West Ham empatar na rodada, e com isso voltou à lanterna – que será o único time rebaixado. Ambos estão empatados em pontos, mas as Hammers lideram no saldo de gols.

Ficha Técnica:

Bristol City: Baggaley; Allen (Bryson), Skeels, Rafferty, Purfield; Mastrantonio (Layzell), Bissell, Palmer (Humphrey), Pike, Jones (Daniels); Harrison (Wellings). Técnicos: Tanya Oxtoby e Matt Beard.

Manchester City: Roebuck; Stanway, Dahlkemper, Greenwood, Morgan (Stokes); Walsh, Mewis, Weir; Kelly (Beckie), Hemp (Park), White (Lavelle). Técnico. Gareth Taylor.

Arsenal 2×0 Manchester United

Num dos jogos mais esperados da 17ª rodada da WSL 2020/2021, Arsenal e Manchester United tiveram confronto direto pelo G3. Ambas as equipes vinham de vitórias convincentes no fim de semana anterior sobre Birmingham (4 a 0) e Aston Villa (3 a 0), respectivamente.

Logo no início, aos três minutos, Caitlin Foord mostrou visão de jogo e deixou a holandesa Jill Roord na cara do gol. A camisa 14 do Arsenal finalizou cruzado e a bola desviou na zagueira Millie Turner antes de entrar. Na súmula, foi assinalado gol contra da zagueira das Red Devils.

Apesar da desvantagem logo nos minutos iniciais, as visitantes não se intimidaram e adotaram postura mais ofensiva, em busca do empate. Entretanto, o Manchester United só teve uma única boa chance antes do intervalo: aos 27, Laura James recebeu com liberdade na entrada da área, mas seu chute saiu por cima do travessão.

O segundo tempo começou mais animado. Aos quatro minutos, Beth Mead avançou pela ponta-direita e chutou cruzado, mas a bola passou rente à trave. Dois minutos depois, Katie McCabe cobrou escanteio e a jovem zagueira Carlotte Wubben-Moy testou para as redes: 2 a 0 e segundo gol de Wubben-Moy na WSL.

Quando parecia que o jogo já estava decidido, as Red Devils receberam uma motivação extra aos 17 minutos. Após uma entrada mais dura, a ponta Mead, que até ali fazia boa partida, recebeu seu segundo amarelo e deixou as Gunners com apenas 10 em campo.

Com uma jogadora a mais, o United pressionou até o fim, mas parou nas defesas da goleira austríaca Manuela Zinsberger e na zaga. Na chance mais clara, Ella Toone chegou a balançar as redes, aos 36 minutos, mas o tento foi anulado por impedimento e o 2 a 0 se manteve até o final.

Ficha técnica:

Arsenal: Zinsberger; Maritz, Wubben-Moy, Wälti e McCabe; Little (Patten), Roord (Gut) e van de Donk (Nobbs); Mead, Foord e Miedema (Evans). Técnico: Joe Montemurro.

Manchester United: Earps; Harris, Amy Turner, Millie Turner e Batlle; Zelem e Groenen (Ladd); Toone, Staniforth e James (Sigsworth); Press. Técnica: Casey Stoney.

Classificação após a 17ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Chelsea: 44
2º – Manchester City: 42
3º – Manchester United: 35
4º – Arsenal: 32 (-1 jogo)
5º – Everton: 25
6º – Brighton: 21
7º – Reading: 20
8º – Tottenham: 16 (-1 jogo)
9º – Birmingham City: 12 (-1 jogo)
10º – Aston Villa: 10 (-2 jogos)
11º – West Ham: 9 (-2 jogos)
12º – Bristol City: 9 (-1 jogo)

Próxima rodada da WSL 2020/2021 (18ª de 22):

  • Manchester United x West Ham, 27/03
  • Tottenham x Arsenal, 27/03
  • Manchester City x Reading, 27/03
  • Brighton x Everton, 28/03
  • Chelsea x Aston Villa, 28/03
  • Birmingham x Bristol City, 28/03

Texto produzido por Alicia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Lucas Bichão.

Não há posts para exibir