16ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Pela primeira vez em muito tempo, todos os seis jogos da rodada foram realizados

0
603
16ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League
(Foto: Imago Images)

O fim de semana foi da 16ª rodada da WSL 2020/2021! Pela primeira vez em muito tempo, a Women's Super League voltou a ter uma rodada completa, com todos os seis jogos realizados. E o favoritismo das líderes se confirmou mais uma vez.

Confira o resumo do que melhor aconteceu nas partidas desta rodada da WSL!

Manchester United 3×0 Aston Villa

Após duas derrotas consecutivas para Reading e Manchester City, o Manchester United viu não só a chance de disputar o título ruir, como a possibilidade de uma vaga direta à próxima Champions League ir se distanciando ao perder a segunda colocação. Precisando se recuperar, fez do Aston Villa sua vítima na 16ª rodada da WSL 2020/2021.

Casey Stoney tem encontrando dificuldades para montar a equipe já que uma onda de lesões acomete a mesma. Mas a treinadora teve as voltas de Martha Harris e, do nome do jogo, Lucy Staniforth.

O primeiro tempo das Reds foi ruim, o que pode soar estranho já que foram para o intervalo vencendo por 2 a 0. Coletivamente, o time mostrou os mesmos problemas que custaram pontos recentemente. Mas, individualmente, Staniforth destoava.

Movimentação, aplicação tática e uma técnica refinada fizeram a camisa 37 ‘construir' o marcador. No primeiro gol, ela pressionou a saída de bola e fez Chloe Arthur errar o passe nos pés de Kirsty Hanson, que acertou um chutaço de fora da área. Já no finalzinho da primeira etapa, ela cobrou falta pela direita e colocou a bola na cabeça de Jessica Sisgsworth que só teve o trabalho de empurrar para as redes: 2 a 0.

No segundo tempo o United voltou melhor, conseguindo ter boas trocas de passes e construir jogadas importantes. Já o Villa pouco pegava na bola. A goleira Mary Earps, que completava 28 anos, foi uma mera espectadora em campo e viu, aos 27 minutos, Hayley Ladd – que acabara de entrar – cruzar e a pequena Katie Zelem aparecer na pequena área, subir mais que todo mundo e cabecear para o fundo das redes.

Além da vitória, que consolida o United na terceira colocação, uma Red Devil teve motivos de sobra para comemorar: Carrie Jones, de 17 anos, fez sua estreia no time principal. Por outro lado, o Villa segue sem vencer e fica cada vez ameaçado na briga contra o rebaixamento.

Ficha Técnica:

Manchester United: Earps; Battle, M. Turner, A. Turner (Thorisdóttir), Harris; Zelem, Groenen (Ross); Hanson, Staniforth (Ladd), Toone (Ivana); Sigswoth (Jones). Técnica: Casey Stoney.

Aston Villa: Weiß; Ale, N'Dow (Siems), Asante, Haigh (Hanssen), Hutton; Ewers, Arthur (Syme), Hayles (Follis); Iwabuchi, Larsen. Técnico: Marcus Bignot.

Birmingham City 0x4 Arsenal

Vindo de goleada de 4 a 0 sobre o Aston Villa, o Arsenal atropelou dessa vez a outra equipe de Birmingham pela 16ª rodada da WSL 2020/2021. E pelo mesmo placar.

No primeiro tempo parecia que o gol era apenas questão de tempo. As Gunners tomaram as rédeas da partida e pressionaram o Birmingham desde o primeiro minuto. No entanto, a postura ofensiva das londrinas só seria premiada nos instantes finais. Aos 37 minutos, Caitlin Foord se aproveitou de bate e rebate na área das Blues e testou para as redes.

Dois minutos depois, novamente Foord mostrou bom posicionamento de área e completou cruzamento rasteiro de Vivianne Miedema para o gol: 2 a 0 e nono gol da australiana em 14 jogos da WSL 2020/2021.

No segundo tempo o cenário se repetiu. O Birmingham City se fechava na defesa e a goleira Hannah Hampton fazia o que podia para evitar um placar ainda mais dilatado. A brava resistência da jovem arqueira das Blues durou até os 31 minutos. Ainda em branco no jogo, a artilheira Miedema disparou um foguete da entrada da área, sem chance de defesa para Hampton: 3 a 0 e 14º gol da holandesa na WSL 2020/2021.

Com a vitória praticamente assegurada, as visitantes seguiram dominando a posse de bola, mas sem criar grandes chances. Entretanto, ainda haveria tempo para mais uma bola na rede. Aos 48, a substituta Lisa Evans recebeu passe açucarado de Miedema e finalizou na saída da goleira Hampton.

A segunda goleada seguida mantém as Gunners vivas na briga por uma vaga no G3. Já as Blues de Birmingham se encontram cada vez mais próximas da temida zona de rebaixamento.

Ficha Técnica:

Birmingham City: Hampton; Scott, Mace, Brougham e Holloway; Mayling, Littlejohn, Green (Whipp), McCarron (Murray) e Kelly (Napier); Murphy (Walker). Técnica: Carla Ward.

Arsenal: Williams; Maritz (Maier), Williamson, Wubben-Moy e McCabe; Wälti (Gut), van de Donk (Roord) e Foord (Little); Nobbs (Evans), Mead e Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Brighton 2×0 Tottenham

O duelo entre Brighton e Tottenham pela 16ª rodada da WSL 2020/2021 colocava frente a frente times em momentos distintos. E o resultado apenas confirmou a atualidade: as Seagulls chegaram à terceira vitória seguida, enquanto as Spurs acumulam quatro derrotas consecutivas.

Mas o primeiro tempo não foi fácil para ninguém: mandantes, visitantes e quem assistiu. Um jogo muito fraco tecnicamente, com poucas chances e muitas paralisações. A melhor oportunidade foi do Brighton, quando após uma cobrança de escanteio, a goleira rival Aurora Mikalsen falhou e a zaga cortou na linha.

Veio a segunda etapa e o jogo melhorou de vez. O Tottenham chegou primeiro com Siri Worm acertando a trave. Mas quem marcou na primeira boa chance foi o Brighton. Aos 19 minutos, após cruzamento da direita, Ellie Brazil desviou de cabeça e Inessa Kaagman acertou um belo chute de primeira, no canto esquerdo, balançando as redes.

E dez minutos depois, ela aprontou novamente. Após lançamento na ponta esquerda, a zaga londrina cortou mal, e a bola sobrou para Kaagman. A camisa 10 teve tempo de ajeitar e chutar no ângulo direito de Mikalsen, sacramentando o 2 a 0 para o Brighton. O Tottenham ainda buscou e mandou duas bolas na trave, mas não adiantou.

Pela primeira vez na história, o Brighton chega a três vitórias seguidas na WSL. E o resultado teve uma dedicatória: antes do jogo, as jogadoras dos dois times aqueceram vestindo camisas em homenagem à zagueira Rebekah Stott, das Seagulls, que na semana passada anunciou ter sido diagnosticada com linfoma de Hodgkin.

Ficha Técnica:

Brighton: Walsh; Le Tissier, Kerkdijk, Williams; Brazil, Koivisto, Connolly, Kaagman, Simpkins (Heroum); Lee (Jarrett), Whelan. Técnica: Hope Powell.

Tottenham: Mikalsen; Morgan (Quinn), McManus, Zadorsky, Worm; Kennedy (Green), Percival, Davison, Graham, Addison; Ayane (Dean). Técnica: Rehanne Skinner.

Manchester City 1×0 Everton

O Academy Stadium recebeu pela 16ª rodada da WSL 2020/2021 a partida entre Manchester City e Everton. Esse duelo de camisas azuis apresentou duas das melhores equipes da liga, mesmo com a fase das Toffees não sendo das melhores. A vantagem no final do jogo acabou ficando para a equipe mais qualificada, que com gol de Keira Walsh acabou conquistando os três pontos.

A primeira etapa contou com um jogo pouco produtivo e sem muitas chances de gol. O time da casa até tentou em alguns momentos, mas esbarrava na boa defesa do Everton – que atualmente é a quinta melhor da competição. Por outro lado, o setor de criação das visitantes não conseguia gerar perigo. Com isso as Citizens se mantinham tranquilas.

Chloe Kelly estava reencontrando seu antigo clube e partiu para atingi-lo com toda a força. Em dois momentos teve seu nome exaltado com vigor pelo narrador da transmissão ao pisar na área com perigo. O primeiro lance ocorreu ainda nos 45 minutos iniciais, quando sozinha tentou se infiltrar no meio de três defensoras. 

No segundo lance de Kelly, o intervalo já havia passado e dessa vez a atleta recebeu ajuda de Lucy Bronze em boa subida. A camisa nove do City até dominou bem o cruzamento que recebeu da lateral, mas teve o chute travado. Apesar disso, o segundo tempo trouxe mais chances para o Everton.

Antes do placar ser realmente alterado, Ellen White desperdiçou uma chance clara de gol. Ao receber bola infiltrada, ela ficou livre para chutar. No entanto, White não soube aproveitar bem seu posicionamento e tirou de mais a bola do gol. Por sorte da atacante, aos 39 do segundo tempo, Keira Walsh redimiu os erros das Citizens.

Em troca de posição, Lauren Hemp apareceu na direita e partiu para dentro da área. Quando estava próxima da linha de fundo a jogadora pisou na bola, olhou para trás e viu Walsh aparecendo como elemento surpresa. Ela apenas precisou rolar para a volante chutar firme e dar a vitória ao City.

Ficha Técnica: 

Manchester City: Roebuck; Bronze, Houghton, Morgan, Greenwood; Walsh; Kelly, Mewis (Lavelle), Weir (Coombs), Hemp; White (Stanway). Técnico: Gareth Taylor.

Everton: Maclver; Moe Wold (Raso), George (Magill), Sevecke, Turner (Pattinson); Christiansen, Finnigan, Graham; Clemaron, Gauvin (Emslie), Sorensen. Técnico: Willie Kirk.

West Ham 0x2 Chelsea

A partida entre West Ham e Chelsea pela 16ª rodada da WSL 2020/2021 foi marcada pela tão esperada estreia da goleira sueca Zécira Musovic, que mostrou-se bastante segura apesar de não ter sido tão requisitada. Além disso, as Blues venceram após dobradinha de Sam Kerr e Bethany England: um gol e uma assistência para cada uma.

Aos sete minutos, Kerr aproveitou belo cruzamento de England para abrir o placar no Chigwell Construction Stadium. Após isso, o West Ham teve ótimas oportunidades com Martha Thomas, porém, desarmadas pela defesa. Pelo lado do Chelsea, Kerr e Pernille Harder tiveram algumas tentativas, mas interrompidas pela goleira Courtney Brosnan.

No segundo tempo, o segundo gol das Blues também veio rápido. Aos dois minutos, Niamh Charles rolou a bola para Kerr, que cruzou para England cabecear e ampliar o placar. Posteriormente, uma grande chance para Sophie Ingle, quando aproveitou o passe de Guro Reiten para finalizar ao gol com um voleio, contudo, o chute não teve força o suficiente para ameaçar Brosnan.

Após as substituições do Chelsea, outra oportunidade das Blues. Jessie Fleming encontrou Francesca Kirby na área, mas cabeceou na trave. No rebote, Guro Reiten finalizou ao gol, mas Brosnan defendeu com segurança.

Nos minutos finais, as Hammers tentaram pressionar a defesa do Chelsea, mas Millie Bright e Maren Mjelde impediram qualquer finalização perigosa, segurando o placar.

Ficha Técnica:

West Ham: Brosnan, Fisk, Flaherty, Vetterlein (Cissoko); Redisch, Dali, Longhurst, Brynjarsdottir; Svitkova (Pacheco); Thomas, van Egmond.

Chelsea: Musovic, Charles (Carter), Mjelde, Bright, Andersson; Ingle, Ji (Spence); Harder (Fleming), Reiten, Kerr (Kirby); England.

Bristol City 3×2 Reading

No jogo mais emocionante e com mais golaços da 16ª rodada da WSL 2020/2012, o Bristol City venceu o Reading e finalmente deixou a zona de rebaixamento.

O jogo começou agitado, com ambas as equipes buscando o ataque. Aos 13 minutos, Emma Harris se aproveitou de lambança da defesa do Bristol e, após choque da goleira Sophie Baggaley com duas zagueiras, tocou para o gol vazio. Foi o primeiro gol da jovem de 18 anos em sua carreira na WSL.

O gol não desencorajou as anfitriãs, muito pelo contrário. Dez minutos depois, Ebony Salmon deu bela assistência para Charlie Wellings na área e a meia tocou rasteiro, na saída da goleira Grace Moloney, empatando a partida.

No segundo tempo as Royals voltaram melhores, mas quem balançou as redes foi a equipe da casa, e com estilo. Aos 12 minutos, Jemma Purfield aproveitou sobra na entrada da área, pela direita, e tocou por cobertura, virando o placar para o Bristol. A virada fez a treinadora Kelly Chambers adotar postura ainda mais ofensiva. Após 15 minutos de pressão, o Reading foi recompensado com um golaço.

De volta às titulares após quase três meses afastada por questões de saúde, a veterana Fara Williams, de 37 anos, acertou lançamento primoroso para Rachel Rowe e a galesa soltou uma bomba no alto para deixar tudo igual: 2 a 2 e quarto tento de Rowe na WSL 2020/2021.

Quando parecia que as visitantes, até ali melhores em campo, buscariam a segunda virada da partida, veio a ducha de água fria. Novamente em forma de golaço. Aos 34, Abi Harrison lançou a promissora Salmon na área. Recém-convocada pela seleção inglesa pela primeira vez, a atacante de 20 anos deixou a bola cair e tocou de trivela, com muita categoria, no canto, sem chance de defesa para a goleira Moloney.

Após o belo tento de Ebony Salmon, seu sexto na WSL 2020/2021, as Vixens seguraram a vantagem até o apito final, garantindo, assim, sua segunda vitória na liga. O Bristol City chega a nove pontos e, provisoriamente, à tão sonhada saída da zona de rebaixamento.

Ficha Técnica:

Bristol City: Baggaley; Bryson (Harrison), Rafferty, Evans e Purfield; Palmer (Mastrantonio), Pike, Humphrey, Wellings e Daniels; Salmon (Bissell). Técnicos: Tanya Oxtoby e Matt Beard.

Reading: Moloney; Harding, Cooper, Bartrip e Mitchell; Bruton (Eikeland), James, Williams (Leine) e Rowe; Harries (Jeon Ga-Eul) e Carter (Fishlock). Técnica: Kelly Chambers.

Classificação após a 16ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Chelsea: 41
2º – Manchester City: 39
3º – Manchester United: 35
4º – Arsenal: 29 (-1 jogo)
5º – Everton: 22 (-1 jogo)
6º – Reading: 19
7º – Brighton: 18
8º – Tottenham: 12 (-2 jogos)
9º – Birmingham City: 11 (-3 jogos)
10º – Aston Villa: 10 (-2 jogos)
11º – Bristol City: 9 (-1 jogo)
12º – West Ham: 8 (-2 jogos)

Próxima rodada da WSL 2020/2021 (17ª de 22):

– Reading x Tottenham, 14/03
– Everton x Chelsea, 17/03
– Aston Villa x Brighton, 17/03
– West Ham x Birmingham, 17/03
– Bristol City x Manchester City, 17/03
– Arsenal x Manchester United, 19/03

Texto produzido por Alícia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate, Karyne Teixeira e Lucas Bichão.

Não há posts para exibir