15ª rodada da Premier League: confira o resumão dos jogos

Confira tudo que rolou!

0
258
15ª rodada da Premier League

A 15ª rodada da Premier League ocorreu no meio de semana e esteve longe de decepcionar. Confira tudo de bom que rolou na rodada!

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

– O que foi o Desastre de Hillsborough?

Watford 1 x 2 Manchester City

O Watford não é exatamente uma equipe que costuma jogar fechada contra seus adversários. No confronto contra o Manchester City, no entanto, foi o que ocorreu.

Os líderes do campeonato tomaram conta da partida, tendo 70% da posse da bola, mesmo atuando fora de casa. Foram inúmeras chances claras de gol no primeiro tempo, transformando o goleiro Foster em um grande destaque.

Foi apenas aos 40 minutos que o City conseguiu abrir o placar. Gol de peito de Sané, após ótimo cruzamento de Mahrez. Como é de costume, sair na frente não significa pé no freio para os comandados de Guardiola. Eles começaram o segundo tempo partindo para cima e logo conseguiram ampliar o placar.

Aos seis minutos, após boa jogada de Gabriel Jesus, Mahrez completou para as redes. A partida estava completamente controlada pelos Citizens. Aos 40 minutos Doucoré marcou para os donos da casa, que se animaram.

Houve tentativa de abafar a defesa de Manchester e até Foster foi para a área tentar o empate, que não aconteceu. Foi o suficiente para Guardiola, em sua entrevista coletiva, dizer que “você nunca pode relaxar na Premier League”.

O Manchester City segue na liderança. O Watford, que teve quatro vitórias nas quatro primeiras rodadas da liga, agora vem de apenas dois triunfos nos últimos 11 jogos.

Ficha Técnica

Watford: Foster; Femenía, Kabasele, Cathcart e Holebas; Chalobah (Deulofeu 63′), Success (Gray 75′) e Hughes (Quina 52′); Doucoré, Pereyra e Deeney. Técnico: Javi Gracia

Manchester City: Ederson; Walker, Stones, Kompany (Otamendi 83′) e Delph; Bernardo Silva, Fernandinho, Silva (Gündogan 73′) e Mahrez; Sané e Gabriel Jesus (Laporte 89′). Técnico: Pep Guardiola

Próximos Jogos

Watford: Everton, em Goodison Park, dia 10/12, às 18h

Manchester City: Chelsea, em Stanford Bridge, dia 08/12, às 15h30

Leia mais

As 10 piores contratações do Newcastle da era Premier League

Como um cachorro salvou o Manchester United da falência

Brighton 3 x 1 Crystal Palace

Foi uma grande atuação do Brighton. Algo que parecia ser improvável após a expulsão de Duffy, ainda aos 28 minutos do primeiro tempo. Mas o que se viu foi a equipe dona da casa controlar a partida e vencer com autoridade.

O Brighton abriu o placar em cobrança de pênalti, com Murray, aos 24 minutos da primeira etapa. Não demorou muito para vir o segundo gol. Balogun acertou um lindo voleio de dentro da área aos 31 minutos.

Ainda no primeiro tempo, aos 49, mais um golaço. Andone carregou a bola pela ponta esquerda, passou por dois defensores do Palace e mandou para o fundo das redes.

O Crystal Palace tentou mudar o jogo no segundo tempo. Teve a bola, foi agressivo e arriscou várias finalizações. Ao todo, o time londrino teve 69% de posse e 18 arremates para o gol, sendo cinco os certos. Mas a verdade é que o goleiro Mat Ryan pouco teve que trabalhar.

Apenas aos 36 minutos os visitantes chegaram ao seu gol, em uma cobrança de pênalti de Milivojevic.

O Brighton consegue sua segunda vitória seguida e vai se firmando na metade da tabela. Já o Crystal Palace conheceu sua terceira derrota nos últimos cinco jogos e segue preocupado com a zona de rebaixamento.

Ficha Técnica

Brighton: Ryan; Montoya, Duffy, Dunk e Bernardo; Grob (Balogun 31´), Pröpper e Bissouma; March, Murray (Andone 35´) e Izquierdo (Knockaert 49´). Técnico: Chris Hughton

Crystal Palace: Hennessey; Wan-Bissaka, Tomkins, Sakho e van Aanholt; McArthur (Schlupp 73´), Kouyaté (Sorloth 58´) e Milivojevic; Meyer, Townsend e Zaha. Técnico: Roy Hodgson

Próximos Jogos

Brighton: Bunley, em Turf Moor, dia 08/12, às 13h

Crystal Palace: West Ham, no London Stadium, dia 08/12, às 13h

West Ham 3 x 1 Cardiff

Foto: ESPN

Foi um belo jogo no London Stadium, especialmente para os donos da casa. Mas a história poderia ter sido diferente caso o goleiro Fabianski não tivesse defendido pênalti cobrado Joe Ralls, ainda no primeiro tempo.

O West Ham foi dominante praticamente a partida inteira. A vitória, no entanto, foi construída no segundo tempo. Lucas Perez, que havia vindo do banco ainda na primeira etapa, marcou dois gols em cinco minutos.

Perez não jogava mais do que 27 minutos em um jogo desde que havia chegado do Arsenal, em agosto.

Aos 16 minutos, Michael Antonio cabeceou para marcar o terceiro dos Hammers. O gol de honra do Cardiff veio apenas nos acréscimos. Murphy marcou, de cabeça, em jogada confusa e cheia de bate e rebate na pequena área.

Foi a segunda vitória consecutiva do West Ham na Premier League, algo que não ocorria desde janeiro de 2017. A equipe enfrentará cinco times da metade de baixo da tabela em dezembro. O Cardiff tem o menor número de gols marcados fora de casa (três), empatado com o Fulham.

Ficha Técnica

West Ham: Fabianski; Antonio, Diop, Ogbonna e Masuaku; Snodgrass (Diangana 76´), Noble, Rice e Felipe Anderson; Hernandez (Carroll 64´) e Arnautovic (40´). Técnico: Manuel Pellegrini

Cardiff: Etheridge; Manga, Morrison, Bamba e Bennett; Gunnarsson, Camarassa, Ralls (Mendez-Laing 64´) e Arter; Hoilett (Murphy 64´) e Paterson (Harris 73´). Técnico: Neil Warnock

Próximos Jogos

West Ham: Crystal Palace, no London Stadium, dia 08/12, às 13h

Cardiff: Southampton, em Cardiff, dia 08/12, às 13h

Bournemouth 2 x 1 Huddersfield Town

Foto: Getty Images

O Bournemouth voltou a vencer. Depois de quatro derrotas seguidas na Premier League, o time de Eddie Howe conseguiu uma excelente vitória contra o Huddersfield.

Callum Wilson abriu o placar aos cinco minutos de jogo. O atacante aproveitou um excelente cruzamento em batida de falta feito por Ryan Fraser. 17 minutos depois, a parceria brilhou novamente.

Em contra-ataque, os dois velocistas utilizaram as principais ferramentas do Bournemouth de 2018/19. Wilson recebeu em velocidade, puxou marcação para o lado, e passou para o escocês que vinha, como um foguete, do outro lado. Ryan apenas tirou do goleiro para ampliar o placar.

Com a vantagem no placar, o Bournemouth cochilou e, aos 37 minutos do segundo, Kongolo diminuiu para o Huddersfield.

Com a vitória, o Bournemouth chega a 23 pontos em 15 jogos da Premier League, sonhando com uma vaga na Europa League. Do outro lado do confronto, a derrota deixou o time do alemão David Wagner ainda mais para baixo na tabela de classificação. Eles têm apenas dez pontos e seguem na luta contra o rebaixamento.

Ficha Técnica:

Bournemouth: Begovic; Francis, Steve Cook, Aké e Daniels; Brooks (Stanislas 62′), Lewis Cook, Lerma e Fraser (Mousset 87′); King (Mings 93′) e Wilson. Treinador: Eddie Howe.

Huddersfield Town: Lossl, Hadergjonaj, Zanka, Schindler e Kongolo (Mbenza 75′); Hogg, Billing (Sabiri 75′ (Sobhi 78′)), Mooy, Pritchard e Durm; Depoitre. Treinador: David Wagner.

Próximos jogos:

Bournemouth: Liverpool, Vitality Stadium, 8 de dezembro, às 10h30

Huddersfield  Town: Arsenal, Emirates Stadium, 8 de dezembro, às 13h

Manchester United 2×2 Arsenal

Foto: ESPN

No clássico e jogo mais esperado da 15ª rodada da Premier League, Manchester United e Arsenal empataram em 2 a 2, no Old Trafford, em duelo marcado por falhas marcantes, gols em sequência, outros anulados e grandes defesas. 

Os gols do confronto foram de Mustafi e Rojo contra para os Gunners, enquanto Anthony Martial e Lingard fizeram para os donos da casa. 

A primeira etapa foi de poucas emoções, mas com gols dos dois times. Aos 26, Mustafi recebeu cobrança de escanteio de Torreira, cabeceou e contou com falha incomum de De Gea para abrir o placar.  

O empate dos Red Devils não demorou a chegar: aos 30, Rojo cobrou falta, Leno espalmou, Herrera ficou com o rebote e tocou para Martial colocar no fundo das redes.  

Novas falhas apareceriam nos 45 minutos finais, dando emoção ao confronto e definindo o placar. Os visitantes voltaram a estar à frente no placar com falha de Rojo para chegar ao tento de desempate. 

Porém, no minuto seguinte a estrela de Lingard, sem aparecer há algum tempo, surgiu: em nova falha no confronto, Kolasinac não conseguiu cortar bola na área, deixando nos pés de Lingard, que finalizou na saída de Leno e decretou o placar da partida.

Que só não foi alterado devido a duas grandes defesas de De Gea, após finalizações de Aubameyang e Mkhitaryan.  

Ficha técnica: 

Manchester United: De Gea; Darmian, Bailly, Smalling, Rojo, Dalot; Matic, Herrera, Lingard; Martial, Rashford. Técnico: José Mourinho. 

Arsenal: Leno, Bellerin, Sokratis, Holding, Mustafi, Kolasinac; Guendouzi, Torreira; Ramsey, Iwobi, Aubameyang. Técnico: Unai Emery. 

Próximos jogos: 

Manchester United: Fulham, em Old Trafford, dia 08/12, às 13h

Arsenal: Huddersfield, no Emirates Stadium, dia 08/12, às 13h

Wolverhampton 2 x 1 Chelsea

Foto: ESPN

O atual quarto colocado da Premier League foi até o Molineaux Stadium enfrentar o Wolverhampton. A equipe treinada por Maurizio Sarri teve a posse de bola mas erros individuais e a falta de força mental fizeram com que o Chelsea se afastasse cada vez mais dos líderes da Premier League.

Utilizando o time misto, Sarri deu oportunidade para alguns atletas. Loftus-Cheek foi um deles, e aproveitou a chance logo no começo da partida. Após jogada de Hazard no lado esquerdo do ataque dos Blues, o meia recebeu, virou e bateu colocado em direção ao gol de Rui Patrício. A bola ainda desviou no zagueiro, antes de balançar as redes.

O Chelsea teve grandes chances desperdiçadas por Hazard e Kanté no restante da primeira etapa. O Wolvehampton chutou apenas duas vezes, sendo que todas foram para fora.

No segundo tempo de jogo, o Chelsea permaneceu ditando o ritmo de jogo. Morata perdeu muitas oportunidades. Em uma delas, ele se enrolou com a bola dentro da grande área, fazendo com que a pressão em contratação de um novo centroavante crescesse na torcida londrina.

Depois de tantas chances desperdiçadas, o time visitante tomou a virada rapidamente. Jimenez contou com a falha de Kepa Arrizabalaga para empatar o jogo com 59 minutos de partida. Momentos depois, Diogo Jota virou o jogo.

O Chelsea se desesperou e começou a cometer faltas tolas e receber cartões amarelos. Sarri até mudou alguns jogadores, mas Hazard continuou sendo o principal jogador em campo. Sendo o único bem em campo do lado azul, o belga não pode fazer mais nada e viu o seu time perder a segunda nas últimas três partidas.

Ficha Técnica

Chelsea: Kepa; Azpilicueta, Rudiger, Christensen e Alonso; Fabregas, Kanté (Kovacic, 77’) e Loftus-Cheek; Willian (Pedro, 65’), Morata (Giroud, 65’) e Hazard. Técnico: Maurizio Sarri

Wolverhampton: Ruí Patrício; Bennett, Coady e Boly; Doherty, Moutinho, Saiss e Vinagre; Jimenez (Dendocker, 81’) e Jota (Cavaleiro, 88’); Gibbs-White (Costa 72’). Técnico: Nuno Espírito Santo

Próximos jogos: 

Chelsea: Manchester City, no Stamford Bridge, dia 08/12, às 15h30

Wolverhampton: Newcastle, no St. James' Park, dia 09/12, às 14h

Tottenham 3 x 1 Southampton

Foto: ESPN

Depois de perder o dérbi de Londres para o rival Arsenal por 4 a 2, os comandados de Mauricio Pochettino receberam o Southampton em Wembley. O clube venceu por 3 a 1 com grande partida do trio ofensivo do time.

Com nove minutos, o time de Londres abriu o placar com o artilheiro Harry Kane. Após cruzamento de Eriksen em escanteio, o camisa 10 do Tottenham bateu de direita para marcar o primeiro gol do jogo.

Depois disso, o Tottenham teve diversas oportunidades para ampliar. Finalizou sete vezes, sendo que quatro dessas foram ao gol.

Na volta do intervalo, o brasileiro Lucas Moura ampliou ao placar. Aos seis minutos do segundo tempo, bateu no canto inferior esquerdo do goleiro rival para colocar 2 a 0 no placar.

Quatro minutos depois, Son recebeu boa assistência de Harry Kane e colocou a diferença de três gols no placar.

Nos acréscimos da partida, Charlie Austin até marcou, mas ficou por isso. Com a vitória de 3 a 1 em casa, o Tottenham ultrapassou o Chelsea na tabela de classificação da Premier League. A equipe soma 33 pontos, oito a menos que o líder Manchester City.

Ficha Técnica

Tottenham: Lloris; Trippier (Skipp, 87′), Alderweireld, Foyth e Danny Rose; Winks, Dier, Eiksen, Lucas Moura, Son e Eriksen; Kane. Treinador: Maurício Pochettino.

Southampton: McCarthy; Cédric, Yoshida, Stephens e Targett; Davis, Ward-Prowse, Armstrong (Elyounoussi, 81′), Redmond e Hojbjerg (Romeu, 88′); Gabbiadini (Austin, 70′). Treinador: Kelvin Davis.

Próximos jogos:

Tottenham: Leicester City, no King Power Stadium, 8 de dezembro, às 17h45

Southampton: Cardiff, no Cardiff City Stadium, 8 de dezembro, às 13h

Burnley 1 x 3 Liverpool

Foto: Mirror

Com 7 mudanças em relação ao último jogo, o Liverpool visitou o Burnley precisando vencer. A equipe de Jurgen Klopp não poderia deixar o Manchester City desgarrar, tendo em vista que os comandados de Guardiola venceram o Watford no dia anterior.

Entretanto, um jogo que parecia fácil, começou complicado. Mesmo com 80% de posse de bola, os Reds não conseguiam criar chances reais de gol. O Burnley buscava o jogo direto, sempre apelando para a bola aérea.

Na etapa complementar, o Liverpool voltou melhor e por pouco não marcou com Daniel Sturridge e Naby Keita, obrigando Joe Hart a fazer belas defesas. Poucos minutos depois, o Burnley abriu o placar.

Após um escanteio, houve um bate-rebate e a bola sobrou para Jack Cork colocar os mandantes em vantagem.

Mas 8 minutos depois, James Milner empatou o jogo num belo chute de fora da área. Visando não se distanciar do City, Klopp colocou em campo Roberto Firmino e Mohamed Salah – poupados.

Poucos minutos depois de entrar, o brasileiro virou o jogo, completando a assistência de Van Dijk.

A partida se encaminhava tranquila, mas após um escanteio no último minuto, por pouco o Liverpool não perdeu 2 pontos. O goleiro Alisson fez uma defesa milagrosa e ainda ligou um contra-ataque que terminou com gol de Xherdan Shaqri dando números finais ao jogo.

O Liverpool segue na caça ao City e o Burnley se afunda ainda mais na zona de rebaixamento.

Ficha Técnica

Burnley: Hart; Bardsley, Tarkowski, Mee, Taylor; Gudmundsson, Westwood, Cork, Brady (Lennon); Barnes (Vydra), Wood (Vokes). Técnico:  Sean Dyche

Liverpool: Alisson; Gomez (Alexander Arnold), Matip, Van Dijk, Moreno (Salah); Milner, Henderson, Keita; Shaqiri, Sturridge, Origi (Firmino)

Próximos jogos

Burnley: recebe o Brighton, dia 08/12, às 13h

Liverpool: visita o Bournemouth, dia 08/12, às 10h30

Everton 1 x 1 Newcastle

Foto: Mirror

Buscando uma reabilitação após uma derrota no clássico de Liverpool, o Everton recebeu o Newcastle num jogo onde só a vitória interessava. Para os visitantes, pontuar era válido, pois enfrentavam uma equipe bem superior e, qualquer pontinho é crucial na briga pelo rebaixamento.

O jogo começou como se esperava: pressão dos mandantes e o Newcastle se segurando do jeito que dava. Entretanto, após o cruzamento de Jacob Murphy, Salomon Rondón abriu o placar para os visitantes. Ao levar o gol, o Everton se lançou ainda mais ao ataque.

A pressão foi ficando cada vez mais forte e, aos 38 minutos da etapa inicial, empatou o jogo.

Após um escanteio, a bola sobrou para Richarlison, que aproveitou a chance e deixou tudo igual. O brasileiro marcou seu sétimo gol na Premier League e é um dos destaques da competição.

Na etapa complementar, o Everton continuou pressionando, mas esbarrou no sistema defensivo do Newcastle que fez um ótimo jogo.

E os visitantes por pouco não venceram. No final da peleja, Christian Atsu teve a oportunidade de derrotar o time da casa, mas finalizou mal e desperdiçou a chance.

Com o empate, fica a frustração por parte dos Toffies, que buscava a vitória para se firmar cada vez mais na sexta colocação. Pelo lado do Newcastle, um empate precioso na busca pela permanência.

Ficha Técnica

Everton: Pickford; Coleman, Zouma, Mina, Digne; André Gomes, Gueye; Lookman (Calvert-Lewin), Sigurdsson (Walcott), Richarlison; Cenk Tosun (Bernard). Técnico: Marco Silva

Newcastle: Dubravka; Yedlin, Lascelles, Fernández, Schär, Manquillo; Murphy (Perez), Ki, Diamé, Atsu; Rondón (Joselu). Técnico: Rafa Benítez

Próximos jogos

Everton: recebe o Watford, dia 10/12, às 18h

Newcastle: recebe o Wolverhampton, dia 09/12, às 14h

Fulham 1 x 1 Leicester

Foto: ESPN

O Fulham recebeu o Leicester City buscando fugir da lanterna do campeonato. A partida marcou o reencontro de Claudio Ranieri com o Leicester, clube no qual o mesmo foi campeão da Premier League na temporada 2015/2016.

O jogo começou com o Fulham tomando conta do jogo e criando as melhores chances, mas sem transforma-las em gol.

Mas no fim da etapa inicial, o artilheiro Aleksandar Mitrovic deu um ótimo passe quebrando a linha defensiva do Leicester, e Aboubakar Kamara abriu o placar para o time da casa. Um gol merecido por todo o volume que os mandantes tinham.

A etapa final continuou com o Fulham pressionando, mas sem conseguir ampliar o placar. E faltando menos de 20 minutos para o fim do jogo, o castigo veio. Shinji Okazaki fez uma boa jogada pela direita e cruzou para James Maddison empatar a partida.

Com o apito final, fica a frustração do Fulham em não ter aproveitado as chances de matar o jogo. Pelo lado do Leicester, um empate bom que deixa à equipe perto da sexta colocação, onde o clube almeja – na melhor das pretensões – uma vaga na Europa League.

Ficha Técnica

Fulham: Sergio Rico; Christie (Ream), Odoi, Mawson, Le Marchand (Bryan); Chambers, Seri; Kamara, Vietto (Cairney), Sessegnon; Mitrovic. Técnico: Cláudio Ranieri

Leicester: Schmeichel; Simpson (Okazaki), Morgan, Söyüncü, Chilwell; Mendy (Iborra), Ndidi; Diabaté (Gray), Maddison, Albrighton; Iheanacho. Técnico: Claude Puel

Próximos jogos

Fulham: visita o Manchester United, dia 08/12, às 13h

Leicester: recebe o Tottenham, dia 08/12, às 17h45

Por: Bruno Desidério, Lucas Holanda, Rafael Brayn e Yves Vieira

Não há posts para exibir