14ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

Confira o que melhor aconteceu em uma rodada cheia de surpresas da Women's Super League!

0
665
14ª rodada da WSL 2020/2021: resumo dos jogos da Women’s Super League

A 14ª rodada da WSL 2020/2021 veio cheia de surpresas! O fim de semana do futebol feminino inglês foi marcado por resultados inesperados, principalmente para os times da ponta da tabela. Teve até time considerado imbatível perdendo a enorme invencibilidade.

Confira o que de melhor aconteceu em mais uma rodada da Women's Super League!

Aston Villa 1×0 Tottenham

A 14ª rodada da WSL 2020/2021 começou com o duelo entre Aston Villa e Tottenham no Banks's Stadium. E as donas da casa, em situação delicada na tabela, venceram pela terceira vez no ano, respirando quanto ao risco de rebaixamento.

Importante destacar que o Tottenham começou tendo mais posse de bola no primeiro tempo. Entretanto, foi o Aston Villa quem abriu a vantagem, sendo mais objetivo. E foi com um lance incrível nos primeiros instantes.

Aos 12 minutos, após a sobra de bola, a recém-chegada Mana Iwabuchi avançou pela direita e mandou uma pedrada de longe. Um chutaço no ângulo adversário, golaço da japonesa, e Villains na frente do placar.

Veio a segunda etapa e as Spurs partiram para cima em busca da virada, mas não tiveram êxito. Muito bem postada, a defesa do Villa mandou nas ações e segurou o resultado. A principal oportunidade das Lilywhites foi com Cho So-Hyun, aos oito minutos, mas por muito pouco não entrou.

As visitantes ainda deram sorte de sair com 11 em campo. A goleira Aurora Mikalsen derrubou a portuguesa Diana Silva na entrada da área aos 30 minutos, mas, apesar dos protestos pela expulsão, ela ficou apenas no cartão amarelo.

Ficha Técnica:

Aston Villa: Weiss; Ale, N'Dow, Asante, Haigh e Hutton (Gregory); Iwabuchi, Hanssen (Haywood) e Ewers; Diana Silva (Follis) e Larsen. Técnico: Marcus Bignot.

Tottenham: Mikalsen; Percival, McManus, Zadorsky e Harrop; Cho, Kennedy, Davison (Quinn), Graham e Addison (Ayane); Dean (Ngunga). Técnica: Rehanne Skinner.

Manchester United 0x2 Reading

A zebra passeou pela 14ª rodada da WSL 2020/2021. Brigando ponto a ponto pela liderança com o Chelsea, o Manchester United recebeu o Reading e foi surpreendido pelas Royals. A derrota em casa foi a primeira partida em que o ataque das Red Devils passou em branco nesta temporada da WSL.

No primeiro tempo da partida, a impressão era da que as favoritas pressionariam as visitantes e o gol seria apenas questão de tempo. Mesmo recuadas, as Royals também levavam perigo em suas saídas de contragolpe. O primeiro tempo terminou com o zero no placar, mas com uma bola na trave de cada time: Rachel Rowe carimbou o travessão do United e Ella Toone finalizou na trave do Reading.

Na segunda etapa, as anfitriãs voltaram com tudo. Logo aos cinco minutos, Leah Galton recebeu cruzamento da direita e finalizou de primeira, exigindo grande defesa de reflexo da goleira irlandesa Grace Moloney. Cinco minutos depois, a arqueira do Reading salvou mais uma, dessa vez após tentativa de Toone.

Como diz o velho ditado: “quem não faz, leva”. Aos 18 minutos, após grande defesa da goleira do United, Mary Earps, veio o castigo. Emma Mitchell cobrou escanteio para a área das Red Devils e, após disputa pelo alto, Natasha Harding desviou para as redes.

Apenas dois minutos depois, novamente a lateral escocesa Mitchell, em lance de bola parada, cruzou para a área e dessa vez Danielle Carter foi quem subiu livre para marcar: 2 a 0 para o Reading.

As Red Devils se lançaram ao ataque após os gols sofridos em tão pouco tempo, mas não chegaram a ameaçar a goleira Moloney. Com a surpreendente derrota, o Manchester United perde chance de ouro de se isolar novamente na liderança, sobretudo levando em conta o confronto que veremos a seguir.

Ficha Técnica:

Manchester United: Earps; Thorisdottir, Amy Turner, Millie Turner e Batlle; Zelem (Fuso) e Ladd (Groenen); Toone, Hanson (Sigsworth) e Galton; Press. Técnica: Casey Stoney.

Reading: Moloney; Mitchell, Cooper, Bartrip e Harding; Woodham, Fishlock, James e Rowe; Carter (Harries) e Eikeland. Técnica: Kelly Chambers.

Chelsea 1×2 Brighton

Ninguém imaginava que seria o Brighton de Hope Powell o responsável por quebrar a invencibilidade do Chelsea de Emma Hayes. Após 33 jogos sem derrota, 26 vitórias e 14 delas seguidas, a sequência das Blues foi quebrada na 14ª rodada da WSL 2020/2021, frente a uma sólida defesa das Seagulls.

Após Emma Hayes poupar cinco de suas jogadoras mais importantes (Fran Kirby, Pernille Harder, Ji So Yun, Millie Bright e Ann Katrin Berger), seu time perdeu a qualidade de criação das jogadas e se limitou a jogadas aéreas, as quais eram normalmente barradas pela defesa das Albions.

O jogo começou pegando fogo com ótimas chances das duas equipes. Aos cinco minutos, Sam Kerr, de cabeça, abriu o placar para a Blues. Dois minutos depois, Aikeen Whelan, em seu 50º jogo pelo Brighton, empatou após cobrança de escanteio. Após essa ducha de água fria (e neve), as Blues tentaram correr atrás do prejuízo com chances de Guro Reiten e Sam Kerr.

Aos 12 minutos, Bethany England passou para Kerr, que perdeu o ângulo para a finalização. Oito minutos depois, foi a vez de England finalizar para fora. Com exceção desta, todas as chances do Chelsea partiram do lado esquerdo do campo. Do outro lado, o Brighton manteve sua defesa consistente e apostava nos contra-ataques.

No segundo tempo, o Chelsea voltou dominante, com duas finalizações de Kerr e um chute de fora da área de Reiten. Aos cinco minutos minutos, um lance polêmico a favor das Blues, após toque de mão na área visitante, mas a arbitragem não marcou pênalti. Cinco minutos depois, Ji, Kirby e Harder entraram nos lugares de Jessie Fleming, Reiten e England. Aos 15, Kirby passou para Melanie Leupolz, que mandou pra fora.

Na metade da segunda etapa, Kerr tentou chegar em velocidade na área, mas foi desarmada. Cinco minutos depois, Harder finalizou forte na trave.

Apesar do domínio do Chelsea, aos 31 minutos uma finalização das Seagulls mudaria o rumo da partida. O chute resultou em uma cobrança de escanteio e, de sua cobrança, saiu o golaço da virada, após péssima saída do gol de Carly Telford. Um lindo gol olímpico da irlandesa Megan Conolly.

Ficha Técnica:

Chelsea: Telford; Blundell (Mjelde), Ingle, Eriksson, Andersson; Leupolz; Reiten (Ji), Cuthbert, Fleming (Kirby); Kerr, England (Harder). Técnica: Emma Hayes.

Brighton: Walsh, Le Tissier, Kerkdijk, Koivisto, Williams ; Simpkins (Bance), Conolly; Whelan, Brazil, Kaagman; Geum-min (Jarrett). Técnica: Hope Powell.

Everton 1×1 Birmingham City

Everton e Birmingham City fizeram duelo entre duas equipes do meio da tabela pela 14ª rodada da WSL 2020/2021, porém com objetivos diferentes. De um lado o Everton, de boa campanha no início da temporada e que buscava se reaproximar do G3. Do outro o Birmingham, nono colocado e em busca de distância da zona de rebaixamento.

Jogando em casa e donas de campanha mais sólida até aqui, as Toffees tomara a iniciativa da partida. Aos 22 minutos, a capitã Danielle Turner cobrou falta da entrada da área e abriu o marcador: 1 a 0.

A alegria do Everton durou pouco, porém. Aos 32 minutos, Claudia Walker finalizou dentro da área e a bola foi bloqueada pelo braço da meio-campista Isobel Christiansen. A arbitragem não teve dúvidas e marcou pênalti. A própria Walker, ex-jogadora do Everton, cobrou, a arqueira finlandesa Tinja-Riikka Korpela defendeu e, no rebote, a jovem escocesa Jamie-Lee Napier não perdoou: 1 a 1.

O gol de empate não abalou as Toffees, que seguiram pressionando. Apesar de algumas boas oportunidades criadas, sobretudo pela esquerda em investidas da recém-contratada Alisha Lehmann, o gol da vitória não veio. A jovem arqueira Hannah Hampton seguiu mostrando toda sua segurança e garantiu o precioso ponto para as visitantes.

Ficha Técnica:

Everton: Korpela; Wold (Stringer), Finnigan, Sevecke e Turner; Scott, Christiansen e Clinton (Graham); Sørensen (Lehmann), Emslie (Raso) e Gauvin (Magill). Técnico: Willie Kirk.

Birmingham City: Hampton; Mayling, McCarron (Green), Scott, Holloway e Mace; Napier, Murphy (Kelly), Littlejohn e Whipp; Walker. Técnica: Carla Ward.

Arsenal 1×2 Manchester City

No jogo mais aguardado da 14ª rodada da WSL 2020/2021, Arsenal e Manchester City se enfrentaram em duelo decisivo em Meadow Park. Tanto para as Gunners, quanto para as Citizens, a vitória seria essencial para manter as chances de briga pelo título. E as visitantes se deram melhor.

O Man City começou assumindo o controle da partida, e foi justamente quem abriu o placar. Aos 24 minutos, boa jogada de Chloe Kelly e cruzamento para o meio da área. Ellen White, de primeira, acertou um belo chute e marcou o primeiro. Foi o 55º gol de White na WSL, tomando a liderança do posto de maior artilheira de Vivianne Miedema, que estava justamente do outro lado em campo, mas não marcou.

A holandesa bem que tentou, mas o Arsenal acabou perdendo boas chances no primeiro tempo. Em busca de enfim conquistar sua primeira vitória contra os rivais da briga pela liderança nesta WSL, as Gunners viraram a chave na segunda etapa. E, logo no começo, veio o empate.

Aos 12 minutos, jogada rápida pela direita. Jill Roord recebeu na frente, avançou e cruzou na área para Caitlin Foord. Completamente livre, a australiana finalizou no contrapé de Ellie Roebuck e colocou no fundo das redes, anotando o 1 a 1.

A partir daí, só deu Manchester City. O segundo quase veio de novo com Ellen White, que acertou a trave londrina. Mas a igualdade não durou muito: aos 34 minutos, após grande jogada de Kelly e mais uma assistência. Desta vez o cruzamento foi na cabeça de Lauren Hemp, que testou para as redes completamente livre.

O gol do 2 a 1 fechou o caixão do Arsenal e deu números finais ao confronto. Vitória importantíssima para as azuis, derrota devastadora para as vermelhas.

Ficha Técnica:

Arsenal: Zinsberger; Evans, Williamson, Wubben-Moy, McCabe (Maritz); Wälti, van de Donk, Roord; Mead, Foord, Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Manchester City: Roebuck; Bronze, Houghton, Dahlkemper, Greenwood; Walsh, Stanway, Weir; Kelly (Lavelle), Hemp, White (Beckie). Técnico: Gareth Taylor.

West Ham 1×1 Bristol City

O Victoria Road foi o palco de um dos espetáculos mais intensos desta rodada. Isso porque a partida disputada pela 14ª rodada da WSL 2020/2021 valia uma vaga cativa na zona do rebaixamento.

Com a ideia de melhorar seus desempenhos, West Ham e Bristol City pisaram na grama verdinha com a ideia de dar algum saldo positivo para suas campanhas abaixo da média. No entanto, ambas as equipes ficaram estagnadas em suas posições. 

As Vixens, por virem de vitória, começaram muito mais agressivas. Antes do relógio bater sete minutos de partida, elas haviam chutado duas bolas perigosas contra a meta de Mackenzie Arnold. A pressão fez efeito rápido e, após cobrança de escanteio, a bola rebateu de maneira estranha na pequena área e terminou com Emily van Egmond fazendo contra.

Ebony Salmon, ainda no primeiro tempo, criou para si uma chance de ouro. A camisa nove do City recebeu ótima enfiada de Jemma Purfiel e colocou Gilly Flaherty para sambar. O pecado do ato veio na finalização, um chute estranho que bateu na trave e matou a chance de ampliar o placar. 

Se o ataque fazia bonito, a defesa do Bristol City, por outro lado, se atrapalhava em todo avanço das Hammers, deixando a bola rebater em diversos momentos. Esses lances davam a impressão de que o West Ham não precisava de muito para chegar ao gol de empate. Foi justamente assim que, aos quatro do segundo tempo, Katerina Svitková aproveitou uma bola não afastada para empatar o duelo.

Com o empate no segundo tempo, a bola parada tornou-se protagonista. As cobranças de falta passaram a ser mais frequentes e o Bristol teve duas chances muito boas. Já as donas da casa pararam nas ótimas defesas da goleira Sophie Baggaley quando tiveram as cobranças a seu favor. 

Assim como foi iniciada a partida, o Bristol City se manteve mais constante no ataque. O time deixou os três pontos fora de casa escapar, mas a equipe mostra uma evolução. Já o West Ham vai precisar melhorar sua infiltração, afinal teve mais posse (52%), mas pouco fez com ela.

Ficha Técnica:

West Ham: Arnold; Fisk, Flaherty e Vetterlein; Kvamme, Svitková, Longhurst e Pacheco; Leon e van Egmond; Thomas (Joel). Técnico Olli Harder. 

Bristol City: Baggaley; Allen, Evans, Skeels e Purfield; Matthews, Wellings (Harrison), Pike, Humphrey e Daniels; Salmon. Técnico: Matt Beard.  

Classificação após a 14ª rodada da WSL 2020/2021:

1º – Chelsea: 32 (-1 jogo)
2º – Manchester United: 32
3º – Manchester City: 30 (-1 jogo)
4º – Arsenal: 23 (-2 jogos)
5º – Everton: 18 (-2 jogos)
6º – Reading: 18
7º – Tottenham: 12 (-2 jogos)
8º – Brighton: 12
9º – Birmingham City: 11 (-3 jogos)
10º – Aston Villa: 10 (-2 jogos)
11º – West Ham: 8 (-2 jogos)
12º – Bristol City: 6 (-1 jogo)

Próxima rodada (15ª de 22):

– Brighton x West Ham, 06/02
– Chelsea x Arsenal, 07/02
– Tottenham x Bristol City, 07/02
– Birmingham x Aston Villa, 07/02
– Manchester City x Manchester United, 07/02
– West Ham x Bristol City, 14/02 – atrasado

Texto produzido por Alícia Soares, Eduardo Costa, Hugo L'Abbate e Lucas Bichão.

Não há posts para exibir