10ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

Veja tudo o que aconteceu na última rodada da WSL em 2019!

0
178
Alex Davidson Collection Getty Images Sport Reading FA WSL Eikeland Leine
Alex Davidson Collection Getty Images Sport

Tivemos tropeço de favorita contra a lanterna, virada emocionante e mudanças nas partes de cima e de baixo da tabela. Confira como foram as emoções da 10ª rodada da FA Women's Super League, a última de 2019!

Everton 1×3 Arsenal

A 10ª rodada da FA WSL começou com um confronto interessante entre Everton e Arsenal, em partida realizada no Haig Avenue. Buscando uma aproximação na parte de cima da tabela, as Toffees receberam as Gunners, embaladas após seis vitórias consecutivas na competição.

O jogo se iniciou com o Arsenal partindo pra cima, e o gol saiu cedo: aos 14 minutos, Kim Little avançou pela direita e cruzou bola na área. Vivianne Miedema, sempre ela, cabeceou para dentro do gol, sem chances para a goleira Tinja-Riikka Korpela.

Aos 22 minutos, Daniëlle van de Donk recebeu passe de Beth Mead e chutou, mas Korpela, bem posicionada, defendeu. O restante do primeiro tempo continuou com domínio e posse de bola do Arsenal, mas sem outras grandes chances.

Logo aos 10 minutos da segunda etapa, o Arsenal teve um pênalti a seu favor. Chloe Kelly derrubou Little na área e a arbitragem assinalou a penalidade. A própria Little, capitã da equipe, converteu a infração, batendo no canto esquerdo e deslocando a goleira para marcar o 2 a 0.

O resultado aumentaria ainda mais apenas um minuto depois. Após cruzamento por baixo dentro da área, Miedema marcou o seu segundo gol na partida e o terceiro do Arsenal. A atacante Kelly diminuiu para o Everton aos 33 do segundo tempo.

Com o resultado, o Arsenal garantiu a liderança da competição, com 27 pontos em dez partidas. Já o Everton estacionou na quinta colocação, com 15 pontos em nove jogos (as Toffees tiveram seu jogo contra o Chelsea adiado)

Ficha técnica:

Everton: Korpela; Morgan, Es (Pike), George, Turner; Clemaron, Finnigan, Kaagman, Graham (Stringer); Kelly, Cain (Boye-Hlorkah). Técnico: Willie Kirk.

Arsenal: Zinsberger; Evans, Williamson, McCabe, Schnaderbeck; Wälti, Little, Roord; van de Donk, Mead (Maier), Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Manchester City 5×0 Brighton

Depois da derrota para o Chelsea na rodada passada, o Manchester City foi buscar a reabilitação em seus domínios diante do Brighton. Contra uma adversária bem mais fraca, as Citizens conseguiram se impor e venceram com tranquilidade.

O resultado positivo começou a ser montado logo aos quatro minutos: após um recuo da defesa do Brighton, a goleira Sophie Harris segurou a bola com as mãos dentro da área e a arbitragem apontou o tiro livre indireto. Na cobrança, a capitã Stephanie Houghton soltou a bomba e abriu o placar.

Aos 14, veio o segundo com a artilheira Ellen White, fuzilando após cruzamento vindo da direita de Janine Beckie. E ainda no primeiro tempo aos 38, com o domínio absoluto das donas da casa, veio o terceiro: cobrança de escanteio, Houghton desviou de cabeça e Lauren Hemp, na semana em que assinou um novo contrato com o clube, completou.

No segundo tempo, com o 3 a 0 no placar, o Man City comandou o jogo com mais calma. As Seagulls tiveram mais chances e chegaram até a marcar, mas a arbitragem anulou marcando falta dentro da pequena área na goleira Ellie Roebuck.

E no fim, ainda deu tempo de sacramentar a goleada. Aos 39 minutos, Keira Walsh acertou uma linda enfiada do campo de defesa e Georgia Stanway driblou a goleira para fazer o quarto. Dois minutos depois, cruzamento da direita e Pauline Bremer, que havia acabado de entrar, fechou o 5 a 0 com uma linda finalização por cima de Harris.

Após mais uma goleada, o Manchester City se recupera do revés da semana anterior e segue colado em Chelsea e Arsenal na briga pelo título. Já o Brighton conhece a sexta derrota em dez jogos, assume a lanterna e entra na zona de rebaixamento.

Ficha técnica:

Manchester City: Roebuck; Beckie, Bonner, Houghton, Campbell; Walsh, Weir, Hemp (Geum-Min), Scott (Coombs); Stanway, White (Bremer). Técnico: Nick Cushing.

Brighton: Harris; Skovsen, Kerkdijk, Williams, Gibbons; Bowman (Le Tissier), Simpkins, Green, Whelan; Umotong, Le Garrec. Técnica: Hope Powell.

Liverpool 1×1 Chelsea

Liverpool e Chelsea entraram em campo vivendo momentos bem diferentes: enquanto as Reds estão fugindo do rebaixamento, as Blues brigam pelo topo da tabela. No fim das contas, o empate por 1 a 1 não foi benéfico para nenhuma das duas equipes.

Bom lembrar que o confronto quase não aconteceu. Uma inspeção no campo, de última hora, foi necessária para que o gramado fosse liberado para a realização da partida.

O Chelsea era o franco favorito, mas foi o Liverpool quem saiu na frente. Niamh Charles aproveitou rebote e, dentro da área, apenas empurrou pro fundo das redes.

Precisando da vitória para continuar na caça ao Arsenal e ao Manchester City, o Chelsea foi com tudo pra cima – mesmo jogando fora de casa. Coube a Beth England, de cabeça, igualar o placar.

O jogo no primeiro tempo seguiu equilibrado, com ambos times perdendo chances de tomar a liderança do placar. England perdeu a chance de guardar mais um gol de cabeça, mas foi essencial ao tirar uma bola praticamente em cima da linha, numa finalização de Sophie Bradley-Auckland.

No segundo tempo, o Chelsea tomou a iniciativa e foi com tudo em busca do empate, porém não conseguiu transformar a superioridade em gols. O Liverpool ameaçava nas bolas paradas, mas também não conseguiu o tento que daria a primeira vitória na temporada.

Agora, o Chelsea ocupa a terceira colocação e não pode assumir a liderança mesmo vencendo a partida a menos. Já o Liverpool, com o empate, enfim saiu da lanterna e da zona de rebaixamento.

Ficha técnica:

Liverpool: Kitching; Robe, Fahey, Bradley-Auckland, Jane; Roberts, Bailey, Lawley (Sweetman-Kirk), Charles (Hodson); Linnett (Murray), Babajide. Técnica: Vicky Jepson.

Chelsea: Berger; Andersson, Eriksson, Bright, Mjelde; Ingle, Reiten (Blundell), Cuthbert, Spence (Carter); England, Bachmann (Ji). Técnica: Emma Hayes.

Reading 3×1 Tottenham

Em busca de aproximação à parte de cima da tabela, Reading e Tottenham fizeram confronto direto no Adams Park, em Wycombe.

O primeiro tempo ficou marcado pelo equilíbrio nas ações da partida. Com um pouco mais de posse de bola, as Spurs tiveram mais presença no campo de ataque, mas o número de finalizações foi muito próximo (2×3) e nenhum lado chegou a criar oportunidade real de gol.

Logo no início da segunda etapa, porém, saiu o primeiro tento da partida, e um golaço. Aos sete minutos, a lateral holandesa do Tottenham, Siri Worm, recebeu rasteiro na entrada da área após cobrança de escanteio, e chutou colocado no ângulo da goleira irlandesa Grace Moloney: 1 a 0 para as visitantes.

O gol botou fogo no jogo e as donas da casa se lançaram ao ataque. A técnica Kelly Chambers chegou a tirar a zagueira Sophie Howard para a entrada da ponta Rachel Rowe.

O ímpeto ofensiva acabou premiando o Reading. Aos 32 minutos, quando as Royals já ameaçavam partir para o tudo ou nada, veio o empate. Após cobrança de escanteio da veterana Fara Williams para a pequena área do Tottenham, a bola sobrou limpa para Josanne Potter empurrar às redes: 1 a 1.

Cinco minutos depois, quase veio a virada. A ponta norueguesa Amalie Eikeland cruzou da direita com maestria e Brook Chaplen cabeceou no travessão. A goleira Becky Spencer fez grande defesa no lance, mas acabou levando a pior na queda, sentiu lesão e teve de ser substituída. Chloe Morgan entrou em sua vaga.

Empurradas pela torcida, as Royals não se deixaram abater e finalmente chegaram à virada aos 43 minutos. Após longo lançamento da defesa para o ataque, a galesa Angharad James desviou de cabeça e Remi Allen apareceu na pequena área para completar para as redes: 2 a 1 Reading.

Nos minutos finais, o Tottenham partiu para o abafa, mas acabou cedendo muito espaço aos contra-ataques, o que acabou resultando ainda no terceiro gol das anfitriãs. Aos 55 minutos, Eikeland aproveitou bola afastada, arrancou de seu próprio campo e marcou seu primeiro gol com a camisa Royal, fechando o placar em 3 a 1.

Ficha técnica:

Reading: Moloney; Leine, Howard (Rowe), Potter e Pacheco; James, Moore, Allen e Eikeland; Chaplen e Williams. Técnica: Kelly Chambers.

Tottenham: Spencer (Morgan); Neville, Godfrey, Filbey e Worm (Quinn); Percival, Peplow (Addison) e Green; Graham, Davison e Dean. Técnicos: Karen Hill e Juan Amoros.

Jogos adiados

Duas partidas precisaram ser adiadas nesta rodada – já são quatro em todo o torneio. Birmingham e Manchester United, que jogariam no Damson Park em Solihull, não alinharam por conta do campo alagado.

Já o jogo entre Bristol City e West Ham também não aconteceu, uma vez que a inspeção indicou que o campo do Stoke Gifford Stadium, em Filton, não tinha condições de jogo. Novas datas ainda serão confirmadas pela FA.

Classificação após dez rodadas:
1º – Arsenal: 27
2º – Manchester City: 24
3º – Chelsea: 23 (-1 jogo)
4º – Manchester United: 15 (-1 jogo)
5º – Everton: 15 (-1 jogo)
6º – Reading: 14 (-1 jogo)
7º – Tottenham: 13
8º – West Ham United: 10 (-1 jogo)
9º – Birmingham City: 7 (-2 jogos)
10º – Brighton Hove & Albion: 6
11º – Liverpool: 3
12º – Bristol City: 3 (-1 jogo)

Próxima rodada (11ª de 22)

  • Manchester United x Bristol City, 05/01
  • Chelsea x Reading, 05/01
  • Tottenham x Manchester City, 05/01
  • Brighton Hove & Albion x Liverpool, 05/01
  • Arsenal x Birmingham City, 05/01
  • West Ham x Everton, 05/01