10ª rodada da WSL: confira o resumo dos jogos da Women’s Super League

Veja tudo o que aconteceu na última rodada da WSL em 2019!

Alex Davidson Collection Getty Images Sport Reading FA WSL Eikeland Leine
Alex Davidson Collection Getty Images Sport

Tivemos tropeço de favorita contra a lanterna, virada emocionante e mudanças nas partes de cima e de baixo da tabela. Confira como foram as emoções da 10ª rodada da FA Women's Super League, a última de 2019!

Everton 1×3 Arsenal

A 10ª rodada da FA WSL começou com um confronto interessante entre Everton e Arsenal, em partida realizada no Haig Avenue. Buscando uma aproximação na parte de cima da tabela, as Toffees receberam as Gunners, embaladas após seis vitórias consecutivas na competição.

O jogo se iniciou com o Arsenal partindo pra cima, e o gol saiu cedo: aos 14 minutos, Kim Little avançou pela direita e cruzou bola na área. Vivianne Miedema, sempre ela, cabeceou para dentro do gol, sem chances para a goleira Tinja-Riikka Korpela.

Aos 22 minutos, Daniëlle van de Donk recebeu passe de Beth Mead e chutou, mas Korpela, bem posicionada, defendeu. O restante do primeiro tempo continuou com domínio e posse de bola do Arsenal, mas sem outras grandes chances.

Logo aos 10 minutos da segunda etapa, o Arsenal teve um pênalti a seu favor. Chloe Kelly derrubou Little na área e a arbitragem assinalou a penalidade. A própria Little, capitã da equipe, converteu a infração, batendo no canto esquerdo e deslocando a goleira para marcar o 2 a 0.

O resultado aumentaria ainda mais apenas um minuto depois. Após cruzamento por baixo dentro da área, Miedema marcou o seu segundo gol na partida e o terceiro do Arsenal. A atacante Kelly diminuiu para o Everton aos 33 do segundo tempo.

Com o resultado, o Arsenal garantiu a liderança da competição, com 27 pontos em dez partidas. Já o Everton estacionou na quinta colocação, com 15 pontos em nove jogos (as Toffees tiveram seu jogo contra o Chelsea adiado)

Ficha técnica:

Everton: Korpela; Morgan, Es (Pike), George, Turner; Clemaron, Finnigan, Kaagman, Graham (Stringer); Kelly, Cain (Boye-Hlorkah). Técnico: Willie Kirk.

Arsenal: Zinsberger; Evans, Williamson, McCabe, Schnaderbeck; Wälti, Little, Roord; van de Donk, Mead (Maier), Miedema. Técnico: Joe Montemurro.

Manchester City 5×0 Brighton

Depois da derrota para o Chelsea na rodada passada, o Manchester City foi buscar a reabilitação em seus domínios diante do Brighton. Contra uma adversária bem mais fraca, as Citizens conseguiram se impor e venceram com tranquilidade.

O resultado positivo começou a ser montado logo aos quatro minutos: após um recuo da defesa do Brighton, a goleira Sophie Harris segurou a bola com as mãos dentro da área e a arbitragem apontou o tiro livre indireto. Na cobrança, a capitã Stephanie Houghton soltou a bomba e abriu o placar.

Aos 14, veio o segundo com a artilheira Ellen White, fuzilando após cruzamento vindo da direita de Janine Beckie. E ainda no primeiro tempo aos 38, com o domínio absoluto das donas da casa, veio o terceiro: cobrança de escanteio, Houghton desviou de cabeça e Lauren Hemp, na semana em que assinou um novo contrato com o clube, completou.

No segundo tempo, com o 3 a 0 no placar, o Man City comandou o jogo com mais calma. As Seagulls tiveram mais chances e chegaram até a marcar, mas a arbitragem anulou marcando falta dentro da pequena área na goleira Ellie Roebuck.

E no fim, ainda deu tempo de sacramentar a goleada. Aos 39 minutos, Keira Walsh acertou uma linda enfiada do campo de defesa e Georgia Stanway driblou a goleira para fazer o quarto. Dois minutos depois, cruzamento da direita e Pauline Bremer, que havia acabado de entrar, fechou o 5 a 0 com uma linda finalização por cima de Harris.

Após mais uma goleada, o Manchester City se recupera do revés da semana anterior e segue colado em Chelsea e Arsenal na briga pelo título. Já o Brighton conhece a sexta derrota em dez jogos, assume a lanterna e entra na zona de rebaixamento.

Ficha técnica:

Manchester City: Roebuck; Beckie, Bonner, Houghton, Campbell; Walsh, Weir, Hemp (Geum-Min), Scott (Coombs); Stanway, White (Bremer). Técnico: Nick Cushing.

Brighton: Harris; Skovsen, Kerkdijk, Williams, Gibbons; Bowman (Le Tissier), Simpkins, Green, Whelan; Umotong, Le Garrec. Técnica: Hope Powell.

Liverpool 1×1 Chelsea

Liverpool e Chelsea entraram em campo vivendo momentos bem diferentes: enquanto as Reds estão fugindo do rebaixamento, as Blues brigam pelo topo da tabela. No fim das contas, o empate por 1 a 1 não foi benéfico para nenhuma das duas equipes.

Bom lembrar que o confronto quase não aconteceu. Uma inspeção no campo, de última hora, foi necessária para que o gramado fosse liberado para a realização da partida.

O Chelsea era o franco favorito, mas foi o Liverpool quem saiu na frente. Niamh Charles aproveitou rebote e, dentro da área, apenas empurrou pro fundo das redes.

Precisando da vitória para continuar na caça ao Arsenal e ao Manchester City, o Chelsea foi com tudo pra cima – mesmo jogando fora de casa. Coube a Beth England, de cabeça, igualar o placar.

O jogo no primeiro tempo seguiu equilibrado, com ambos times perdendo chances de tomar a liderança do placar. England perdeu a chance de guardar mais um gol de cabeça, mas foi essencial ao tirar uma bola praticamente em cima da linha, numa finalização de Sophie Bradley-Auckland.

No segundo tempo, o Chelsea tomou a iniciativa e foi com tudo em busca do empate, porém não conseguiu transformar a superioridade em gols. O Liverpool ameaçava nas bolas paradas, mas também não conseguiu o tento que daria a primeira vitória na temporada.

Agora, o Chelsea ocupa a terceira colocação e não pode assumir a liderança mesmo vencendo a partida a menos. Já o Liverpool, com o empate, enfim saiu da lanterna e da zona de rebaixamento.

Ficha técnica:

Liverpool: Kitching; Robe, Fahey, Bradley-Auckland, Jane; Roberts, Bailey, Lawley (Sweetman-Kirk), Charles (Hodson); Linnett (Murray), Babajide. Técnica: Vicky Jepson.

Chelsea: Berger; Andersson, Eriksson, Bright, Mjelde; Ingle, Reiten (Blundell), Cuthbert, Spence (Carter); England, Bachmann (Ji). Técnica: Emma Hayes.

Reading 3×1 Tottenham

Em busca de aproximação à parte de cima da tabela, Reading e Tottenham fizeram confronto direto no Adams Park, em Wycombe.

O primeiro tempo ficou marcado pelo equilíbrio nas ações da partida. Com um pouco mais de posse de bola, as Spurs tiveram mais presença no campo de ataque, mas o número de finalizações foi muito próximo (2×3) e nenhum lado chegou a criar oportunidade real de gol.

Logo no início da segunda etapa, porém, saiu o primeiro tento da partida, e um golaço. Aos sete minutos, a lateral holandesa do Tottenham, Siri Worm, recebeu rasteiro na entrada da área após cobrança de escanteio, e chutou colocado no ângulo da goleira irlandesa Grace Moloney: 1 a 0 para as visitantes.

O gol botou fogo no jogo e as donas da casa se lançaram ao ataque. A técnica Kelly Chambers chegou a tirar a zagueira Sophie Howard para a entrada da ponta Rachel Rowe.

O ímpeto ofensiva acabou premiando o Reading. Aos 32 minutos, quando as Royals já ameaçavam partir para o tudo ou nada, veio o empate. Após cobrança de escanteio da veterana Fara Williams para a pequena área do Tottenham, a bola sobrou limpa para Josanne Potter empurrar às redes: 1 a 1.

Cinco minutos depois, quase veio a virada. A ponta norueguesa Amalie Eikeland cruzou da direita com maestria e Brook Chaplen cabeceou no travessão. A goleira Becky Spencer fez grande defesa no lance, mas acabou levando a pior na queda, sentiu lesão e teve de ser substituída. Chloe Morgan entrou em sua vaga.

Empurradas pela torcida, as Royals não se deixaram abater e finalmente chegaram à virada aos 43 minutos. Após longo lançamento da defesa para o ataque, a galesa Angharad James desviou de cabeça e Remi Allen apareceu na pequena área para completar para as redes: 2 a 1 Reading.

Nos minutos finais, o Tottenham partiu para o abafa, mas acabou cedendo muito espaço aos contra-ataques, o que acabou resultando ainda no terceiro gol das anfitriãs. Aos 55 minutos, Eikeland aproveitou bola afastada, arrancou de seu próprio campo e marcou seu primeiro gol com a camisa Royal, fechando o placar em 3 a 1.

Ficha técnica:

Reading: Moloney; Leine, Howard (Rowe), Potter e Pacheco; James, Moore, Allen e Eikeland; Chaplen e Williams. Técnica: Kelly Chambers.

Tottenham: Spencer (Morgan); Neville, Godfrey, Filbey e Worm (Quinn); Percival, Peplow (Addison) e Green; Graham, Davison e Dean. Técnicos: Karen Hill e Juan Amoros.

Jogos adiados

Duas partidas precisaram ser adiadas nesta rodada – já são quatro em todo o torneio. Birmingham e Manchester United, que jogariam no Damson Park em Solihull, não alinharam por conta do campo alagado.

Já o jogo entre Bristol City e West Ham também não aconteceu, uma vez que a inspeção indicou que o campo do Stoke Gifford Stadium, em Filton, não tinha condições de jogo. Novas datas ainda serão confirmadas pela FA.

Classificação após dez rodadas:
1º – Arsenal: 27
2º – Manchester City: 24
3º – Chelsea: 23 (-1 jogo)
4º – Manchester United: 15 (-1 jogo)
5º – Everton: 15 (-1 jogo)
6º – Reading: 14 (-1 jogo)
7º – Tottenham: 13
8º – West Ham United: 10 (-1 jogo)
9º – Birmingham City: 7 (-2 jogos)
10º – Brighton Hove & Albion: 6
11º – Liverpool: 3
12º – Bristol City: 3 (-1 jogo)

Próxima rodada (11ª de 22)

  • Manchester United x Bristol City, 05/01
  • Chelsea x Reading, 05/01
  • Tottenham x Manchester City, 05/01
  • Brighton Hove & Albion x Liverpool, 05/01
  • Arsenal x Birmingham City, 05/01
  • West Ham x Everton, 05/01