Os 10 patrocínios inusitados de times ingleses

Tem marca de videogame, marca de cerveja famosa no Brasil, vodka islandesa...

0
521
Os 10 patrocínios inusitados de times ingleses

Hoje dominado por multinacionais e sites de apostas, o futebol inglês já teve muitas peculiaridades nos patrocínios. Desde games até uma cerveja bem famosa no Brasil. Duvida? Então confira a lista que a PL Brasil preparou pra você com os patrocínios mais curiosos e inimagináveis dos times ingleses.

Os 10 patrocínios inusitados de times ingleses

10. Eidos – Manchester City (1999-2002)

George Weah e Paulo Wanchope posando junto com Lara Croft, a estrela do game Tomb Raider.

A Eidos Interactive resolveu patrocinar a equipe de Manchester para a temporada 99/00 e não saiu até 2002.

A empresa de desenvolvimento de jogos eletrônicos era muito famosa por ter produzido sucessos como Tomb Raider, Hitman e Commandos.

9. Chupa Chups – Sheffield Wednesday (2000-2003)

A empresa espanhola que fabrica pirulitos e doces esteve,
durante a temporada de 99/00, presente no uniforme do Sheffield.

A combinação de sua logo com o uniforme do clube inglês fez o uniforme ser considerado um dos mais feios por lá. Detalhe, a logo da Chupa Chups foi feita por Salvador Dalí em 1969.

 

 

8. Flamingo Land – Hull City (2015-2016)

Lateral escocês Andrew Robertson, hoje no Liverpool, foi um dos principais jogadores do Hull na época do Flamingo Land.

A equipe do nordeste da Inglaterra surpreendeu muitas pessoas em 2015 ao anunciar que a Flamingo Land seria a patrocinadora do clube.

Apesar de ser a terra dos flamingos, a Flamingo Land era na verdade um zoológico de Hull.

Além da exposição no uniforme, diversas ações de marketing entre clube e zoológico foram feitas. O Flamingo Land também chegou a patrocinar o Middlesbrough, só que sem aparecer no uniforme. 

7. Ty – Portsmouth (2002-2005)

A última era de Premier League do time do sul da Inglaterra foi marcada pela Ty. A empresa americana produzia brinquedos infantis e era famosa por uma linha de bichos de pelúcia, os Beanie Babys.

A camisa era alvo de zoação dos rivais, por conta da logo infantil da Ty. O patrocínio foi encerrado pela empresa devido a dificuldades financeiras.

6. Football ManagerAFC Wimbledon (2011- 2019)

Akinfenwa foi um dos principais garotos propagandas do FM no AFC Wimbledon.

Embalado pelo sucesso de Akinfenwa, o atacante que pesava mais de 100 quilos, o Wimbledon fechou um acordo para expor a logo do game Football Manager na parte da frente de seu uniforme.

O acordo foi além das quatro linhas, uma vez que em sua versão de demonstração e em seus teasers, a equipe principal é o Wimbledon. Outra equipe que tem esse acordo é o Watford.

5. Hafnia – Everton (1983-85)

Além do Campeonato Inglês, o Everton também conquistou uma Recopa Europeia e uma Copa da Inglaterra estampando a Hafnia na camisa.

Quem pensa no uniforme do período de maior sucesso dos Toffees, pensa na Hafnia. A marca esteve exposta nos uniformes do Everton na grande conquista do Campeonato Inglês de 84/85.

O curioso é que era impossível comprar produtos da Hafnia no Reino Unido. A empresa dinamarquesa produzia alimentos processados como presunto e mortadela, só que os ingleses não podiam comprar.

Além disso, o Everton não contava com nenhum jogador dinamarquês em seu elenco e continuou sem contar até 1997.

4. SEGA e Dreamcast – Arsenal (1999-2002)

Tony Adams, Anelka, Petit e Vieira em ação promovida pelo clube para divulgar chegada do patrocínio da SEGA/Dreamcast.

Quem acompanhou os Gunners no início deste século lembra bem desses dois patrocínios. A empresa japonesa, famosa por games como Sonic e Football Manager, patrocinou o Arsenal por três temporadas.

No fim dos anos 90 a SEGA lançou o seu console, o Dreamcast. Ao patrocinar o Arsenal, a empresa japonesa escolheu exibir sua logo no kit away e a logo do console no kit home.

Essa tentativa de expandir a visibilidade da marca e de seu produto não aconteceu só no Arsenal, que era o time que mais recebia, mas também na Sampdoria, Saint-Étienne e no Deportivo La Coruña. É um dos patrocínios de times ingleses mais icônicos da história.

Leia mais: Listamos os 7 melhores talentos sub-19 da Inglaterra

3. No Smoking – West Brom (1985-86)

Formado no Manchester United, o zagueiro Jimmy Nicholl foi um dos atletas que levaram o “No Smoking” na camisa.

Quase um Proerd. Para a temporada 85-86, a Midlands Health Organisation pagou para o West Bromwich Albion expor em sua camisa o símbolo anti-fumo. O uniforme ficou conhecido na época como “No Smoking Kit”.

2. Black Death Vodka – Scarborough FC (1990-91)

Desde seu banimento em 1990, o uniforme virou uma raridade entre a torcida do modesto Scarborough.

O clube da cidade de Scarborough chamou muita atenção em seu uniforme para a temporada 90/91. O time começou a utilizar a marca de vodka islandesa “Black Death Vodka” (Vodka da morte preta).

O uso nas camisas não foi muito bem recebido pelos torcedores e nem pela Football League, que acabou por banir o patrocínio do uniforme.

A equipe mudou de nome em 2007, após declarar falência. Em 2012, o Scarborough Athletic começou a vender réplicas da infame camisa “Black Death Vodka”, devido à alta procura pelo uniforme.

1. Skol – Nottingham Forest (1984-86)


A Skol era a única marca presente na camisa do Nottingham Forest, já que a fornecedora de material esportivo não aparecia.

Sim, é a mesma Skol que tem no Brasil, mas o investimento não partiu do nosso país. A Skol é uma das maiores marcas de cerveja do mundo e, na verdade, pertence à empresa dinamarquesa Carlsberg, a mesma que já patrocinou o Liverpool.

Em 1984 o Nottingham Forest era um dos clubes mais badalados na Inglaterra, tendo conquistado entre 1978 e 1980 duas Champions League.

Com essa possibilidade de exposição da marca, a sede dinamarquesa da Skol decidiu patrocinar o Forest por duas temporadas. Sem dúvida, um dos patrocínios mais curiosos da lista.

Para você, dos patrocínios de times ingleses, qual o mais inusitado?

Acompanhe a PL Brasil no Youtube

Clássicos Ingleses #04 – Sheffield United x Sheffield Wednesday