Efeito Brasileirão? 5 dos 10 jogadores mais punidos por reclamação da Premier League são brasileiros

4 minutos de leitura

A Premier League é rigorosa com reclamações de jogadores aos juízes. No Brasil, é comum ver cenas de atletas intimidando e subindo o tom com a arbitragem. Esse costume verde-amarelo tem sido replicado na liga inglesa.

Isso porque 5 jogadores brasileiros estão entre os 10 jogadores que mais receberam cartões amarelos por reclamação na Premier League.

Os 10 jogadores mais ‘chatos' da Premier League

  • Andreas Pereira (Fulham) – 4 cartões amarelos
  • Bruno Fernandes (Manchester United) – 4 cartões amarelos
  • Nicolas Jackson (Chelsea) – 4 cartões amarelos
  • Lucas Paquetá (West Ham) – 3 cartões amarelos
  • Neto (Bournemouth) – 3 cartões amarelos
  • Matheus Cunha (Wolverhampton) – 3 cartões amarelos
  • Sean Longstaff (Newcastle) – 3 cartões amarelos
  • Gabriel Jesus (Arsenal) – 3 cartões amarelos
  • Darwin Núnez (Liverpool) – 3 cartões amarelos
  • Enzo Fernández (Chelsea) – 3 cartões amarelos
Andreas Pereira
Andreas Pereira em ação pelo Fulham (Foto: Icon Sport)

Para se ter ideia, Andreas Pereira não recebeu outros cartões na Premier League — todos foram após reclamações. Já o goleiro Neto recebeu somente um cartão fora a indisciplina. Gabriel Jesus e Matheus Cunha receberam cinco no total, enquanto Lucas Paquetá levou seis amarelos.

Em números gerais, 2023/24 tem sido um momento difícil para os atletas “reclamões” da Premier League. De acordo com levantamento do “The Athletic”, essa é a temporada com maior número de punições a jogadores por queixas contra a arbitragem nos últimos seis anos.

Cartões amarelos por reclamação na Premier League

  • 2018/19: 95 cartões
  • 2019/20: 75 cartões
  • 2020/21: 56 cartões
  • 2021/22: 72 cartões
  • 2022/23: 86 cartões
  • 2023/24*: 155 cartões

* Ainda restam 142 partidas para a atual temporada terminar.

Haaland em Manchester City e Tottenham (Foto: Icon Sport)
Haaland em Manchester City e Tottenham (Foto: Icon Sport)

Esse aumento significativo se deve à normativa imposta pela Federação Inglesa (FA) no início da temporada de ter tolerância zero com as reclamações de jogadores e treinadores. A arbitragem recebeu autonomia para punir os infratores. Segundo Howard Webb, chefe da PGMOL, órgão que controla a arbitragem da Premier League, os homens do apito estão sendo capacitados para a promoção de uma “mudança cultural” dentro do jogo.

Lucas Barbosa
Lucas Barbosa

Redator da PL Brasil. Foi por meio da Premier League, na tela do antigo Esporte Interativo, em 2007, que o Jornalismo entrou na minha vida. Duas paixões que abriram portas e me fazem realizar sonhos todos os dias. Passei pelos portais Mais Minas e Esporte News Mundo.