Durão, violento, bad boy e ator de Hollywood. A curiosa história de vida de Vinnie Jones se divide entre os gramados e as telas de cinema e, nos dois casos, ele é o homem de larga envergadura e de comportamento agressivo.

Entradas com a sola do pé bem levantada, divididas pelo alto com o cotovelo para cima, carrinhos por trás… Pense em uma jogada ríspida e ela fazia parte do cardápio de Jones.

Jones era bastante intimidador dentro de campo e sua envergadura imponente – ele tinha 1,88m – o ajudou muito nisso. “Hooligan” em campo, ele foi o legítimo cão de guarda, o volante brucutu que não tinha muita intimidade com a bola, mas apelava para o vigor físico do jogo.

Vinnie Jones ostenta o recorde de cartão amarelo mais rápido da história do futebol inglês, quando foi punido por uma falta em uma partida entre Chelsea e Sheffield United pela Copa da Inglaterra, com apenas três segundos de jogo.

Vinnie Jones começou no pequeno Wealdstone e foi parar na Suécia, atuando por dois times desconhecidos. De lá, voltou à Inglaterra em 1986 para jogar no Wimbledon FC, que faliu e virou Milton Keynes Dons.

Durante a década de 1980, o Wimbledon surpreendeu a Inglaterra, saindo da Quarta para a Primeira Divisão em seis anos. Se tal feito poderia ser comparado a um título, um troféu ainda estava para vir.

17 SEP 1994: WIMBLEDON CAPTAIN VINNie JONES (LEFT) SHOWS HIS ANGER TOWARD THE REFEREE DURING THE LONDON DERBY BETWEEN CRYSTAL PALACE AND WIMBLEDON IN THE ENGLISH PREMIER LEAGUE. THE GAME ENDED IN A 0-0 DRAW. Mandatory Credit: Mike Cooper/ALLSPORT

Um título histórico

Na temporada 1987/1988, Vinnie Jones integrou o maior time da história do Wimbledon, carinhosamente chamado de “A Gangue dos Loucos”. Na Copa da Inglaterra daquele ano, a equipe eliminou West Brom, Mansfield Town, Newcastle, Watford e Luton Town até chegar a final.

Do outro lado, estava “apenas” o Liverpool, considerado o melhor time da Inglaterra e que havia batido o Nottingham Forest na partida que marcou a tragédia de Hillsborough. A decisão marcou o encontro entre Davi e Golias.

O choque de propostas de jogo era evidente. Enquanto o Wimbledon jogava duro e dava tudo em campo, os Reds eram sinônimo de técnica e habilidade.

O palco da final era, claro, o icônico Wembley, lotado com mais de 98 mil torcedores. O Wimbledon se defendia de todas as formas e via o Liverpool dominar as ações, mas foram os azarões que abriram o placar com o gol de cabeça de Lawrie Sánchez. O goleiro da “Gangue dos Loucos” ainda defendeu um pênalti, garantindo um título surpreendente.

vinnie jones wimbledon getty

Em 1989, se transferiu para o Leeds United e ajudou a equipe a subir da segunda para a primeira divisão, recebendo apenas três cartões amarelos naquela temporada e se tornando figura querida pelos torcedores.

Depois de perder espaço no ano seguinte, assinou contrato com o Sheffield United, mas só ficou uma temporada. Vinnie Jones então deixou os Blades para acertar com o Chelsea, quando também permaneceu apenas um ano. Na sequência, acertou sua volta ao Wimbledon na estreia da era Premier League.

De volta à sua casa, ajudou a equipe a conquistar um sexto e um oitavo lugar no Campeonato Inglês, além de chegar às semifinais das duas Copas na temporada 1996/1997.

Em 1992, Jones foi apresentador do polêmico vídeo em VHS “Soccer’s Hard Men”, glorificando jogadas violentas de atletas do futebol inglês, e ainda dava “dicas” para entradas ríspidas.

Depois da divulgação do vídeo, Jones foi punido em 20 mil libras e suspenso por seis meses dos gramados pela Federação Inglesa, que condenou a atitude do jogador.

O temperamento explosivo de Jones também era visível fora de campo e o jogador se meteu em muita polêmica. Em 1998, foi condenado por agredir um vizinho.

Já em dezembro de 2003, um Vinnie Jones altamente alcoolizado deu um tapa no rosto de um passageiro com quem dividia um voo e ameaçou a tripulação de morte. Condenado por agressão e mau comportamento, ele precisou pagar uma multa de 1,1 mil libras e prestar 80 horas de serviço comunitário.

Do gramado para as telas

A sua postura de malvado e bad boy o rendeu uma vaga nas telas do cinema. Em 1998, Vinnie Jones estreou no cinema com o filme “Lock, Stock and Two Smoking Barrels” (Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes), do diretor inglês Guy Ritchie.

Em seguida, continuou a usar sua imagem de durão e colecionou papéis em mais de 30 filmes, como 60 Segundos, Snatch – Porcos e Diamantes, Penalidade Máxima, Golpe Baixo, Eurotrip e X-Men: O Confronto Final.

SHARE
Ex-Esporte Interativo e ex-trainee do Estadão, formado em Jornalismo e Sociologia. Apaixonado pela Premier League. Twitter: @pedrohnramos

LEAVE A REPLY