No futebol, saboreamos os grandes momentos quando eles acontecem, mas os pontos baixos também têm o seu destaque. Principalmente quando se trata de gozações entre as torcidas. O que aconteceu de positivo nunca é lembrado pelo rival.

O ano de 2016 reservou momentos de decepção para todos os times da Premier League. Por isso, trazemos abaixo quais foram os dias que os torcedores gostariam de apagar da memória, desejando que eles nunca tivessem acontecido.

 

Arsenal – 2 de março: sequência de derrotas coroada com o revés contra o Swansea

(Divulgação)
Ashley Williams comemorando o gol da vitória do Swansea contra o Arsenal(Divulgação)

No início de 2016, o Arsenal conseguiu uma boa sequência e se mostrou o principal adversário do Leicester na briga pelo título. No entanto, no início de março, toda a expectativa de erguer a taça após 12 anos desapareceu.

O time somou apenas 2 pontos em 9 possíveis – em jogos contra Liverpool, Stoke e Chelsea, na sequência veio uma vitória animadora contra o Leicester. No entanto, nas rodadas seguintes, veio à confirmação do desastre.

A equipe perdeu para o Manchester United e, na partida seguinte, viu o Swansea virar um jogo improvável no Emirates Stadium. Os gols de Routledge e Williams deixaram o time de Londres seis pontos atrás dos Foxes, acabando com as expectativas de conquistar o título da Premier League.

 

Bounemouth – 1 de julho: Matt Ritchie deixa o clube e fecha com o Newcastle

(Divulgação)
Matt Ritchie quando atuava pelo Bournemouth (Divulgação)

Após estrear com o pé direito na Premier League e conseguir se manter na principal divisão da Inglaterra, o Bournemouth sofreu um duro golpe ainda na janela de verão, quando viu o meia Matt Ritchie acertar a sua transferência para o Newcastle.

O jogador escocês havia participado de todos os jogos da equipe na campanha de acesso da Championship para a Premier League. Além disso, ele foi determinante na permanência do time na primeira divisão, o creditando como um dos ídolos da torcida.

No entanto, o clube não conseguiu competir com o Newcastle financeiramente e teve que deixar o atleta sair. “Nós não ficamos felizes em deixá-lo ir”, disse o técnico Eddie Howe, no dia 1 de julho.

 

Burnley – 21 de novembro: vexame contra o West Bromwich

Partida contra o West Brom foi decepcionante para os Clarets (Divulgação)
Partida contra o West Brom foi decepcionante para os Clarets (Divulgação)

O time vinha de uma ótima sequência: vitória contra o Everton, empate contra o Manchester United em pleno Old Trafford, e mais um triunfo em um jogo eletrizante contra o Crystal Palace. A expectativa para o próximo confronto era alta, mas o resultado foi decepcionante.

Em uma partida completamente apática, a equipe viu o West Bromwich sobrar e golear por 4 a 0. O atacante venezuelano Rondón foi o carrasco, autor de 3 gols naquela fatídica noite.

Após esse resultado, o time nunca mais voltou a apresentar o mesmo futebol, somando 4 derrotas em 5 jogos. Com isso, os Clarets estão vendo novamente a zona de rebaixamento se aproximar, prometendo fortes emoções para o torcedor no fim da temporada 2016/2017.

 

Chelsea – 15 de maio: a 10ª posição e nenhuma competição europeia

(divulgação)
Fábregas não foi regular durante 2016 (Divulgação)

A última temporada foi de muitas frustrações para os Blues. Defendendo o título, a equipe pouco produziu na Premier League. Com uma campanha muito abaixo do esperado, terminou em sua pior posição nos últimos 20 anos.

Os números negativos são muitos, incluindo a soma de apenas 3 pontos nos últimos 4 jogos da temporada. A defesa de seu título foi a pior na história da Premier League, vencendo apenas 12 partidas no campeonato.

Por isso o 15 de maio é o escolhido de forma simbólica. Foi o dia que marcou o fim da campanha que culminou na interrupção de 13 aparições consecutivas dos londrinos na Champions League.

 

Crystal Palace – 17 de dezembro: 22 derrotas em 2016

(divulgação)
Alan Pardew foi demitido após a última derrota do Palace (Divulgação)

O Crystal Palace soma nada menos que 22 derrotas no ano. Nesta temporada, foram 10 derrotas em 17 jogos da Premier League. O último carrasco foi o atacante Diego Costa, que colocou os Eagles na porta da zona de rebaixamento, fazendo o tento da vitória de 1 a 0 do Chelsea no último dia 17.

É difícil imaginar como a equipe chegou a esse ponto. Com boas contratações e a manutenção de muitos dos seus principais jogadores, o time era apontado como uma possível surpresa para a temporada, o que não se realizou.

O último revés na Premier League culminou ainda na demissão do técnico Alan Pardew, demonstrando que 2016 realmente é um ano para o Palace apagar da memória.

 

Everton – 12 de maio: fim da era de Roberto Martínez

(divulgação)
Roberto Martínez foi demitido após uma temporada abaixo das expectativas (Divulgação)

O técnico Roberto Martínez levou os Toffes longe nas Copas na última temporada, mas não conseguiu quebrar o jejum de 21 anos sem conquistar um título e ainda teve um má desempenho na Premier League. O resultado disso foi à demissão

Ao fim da temporada 2015/2016, o time conseguiu apenas uma vitória em 10 partidas. A pressão para a demissão se alastrou pelas arquibancadas, com a torcida pedindo a demissão do treinador com cartazes no Goodison Park.

No fim, até mesmo o jantar de premiação de final de temporada do clube foi cancelado, mostrando o quanto esse período foi negativo para o clube. O 12 de maio representa uma data simbólica para a decepção com um trabalho que parecia ser promissor.

 

Hull City – 22 de julho: o adeus de Steve Bruce

(Divulgação)
Steve Bruce deixou o comando técnico por divergências com a diretoria (Divulgação)

Após uma promoção para a Premier League de forma heroica, os Tigers estavam empolgados para a temporada 2016/2017, com altas expectativas de não voltarem a Championship. No entanto, o primeiro baque veio dois meses depois.

Um dos grandes responsáveis pelo sucesso da equipe, o técnico Steve Bruce deixou o clube por problemas de relacionamento com a diretoria e por preocupações com a falta de investimento dos dirigentes, que alegavam dificuldades financeiras.

Bruce saiu em julho, sendo substituído por Mike Phelan. Após isso, o time faz uma campanha apática na Premier League. São apenas três vitórias até agora e a última colocação no campeonato.

 

Leicester – 26 de novembro: empate com o Boro abre a batalha contra o rebaixamento

(Divulgação)
Empate com o Middlesbrough fez Ranieri assumir briga contra o rebaixamento (Divulgação)

Quem diria que, após o surpreendente e heroico título da última temporada, os Foxes chegariam a brigar para não entrar na zona de rebaixamento? O time vem decepcionando na Premier League 2016/2017, fazendo uma campanha muito abaixo do esperado.

No dia 26 de novembro, a equipe conseguiu um empate suado contra o Middlesbrough após uma má atuação no King Power Stadium, forçando o técnico Claudio Ranieri a admitir que a equipe está na batalha contra o rebaixamento.

Com uma classificação tranquila para as oitavas da Champions, o Leicester mostra que ainda tem muito futebol para mostrar, mas que precisa de boas apresentações no campeonato nacional para se livrar rápido do risco de cair.

 

Liverpool – 18 de maio: o vice-campeonato na Liga Europa

(Divulgação)
Reds perderam a final contra o Sevilla (Divulgação)

Após uma classificação heroica contra o Borussia Dortmund, a tão sonhada taça na primeira temporada de Jügen Klopp em Merseyside parecia estar próxima. No entanto, a derrota de virada para o Sevilla foi um castigo para os Reds.

Após ser batido nas penalidades pelo Manchester City na final da Copa da Liga em fevereiro, o Liverpool se mostrava mais maduro na decisão da Liga Europa. Imponente, o time até chegou a abrir o placar com um belo gol de Sturridge, mas um segundo tempo apático culminou na derrota.

Além de ter ficado com o vice, o Liverpool perdeu a chance de garantir uma vaga na Champions League 2016/2017, ficando sem competições europeias para disputar na atual temporada.

 

Manchester City – 20 de março: Rashford brilha no Etihad Stadium

(Divulgação)
Rashford brilhou no derby de Manchester (Divulgação)

Derrotas consecutivas para o Leicester, Tottenham e Liverpool deixaram os Citizens não apenas distante da corrida pelo título, mas com o risco de não terminar nem entre os quatro primeiros da Premier League.

Ficar sem disputar a Champions League na primeira temporada de Guardiola era uma perspectiva impensável, mas tornou-se uma possibilidade real quando o United ganhou um clássico em pleno Etihad Stadium.

O gol de Marcus Rashford deixou o City 15 pontos atrás do Leicester, tirando qualquer esperança que restava da equipe conquistar o terceiro título nacional em cinco temporadas e ligando o alerta para uma possível perda de vaga na Champions.

 

Manchester United – 23 de outubro: goleada sofrida para o Chelsea

(Divulgação)
Mourinho foi reclamar com Conte após goleada do Chelsea (Divulgação)

Este tem sido um ano difícil para os Red Devil’s. Após a decepção com van Gaal, o time oscilou sob o comando de Mourinho. E a pior apresentação veio na volta do Special One ao Stamford Bridge.

O desastre foi anunciado logo aos 30 segundos de jogo, quando Pedro abriu o placar. Na sequência, Cahill, Hazard e Kante fecharam o placar em 4 a 0.

No fim da partida, Mourinho ainda teve uma breve discussão com Antonio Conte, demonstrando o impacto da derrota e o mau momento vivido. Este, definitivamente, é um dia para fãs do United esquecerem em 2016.

 

Middlesbrough – 11 de março: a quase despedida de Karanka

(Divulgação)
Aitor Karanka quase deixou o comando técnico do Boro (Divulgação)

Após uma derrota para o Rotherham, o clima ficou pesado nos vestiários do Riverside Stadium. A sequência de maus resultados culminou na perda da liderança da Championship, e o técnico Aitor Karanka disse aos jogadores que não queria mais comandá-los.

No jogo seguinte, o assistente Steve Agnew foi quem comandou o time na derrota para o Charlton por 2 a 0. Tudo parecia estar pronto para ele deixar o clube, quando houve uma reviravolta.

As diferenças entre o técnico, dirigentes e jogadores foram resolvidas, e o Middlesbrough ficou 10 jogos sem perder, garantindo o acesso para a Premier League 2016/2017 como vice-campeão da segunda divisão.

 

Southampton – 8 de dezembro: decepção na Europa League

(Divulgação)
Jogadores do Hapoel comemoram gol histórico contra o Southampton (Divulgação)

Após uma primeira fase de altos e baixos, o Southampton chegou na última rodada dependendo apenas de si para se classificar à fase 16-avos da Europa League. O adversário era o modesto Hapoel Be’er Sheva, de Israel. E o inacreditável aconteceu no St. Mary’s Stadium.

Após uma partida bastante burocrática, o atacante Maor Bar Buzaglo foi o responsável pelo tento que classificou os israelenses. O zagueiro van Djik até chegou a empatar, mas os Saints não tiveram força para buscar a virada.

Com a eliminação, o Southampton foi eliminado na fase de grupos da Europa League, competição que foi valorizada no início da temporada. Uma grande decepção para quem tinha potencial de ir longe.

 

Stoke City – 26 de março: a lesão de Jack Butland

(Divulgação)
Jack Butland se lesionou em março, em amistoso da seleção (Divulgação)

Quis o destino que o momento que os torcedores do Stoke mais lamentassem na temporada não envolvesse diretamente o time. Durante um amistoso entre Alemanha e Inglaterra, o goleiro Jack Blutand fraturou o tornozelo e deu início a um pesadelo para os Potters.

Desde a lesão do goleiro, o técnico Mark Hughes tem tido problemas para encontrar um substituto. Nos últimos meses, a equipe já teve como titular os arqueiros Jakob Haugaard, Shay Given e Lee Grant.

No entanto, nenhum o substituiu a altura, colecionando falhas no decorrer das partidas. Para o alívio do torcedor, Butland está próximo de voltar de lesão e reassumir a sua titularidade.

 

Sunderland – 22 de julho: Allardyce fecha com o English Team

(Divulgação)
Sam Allardyce deixou o comando técnico do Sunderland (Divulgação)

Após conseguir se manter na Premier League com bastante emoção nas últimas rodadas, perder o técnico Sam Allardyce para a seleção nacional foi um banho de água fria para os fãs do Sunderland.

Embora David Moyes tenha sido anunciado rapidamente após a saída de Big Sam, até o momento o time não demonstrou nenhuma evolução com relação a última temporada e mais uma vez briga para se ver livre do Z3.

O planejamento era dar sequência ao trabalho de Allardyce e o time mostrar uma evolução. Agora, após a sua saída, a esperança é que Moyes consiga logo encaixar o seu sistema de jogo e faça um ano de 2017 com mais alegrias para os Black Cats.

 

Swansea City – 3 de dezembro: Spurs 5 x 0 Swans

(Divulgação)
Swansea fez uma partida abaixo da crítica contra o Tottenham (Divulgação)

Apesar de frequentar a zona de rebaixamento desde o início do campeonato, o Swansea vinha de uma eletrizante vitória contra o Crystal Palace por 5 a 4. Esse podia ser o início de um estopim para uma reação, mas não foi.

Na partida seguinte, os Swans foram a Londres visitar o Tottenham e levaram um sonoro 5 a 0 no White Hart Lane, em um jogo que o time se mostrou sem poder de reação em vários momentos.

O placar demonstrou a realidade do clube no momento, que atualmente ocupa a 19ª posição na tabela e precisa abrir o olho para não disputar a Championship na próxima temporada.

 

Tottenham – 2 de maio: dando adeus às chances de título

(Divulgação)
Clima ficou quente no empate contra o Chelsea (Divulgação)

Desde 1961 o Tottenham não conquista o título inglês, e em 2015/2016 o clube fez uma campanha que o creditou ao título. Com Kane, Dele Alli, Erikssen, Lloris e cia, o time chegou nas últimas rodadas ainda com chance, até que encontrou o Chelsea no caminho.

Após sair ganhando por 2 a 0 no Stamford Bridge, os Spurs deixaram os rivais igualarem o placar. Ali acabava o sonho do título nacional após 55 anos, vendo o Leicester fazer o que parecia ser impossível e levantar a taça.

Após esse jogo, os Spurs não demonstraram mais a mesma empolgação no fim da temporada, com o time terminando a competição apenas na terceira colocação.

 

Watford – 17 de dezembro: a queda de rendimento de Odion Ighalo

(Divulgação)
Ighalo não correspondeu às expectativas em 2016 (Divulgação)

O dia mais desastroso para o Watford no ano também é simbólico, estando diretamente ligado ao seu principal goleador. Após marcar 29 gols na última temporada, Ighalo permaneceu na equipe para continuar sendo o cara, mas não vem sendo.

Neste ano, o atacante fez apenas 6 gols. Na Premier League 2016/2017, em 14 jogos ele anotou apenas um. Números muito abaixo daquele que foi uma das sensações da última temporada.

O dia 17 de dezembro é o da última partida do Watford, contra o Sunderland. Ighalo, mais uma vez, perdeu boas chances e viu a equipe perder por 1 x 0. Com uma campanha mediana, os Hornets esperam a ascensão do seu homem gol em 2017 para voltar a alçar voos maiores.

 

West Bromwich – 20 de fevereiro: confusão entre Brunt e torcedores

(Divulgação)
Chris Brunt foi tirar satisfação com torcedores após ser atingido por uma moeda (Divulgação)

Após a eliminação para o Reading na FA Cup, o meia Chris Brunt foi até a lateral do campo para dar a sua camisa a um torcedor do West Brom. No entanto, o que aconteceu depois foi mais negativo que a derrota por 3 a 1.

Um torcedor tacou uma moeda no jogador, acertando abaixo do seu olho. Brunt reagiu furiosamente, confrontando os torcedores a procura do culpado por ter atingido ele com o objeto.

Após muita confusão, os seguranças conseguiram acalmar os ânimos. Mais tarde, o atleta disse que estava enojado e envergonhado com a sua reação no incidente.

 

West Ham – 6 de maio: a despedida de Boleyn Ground

(Divulgação)
Sánchez anotou um hat-trick no Estádio Olímpico (Divulgação)

Esta é mais uma data simbólica na lista, afinal o West Ham definitivamente ainda não se identificou com o Estádio Olímpico. Desde a ida para a nova casa, o clube tem colecionado decepções.

Na nova casa, o clube já sofreu derrotas como 3 a 0 para o Watford, 4 a 2 contra o Southampton e um sonoro 5 a 1 para o Arsenal, com direito a show de Alexis Sanchez.

E o problema não está apenas no gramado. Das arquibancadas surgem denúncias de segregação e muitas reclamações dos torcedores que são contra a obrigação de assistirem os jogos sentados. Os Hammers terão muito trabalho para se adaptarem à nova casa.

LEAVE A REPLY