Palco da final da Champions League em 2017, o País de Gales é um país de aproximadamente três milhões de habitantes e pouco mais de 20 mil quilômetros quadrados. Localizado no Reino Unido, tem dois clubes de futebol importantíssimos e que costumam aparecer na elite do campeonato inglês.

Por motivos geográficos, Cardiff City e Swansea City decidiram migrar seus times para competirem na terra da rainha. O Wrexham – que está na quinta divisão inglesa – foi o primeiro time a pensar na ideia de competir pela Football Association, já que não existia uma liga oficial em seu país e, principalmente, como na Inglaterra o nível era maior, haveria uma disputa maior do que nas suas fronteiras. Caso montassem uma liga na época, teriam dificuldades na logística de seus jogos. As cidades norte-sul teriam mais dificuldades de transitar às outras cidades mais localizadas ao centro-oeste do país, já que os meios de locomoção eram precários.

Atualmente, o País de Gales tem sua própria liga, porém não é de tanta importância quanto às divisões inglesas, onde atuam Swansea e Cardiff. A maior aparição internacional de um clube da liga nacional foi a do The New Saints na temporada de 2005/06, quando o clube enfrentou um time do país vizinho pela Liga dos Campeões – o Liverpool, que havia acabado de ser o campeão da competição.

Jogadores galeses já fizeram história na Inglaterra

Diversos jogadores nascidos no País de Gales passaram por times ingleses e fizeram história. Há jogadores que são eternizados como lendas de seus clubes. Existem aqueles que ainda atuam na terra rainha, sendo de grande importância. A lista abaixo contém os quatro maiores galeses que tiveram passagens marcantes pela Inglaterra.

Ian Rush: o bigodudo

Lenda do Liverpool, o galês é o maior artilheiro do clube, com 346 gols.

Ian nasceu na pequena cidade de St. Asaph e, com apenas uma temporada no modesto Chester City, chamou a atenção do time de Merseyside em 1980.  O jogador teve duas passagens pelos Reds, conquistando vários títulos e o coração dos torcedores.

O centroavante ficou conhecido pelo seu faro de gol. Não era um jogador habilidoso, mas era impecável na finalização. Sem falar da velocidade nos contra-ataques daquele Liverpool de Bob Paisley. Era chamado também como a primeira linha de defesa do Liverpool, já que era muito esforçado e determinado.

O atleta atuou também com a camisa da Juventus, porém não obteve tanto sucesso. Na Itália, atuou por apenas uma temporada, marcando 12 gols em 29 jogos.

Pela seleção, nunca conseguiu disputar um campeonato importante, mas ficou no quase nas eliminatórias da Copa de 1982 – o País de Gales ficou em terceiro lugar no grupo e perdeu a vaga para os tchecoslovacos.

Mark Hughes: o fominha

Jogador histórico dos Red Devils, o galês Mark Hughes é o atual técnico do Stoke City, onde está há quatro anos.

Como jogador, foi brilhante. Com passagens por grandes clubes, tem uma incrível história com o Manchester United, atuando em 467 jogos em duas passagens e marcando 164 gols pelo time. Jogou também por Barcelona e Bayern de Munique, contabilizando 60 jogos e apenas 12 gols.

Hughes era muito aclamado pelos seus torcedores e, inclusive, pela maioria dos seus companheiros de equipe. Seus colegas faziam questão de estar perto do jogador – ele foi eleito pelos jogadores o Jogador do Ano em 1989 e 1991 – e os fãs admiravam-se com aqueles gols maravilhosos.

Pela seleção, Leslie – primeiro nome do jogador – teve 72 participações com 16 gols.

Ryan Giggs: o recordista

O galês era um jogador explosivo, porém disciplinado e de um talento esplendoroso. Jogador de apenas um clube, Giggs atuou pelo Manchester United por mais de 20 anos. Ele teve também parte de sua formação no Manchester City aos seus 12 anos até os 14.

Campeão nato, participou de grandes elencos, jogando em épocas que vão desde a de Cantona até a de Cristiano Ronaldo, e foi uma das pedras preciosas naquela “geração de ouro” que tinha Beckham e Neville também. Em 2008, participou do time que ganhou a Liga dos Campeões, junto a Cristiano Ronaldo, Rooney, Tevez e cia.

Getty Images

Ganhou diversos títulos, mas quebrou também vários recordes. É o jogador com mais partidas, assistências e títulos na Premier League, e o único a marcar em todas edições em que participou desta competição. Giggs, também, disputou uma Olimpíada pela seleção da Grã-Bretanha em 2012.

Em 2013, foi nomeado auxiliar do United, mas, após a chegada de Mourinho no verão desta temporada, saiu.

Apesar de ter uma carreira renomada, pela seleção não teve nenhuma oportunidade de participar de um torneio de grande expressão. Foram 63 partidas e 12 gols.

Gareth Bale: o velocista

“Quando a velocidade e a técnica se juntam, o resultado é Gareth Bale.” É assim que inicia o perfil do galês no site oficial do Real Madrid, seu atual clube. Jogador rápido custou 300 milhões de reais aos merengues – na transferência que envolvia mais dinheiro em toda a história do futebol até a aquisição de Pogba pelo United nesta temporada.

Formado pelo Southampton, Bale teve sua estreia no time principal aos 16 anos de idade, tornando-se o segundo jogador mais jovem a jogar pelos Saints. Ao final daquela temporada, ganhou o troféu de melhor jogador jovem do ano.

Getty Images

Pelo time, Gareth disputou 45 jogos e marcou cinco gols. Em 2007, o jovem jogador se transferiu ao Tottenham, onde ficaria famoso. Suas melhores partidas foram diante da Internazionale pela Liga dos Campeões, em 2010, quando marcou três gols na Itália e deu duas assistências em White Hart Lane. O jogador atuou, no início, como um lateral esquerdo e depois foi se adequando a ser ponta.

Em 2012, Bale lutou, lutou e lutou fora das quatro linhas para conseguir ser convocado às Olimpíadas pela Grã-Bretanha. Porém, por conta de uma lesão, acabou ficando de fora da lista.

Após terminar a temporada 2012-13 contundido, Bale assinou com o poderosíssimo Real Madrid, marcando história no clube com sua transferência.  No atual clube, tem 150 jogos, 60 gols e 50 assistências. Porém, o que mais chama a atenção são suas lesões. São oito apenas na panturrilha esquerda, que o tiraram de vários jogos do time espanhol, inclusive da semifinal da última Liga dos Campeões.

Gareth Bale é o jogador mais jovem a atuar com a camisa vermelha de Gales. Ele tem 66 partidas e 26 gols e já tem algo que os outros nomes citados não têm: uma disputa de um campeonato importante – ao disputar a Eurocopa de 2016, levando o time até uma semifinal.

Curiosidades

  • Na temporada 1989-90, o Newport County, do País de Gales, mandou seus jogos na Inglaterra. O time havia perdido o direito de atuar em seu estádio por conta de dívidas e acabou escolhendo a Inglaterra como nova casa. Por isso, o clube adotou o apelido “Exiles” (exilados), que está escrito no seu próprio símbolo.

  • Na temporada 2013/14, houve o primeiro duelo de clubes galeses na Premier League. O jogo foi disputado por Swansea City e Cardiff City e os Bluebirds venceram por 1 a 0.
  • Em 2013, o Swansea foi campeão da Copa da Liga Inglesa. Na final, o time derrotou o Bradford City por 5 a 0. Naquela campanha, os Swans deixaram pelo caminho Liverpool e Chelsea.
BBC
SHARE
Adepto do jogo inglês, sou apaixonado pelo futebol bem jogado. A única coisa que pode ser comparado a assistir um bom jogo é uma boa conversa sobre este esporte com bola.

LEAVE A REPLY