“Fora o baile”. No meio do futebol, talvez não exista tão simples e significativa expressão para resumir a partida que colocou Tottenham e Liverpool cara a cara, e que acabou com uma sonora goleada dos Spurs, 4 a 1.

Uma partida marcada não somente por mais uma ótima atuação da equipe de Pochettino, mas, pelas conhecidas fragilidades do time de Klopp.

Em números, aparentemente, a partida foi equilibrada, com o Liverpool tendo, por exemplo, mais posse de bola, mais chutes no alvo e mais escanteios a favor, o que mostra que os Reds ao menos tentaram medir forças contra os donos da casa.

Temos, então, a (negativa) contribuição de Klopp na goleada e na fase instável do Liverpool na temporada. Encarar os adversários de igual para igual, de fato, não é o problema, aliás, é justamente essa “ousadia” que chama a atenção no time dos Spurs.

Há, no entanto, uma grande diferença entre os times do próprio Tottenham e o Liverpool, diferença essa que permite um e que, teoricamente, deveria conscientizar o outro sobre os riscos de jogar, sem grandes preocupações, para a frente: solidez defensiva.

O Tottenham vem acumulando boas temporadas, marcadas especialmente pelo equilíbrio entre os diferentes setores do time.

Os Reds, por um lado, esbanjam um ataque, com muita velocidade, habilidade e troca de posições, mas, por outro lado, escancaram a fraca defesa que têm e as peças de reposição que não tem e nem sequer buscou no mercado para o setor.

Como se não bastasse a boa temporada da dupla de zaga belga Alderweireld e Vertonghen nos Spurs, por 40 M€ o clube londrino ainda contratou o colombiano Davinson Sánchez, que se encaixou como uma luva na zaga de Pochettino, hoje, indiscutivelmente, titular.

Leia mais
Dois anos de Jürgen Klopp no Liverpool: o que mudou?
Paixão sem fronteiras: as torcidas da Premier League em Belo Horizonte
Coutinho está “de volta” e todos ganham com isso

Dos cinco reforços do Tottenham para a temporada, quatro foram para a defesa. Além de Sánchez, os londrinos trouxeram também o goleiro Paulo Gazzaniga, o lateral-direito Serge Aurier e outro zagueiro, o jovem argentino Juan Foyth.

Com poucas peças e por um valor considerado baixo em meio ao inflacionado mercado do futebol, Pochettino foi às compras simplesmente para substituir pontualmente as peças que perdeu e de quebra reforçou ainda mais seu sistema defensivo.

Klopp, em tese, deveria seguir a mesma receita. Não seguiu e paga com goleadas sofridas a falta de precisão e objetividade na janela de verão.

Com um elenco que dispõe de um número suficiente e de boas opções do meio para a frente, a defesa, que na temporada passada já dava sinais de fraqueza, foi reforçada com apenas uma contratação, a do lateral esquerdo Andrew Robertson.

Sports Beast

Ao que tudo indica, o Liverpool bem que tentou contratar o zagueiro holandês Virgil Van Dijk, atualmente no Southampton.

O que seria uma bela aquisição por parte dos Reds terminou em uma novela, sem final feliz para o time de Marseyside.

Apesar da frustração com o desfecho, dias atrás, em entrevista, Van Dijk deixou em aberto seu futuro para a próxima janela de transferências, cogitando uma possível saída dos Saints, quem sabe, para o próprio Liverpool.

Porém, mais curioso do que a razão pelo negócio com o holandês não ter dado certo, é o fato do jogador ser o único realmente cogitado pela equipe de Anfield.

Sorte, ou falta dela, é que o mercado de transferências é reaberto em janeiro.

Até lá, Klopp terá de reorganizar a equipe, mesmo que para isso seja necessário abrir mão do futebol ofensivo, que lhe é tão peculiar.

Abrindo a janela, cabe a Klopp enxergar opções no que realmente possam solucionar os problemas defensivos de sua equipe.

“Insistir” não deve ser uma boa para o técnico alemão. Caso contrário, teimar em confiar em nomes como Lovren, Klavan e Moreno para a sequência dessa e de outras temporadas pode levar Klopp ao mesmo caminho de seu, agora antigo rival, Ronald Koeman.

SHARE

Melhor do que o Futebol é falar sobre ele. A melhor invenção do homem é também o melhor papo!
Redator no PL Brasil.

LEAVE A REPLY