Após uma última temporada irregular e de briga contra o rebaixamento, a principal novidade do Crystal Palace em busca de uma jornada sem sustos está no comando técnico. Frank de Boer assumiu o cargo de Sam Allardyce querendo uma maior longevidade no cargo – assim como teve no Ajax, seu penúltimo trabalho –. Para isso, ele irá contar com um elenco mais rejuvenescido, mas que ainda possui nomes experientes e acostumados a disputar a Premier League.

Confira o guia COMPLETO de cada time da Premier League!

Apesar de vir da escola holandesa, onde o futebol ofensivo é tradicional, o novo treinador não parece ter a intenção de abandonar a solidez defensiva da equipe de Big Sam. Isso porque, segundo o próprio de Boer, a Premier League é um tipo de competição que requer equipes com fortes sistemas defensivos devido a intensidade do jogo. Isso indica a utilização do esquema 3-4-3, testado por ele na pré-temporada e que funciona bem tendo velocistas como Wilfried Zaha, Andros Townsend e Jason Puncheon no elenco.

Frank de Boer é o novo técnico dos Eagles! (Foto: Divulgação/Crystal Palace)

Para a temporada o clube se movimentou muito pouco, trazendo apenas dois jovens atletas: o zagueiro Jaïro Riedewald, que custou £7.9m em negociação com o Ajax; e o meio-campista Ruben Loftus-Cheek, emprestado pelo Chelsea. O primeiro nome será bastante útil na defesa, já que o clube ainda não definiu a situação de compra do francês Mamadou Sakho junto ao Liverpool. Já Loftus-Cheek deve fazer o meio-campo da equipe, trazendo mais qualidade no passe e amadurecendo na competição.

A grande incógnita da equipe está no gol. Com a volta de Steve Mandanda para o Olympique de Marselha, Julián Speroni e Wayne Hennessey brigam pela titularidade, mas ainda há a possibilidade da chegada de um novo nome para a posição. Já no setor ofensivo a equipe seguirá contando com Towsend, Zaha e Christian Benteke, trio responsável por boa parte dos gols na última temporada e que, mais uma vez, deve ser a válvula de escape para o ataque londrino.

Outro ponto crucial que a equipe precisa restabelecer para ter uma boa temporada é a regularidade ao jogar em casa. Tradicionalmente, o Selhurst Park é um caldeirão, sendo um dos estádios mais hostis da Premier League. No entanto, na última temporada, o Palace parece ter esquecido como jogar tendo o apoio da sua torcida. O clube conquistou apenas 20 dos 57 pontos possíveis jogando em casa, sendo o terceiro pior mandante da competição – a frente apenas dos rebaixados Sunderland e Middlesbrough.

Tendo a total confiança da diretoria e com um forte trabalho de implantação da sua filosofia de jogo, Frank de Boer tem boas chances de repetir o seu sucesso no Ajax. Longe das apostas de briga por vaga em nas competições europeias, o Crystal Palace pode ser uma surpresa positiva no campeonato. Principalmente se conseguir regular em casa e trouxer mais peças até o fim da janela de transferências, os Eagles mais uma vez podem ser dor de cabeça para os gigantes e fazer uma temporada sem sustos.

VEM:

Jairo Riedewald (Ajax, £7.9m) e Ruben Loftus-Cheek (Chelsea, empréstimo).

VAI:

Steve Mandanda (Olympique de Marselha, £1.8m), Fraizer Campbell (Hull City, free-agent), Mathieu Flamini (dispensado), Joe Ledley (dispensado), Luke Croll (Exeter City, free-agent), Kwesi Appiah (Wimbledon, free-agent), Jonathan Benteke (dispensado) e Zeki Fryers (Barnsley, free-agent).

AMISTOSOS

  • 15/Julho: Maidstone United (fora) 1-3;
  • 19/Julho: Liverpool (fora) 2-0;
  • 22/Julho: West Brom (fora) 0-2;
  • 29/Julho: Metz (fora) 1 x 1;
  • 5/Agosto: Schalke 04 (casa) 1-1.

TIME-BASE

  • Speroni (Hennessey); Dann, Reidewald, Tomkins; Townsend, Cabaye, Milivojevic, Loftus-Cheek, Van Aanholt (Puncheon); Zaha e Benteke.

PALPITES

  • Matheus Teodoro (PL Brasil): meio de tabela.
  • Fred Caldeira (Esporte Interativo): briga por vaga na Liga Europa.

Veja mais:
7 coisas que sempre acontecem na janela de transferências da PL
ESPECIAL: As grandes mudanças nos estádios ingleses

LEAVE A REPLY