Publicado originalmente no Blog SoccerClass

Abertura da 29ª rodada da Premier League, 14 de março de 2009, um sábado de céu azul, mas nublado, igualmente a cor do uniforme do Liverpool naquele dia, para todo o time do Manchester United e, especialmente, para o sérvio Nemanja Vidić, que sofreu com o ataque da equipe da cidade dos Beatles.

Leia também
Numa Premier League marcada por muitos gols, eles ainda buscam sair do zero
O efeito Harry Kane
Eles atuaram nos dois rivais de Manchester – e se deram muito bem em ambos
EXCLUSIVO: Oscar relembra passagem pelo Chelsea, vê Corinthians “sortudo” e aponta favoritos ao título da PL

Os Red Devils eram os líderes da competição, embalavam 11 vitórias seguidas na liga e acabara de eliminar o Internazionale na Champions League. Já o Liverpool quer(ia) por um ponto final na seca de títulos do campeonato inglês que se arrasta desde os anos 1990 e tinha goleado o galáctico Real Madrid por 4 a 0, no Anfield Road, em partida válida pela jogo de volta das oitavas de final da Liga dos Campeões.

Jogando em casa, o United começou dominando as ações até que, aos 23 minutos, Carlos Tévez com um passe de três dedos enfiou a bola para o sul-coreano Park Ji-Sung, que foi derrubado pelo goleiro espanhol Pepe Reina, e o pênalti assinalado. Cristiano Ronaldo cobrou a meia altura e definiu o 1 a 0 para a equipe dos Diabos Vermelhos.

A partir disto, a partida seria do Liverpool. O empate veio rápido, cinco minutos após o pênalti, o zagueiro eslovaco Martin Škrtel deu um chutão da defesa, pegou de surpresa Vidić, que deixou a bola quicar no gramado e falhou na dividida com Fernando Torres. O atacante espanhol, livre da marcação, bateu na saída de Van Der Sar e empatou o jogo. Com toda categoria de El Niño.

O gol da virada veio de pênalti, aos 43 minutos. Fernando Torres tocou para Gerrard dentro da área, derrubado por Patrice Evra, penalidade máxima marcada. O camisa 8 foi para a marca da cal, bola na rede e comemorou beijando a câmera. (Fato esse, que se repetiu em 2014, novamente no Old Trafford, em uma vitória por 3 a 0 do Liverpool).

Em uma perfeita cobrança de falta de Fábio Aurélio, Edwin Van Der Sar não teve reação, falta que também resultou na expulsão do sérvio Vidić, em seu dia nublado e trágico para esquecer. O Liverpool apontava o 3 a 1 no placar.

A goleada viria com chave de ouro. O quarto gol saiu de um tiro de meta cobrado por Reina, a bola sobrevoou todo o campo para sobrar para Andrea Dossena pegar um chute de primeira e de cobertura marcar sobre o goleiro Van Der Sar, que nada pôde fazer para evitar. O mesmo Dossena, que fechou a goleada sobre o Real Madrid, os dois e únicos gols do italiano na sua passagem por Liverpool.

Um jogo brilhante para Fernando Torres, Gerrard & cia, e terrível para os Diabos Vermelhos. Mas a temporada estava reservada a glória do Manchester United, que se sagraram campeões da Premier League 2008/09 e chegaram a grande final da Champions League, derrotados pelo Barcelona. Para o Liverpool sobrou o vice-campeonato e a continuação do jejum que se mantem do campeonato inglês e eliminado na etapa seguinte da Champions League pelo Chelsea, nas quartas de final. Um dia nublado para os Diabos vermelhos e de beijo para os Reds.

LEAVE A REPLY