por Rafael Brayan

Revista Placar

Quando foi negociado do Vasco da Gama à Inter de Milão, em 2008, com apenas 16 anos, por cerca de 10 milhões de reais, Philippe Coutinho era uma das maiores revelações dos últimos tempos. Seu talento era evidente, sendo até comparado aos de Kaká e Ronaldinho. O jogador passou por muitos momentos difíceis até chegar a Anfield, onde teve uma transformação meteórica em 2013.

Chegada a Milão

Coutinho foi para a Itália somente em 2010, pois teve que esperar completar 18 anos para assinar um contrato profissional. Mas, mesmo antes de ir, sua negociação já havia feitos descontentamentos aqui no Brasil. Roberto Dinamite, até então presidente do clube cruz-maltino, disse que não sabia da negociação, pois ela tinha sido feita pelo antigo presidente, e estava infeliz com a transferência.

Getty Images

Coutinho chegou a Milão no início da temporada 10/11, com 18 anos, e logo depois estreou pelo time, que era o atual campeão da UEFA Champions League. E seu primeiro jogo foi logo na Supercopa da UEFA, contra o Atlético de Madrid.

No clube italiano, o craque dos Reds fez 46 partidas e apenas 5 gols. Porém, sua maior vitória foi ser campeão mundial de clubes pelo time da Inter.

Empréstimo a um time de Barcelona: o Espanyol

Como Coutinho não vinha sido aproveitado pelo time de Forlán, Milito, Pandev, Sneijder, entre outros, a Internazionale decidiu liberá-lo.  E isso fez bem ao jogador brasileiro. Philippe foi considerado a revelação do campeonato espanhol, sendo cobiçado pelos grandes do país.

Getty Images

Em 16 jogos, o craque fez 5 gols e deu uma assistência, mas, como ele próprio diz, a sua passagem pelo Espanyol foi fundamental pelo seu desenvolvimento e para sua própria imagem no mundo do futebol. Ele disse:

 “Jogar alguns meses com frequência foi fundamental. Ganhei mais velocidade, voltei mais esperto e melhor fisicamente. Sou outro jogador agora”, contou o meia-atacante, em entrevista ao jornal italiano Gazetta dello Sport.  “O tempo que passei lá [no Espanyol] me ajudou a provar as minhas próprias habilidades dentro de campo”, comentou.

Quando voltou à Inter, após uma temporada de sucesso na Espanha, o atleta recebeu boas oportunidades para se mostrar e atuar no elenco italiano. Com um maior reconhecimento, ele transferiu-se à Inglaterra.

This is Anfield

No penúltimo dia da janela de transferências da temporada de 2012/13, o Liverpool concluiu uma das melhores contratações da história do clube. Por cerca de 37 milhões de reais, o menino carioca ia para o time dos Reds após uma temporada muito boa na Espanha.

Coutinho era apenas o quinto brasileiro da história do time. Além de Doni e Lucas Leiva, que estavam no elenco na época, Diego Cavalieri e Fabio Aurélio já haviam passado por lá.

Com Brendan Rodgers como treinador, o meio-campista chegou com a camisa 10, com grande responsabilidade ao saber que armaria jogadas para Gerrard, Suárez e cia.

Em sua primeira partida, Coutinho começou o jogo saindo do banco – uma das duas únicas vezes em que isso aconteceu. O Liverpool acabou perdendo por 2 a 0 contra o West Bromwich. Na segunda participação, Coutinho iniciou a partida e marcou seu primeiro gol com a camisa vermelha.

Getty Images

Phillipe Coutinho foi um dos jogadores mais importantes do time que quase ganhou o que seria a inédita Premier League do Liverpool. Com Luis Suaréz, Sterling e Sturridge, o time ficou na segunda colocação.

Atualmente, no auge da carreira, Coutinho tem sido muito elogiado – sobretudo pelo técnico do Liverpool Jürgen Klopp. O alemão disse que o meio-campista está mais livre e solto para se movimentar, que vem fazendo estrago na defesa dos adversários. O técnico sempre enaltece o talento do jogador e deixa transparente sua admiração por ele.

“Você viu os últimos três jogos? Philippe é um jogador brilhante e nós não temos que falar sobre suas qualidades. Eu não estou interessado no que aconteceu antes. Falei com ele, sim, claro. Mas meu trabalho é ajudá-lo, e não dizer o que ele não está fazendo bem”, colocou Klopp.

Philippe Coutinho vem jogando muito bem, seja com Firmino e Mané, pelo Liverpool, ou Neymar e Gabriel Jesus, na seleção, e é claramente um dos favoritos à vaga para a Copa do Mundo na Rússia.

Mesmo recebendo propostas de gigantes, como Barcelona e PSG, o meia parece estar motivado a continuar em Anfield, e tentar conquistar o inédito título da Premier League.

SHARE
Jornalista. Assessor de Comunicação do CEPID-CeMEAI e apaixonado pelo futebol.

LEAVE A REPLY